Página 1 de 212

Museus da rede Ibram celebram Consciência Negra no RJ e PE

O dia 20 de novembro é celebrado no Brasil como o Dia da Consciência Negra. Provável data da morte de Zumbi dos Palmares, em 1695, o objetivo é ampliar a reflexão sobre a presença do negro e de sua cultura na sociedade brasileira. Com essa perspectiva, dois museus da rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) organizam atividades que marcam a data.

Casa_ClaudioSouza_Imperial

Casa de Cláudio de Souza/Museu Imperial em Petrópolis (RJ)

Em Petrópolis (RJ), a Casa de Cláudio de Souza, que integra o Museu Imperial, realiza no dia 21, a partir das 17h,  apresentações de dança afro e uma série de palestras sobre cultura, saúde e estética.

Reflexões quanto ao Dia da Consciência Negra; Quebrando os mitos quanto as doenças que afeta a população negra; A mídia e o negro como protagonista; A contação de história afro brasileiras nas séries iniciais e a formação da identidade; O que carrego na cabeça; Fundamentação sobre os penteados nagos e a Beleza da mulher negra são os temas abordados pelos palestrantes.

As atividades são gratuitas. A Casa de Cláudio de Souza fica na Praça da Liberdade, 247 – Centro de Petrópolis. Outras informações pelo telefone (24) 2231.5156.

Novembro Negro
Em Recife (PE), O Museu da Abolição segue com uma programação que teve início em 6 de novembro – batizada de Novembro Negro.

No dia 24 o destaque será o encontro de formação, para professores e alunos, sobre a Lei 10.639/03, que incluiu no currículo escolar oficial o ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira. No dia 26, acontece o lançamento do livro Arraial Novo de Canudos, de Rodrigo Capibe,  com apresentação de afoxé e de xirê. Saiba mais sobre o Museu da Abolição.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Museu Imperial/Divulgação

Exposição exibe resultado de curso sobre memória afro-brasileira em SC

MAT_134352vozes_que_pulsam

Exposição é resultado de curso que utilizou, em caráter experimental, a plataforma virtual de aprendizagem Saber Museu, desenvolvida pelo Ibram

Será aberta nesta sexta-feira (18), no Museu Histórico de Santa Catarina, em Florianópolis (SC), a exposição Vozes que pulsam – Memória e cultura afro-brasileira em Santa Catarina.

A exposição é resultado do curso Museu, Memória e Cultura Afro-brasileira, iniciado em agosto pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), numa parceria com o Sistema Estadual de Museus catarinense, o Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e a Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI).

O curso utilizou pela primeira vez, em caráter experimental, a plataforma virtual de aprendizagem Saber Museu, desenvolvida pelo Ibram, e foi voltado a 30 profissionais atuantes em museus, Pontos de Memória e Pontos de Cultura, além de pesquisadores na área do Patrimônio Cultural. As atividades a distância possibilitadas pela ferramenta foram complementadas por encontros presenciais mensais.

Participação e mesa-redonda
A exposição Vozes que pulsam foi elaborada num processo de curadoria compartilhada e educação colaborativa entre os participantes do curso. A partir de metodologias como o inventário participativo, o grupo reuniu pesquisas e registros que preservam e difundem iniciativas culturais sobre o patrimônio afro-brasileiro em território catarinense.

Referências culturais e patrimônios afro-brasileiros foram inventariados nas sete regiões museológicas do estado e serão apresentados em forma de imagens, fotos e vídeos. O conteúdo foi dividido em quatro módulos: Objetos e saberes, Formas de expressão, Lugares e Celebrações.

Para a abertura da exposição, estão programadas mesa-redonda sobre o tema Políticas Públicas e os negros no Brasil, a partir das 14h, e apresentação do Grupo de Capoeira Projeto Social do Mont Serrat, a partir das 15h30.

A mostra fica em cartaz no Palácio Cruz e Sousa, que abriga o Museu Histórico de Santa Catarina, até o próximo dia 25. A ideia é que, ao final deste período, torne-se itinerante, percorrendo diversos municípios catarinenses. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram

Museu da Abolição comemora o Mês da Consciência Negra

O Museu da Abolição/Ibram, em Recife (PE), promoveu na última quinta-feira (12) a Roda de Conversa Ancestralidade, tradição e cultura do Senegal e do Brasil. O encontro fez parte das ações programadas pelo museu em comemoração ao Mês da Consciência Negra. Realizado em parceria com o Instituto Histórico de Vitória de Santo Antão, a Roda de conversa contou com a participação do Consul Senegal – Ibrahima Gaye.

Também em comemoração ao Mês da Consciência Negra, o museu promoverá um Aulão/Espetáculo do Balé Afro Raízes, na sexta-feira (20) a partir das 19h. No dia 25, quarta-feira, realizará o debate Segurança pública e questões raciais – abordagem policial na perspectiva de jovens negros e policiais militares. E de 25 a 27, o museu realizará a 1ª Mostra Abolicine, com exibição filmes em torno de três temáticas: Memórias não contadas, Memórias silenciadas e Memórias Narradas. Esta ação, contará com a participação de convidados, que conduzirão debates em torno dos temas. Na programação os filmes Malunguinho, Zumbi Olinda 20, Cambinda, Histórias de Mandinga e Peleja, Retratos sem retoques e Pernamcubanos, entre outros.

O Museu

Museu da Abolição

Museu da Abolição

Criado em 1957, o Museu da Abolição – Centro de Referência da Cultura Afro-Brasileira está localizado no sobrado que foi sede do Engenho Madalena e residência do conselheiro abolicionista João Alfredo. Foi oficialmente inaugurado em 1983, com a exposição O Processo Abolicionista Através dos Textos Oficiais. Fechado em 1990, foi reaberto em 1996, no Dia do Patrimônio Cultural. O acervo dispõe de peças do cotidiano de senhores e escravos. Desde objetos ligados ao sincretismo religioso até aqueles utilizados no tráfico negreiro.

Consciência negra: Museu da Abolição inaugura ludoteca no Recife (PE)

Logomarca da nova ludoteca: brinquedos africanos

Logomarca da nova ludoteca: brinquedos africanos no Museu da Abolição

No Mês da Consciência Negra, o Museu da Abolição, vinculado ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e localizado em Recife (PE), traz uma programação diversificada, elaborada em conjunto com a Prefeitura da Cidade do Recife e o Instituto Histórico e Geográfico de Vitória de Santo Antão (PE).

Como parte da programação, o museu inaugura no sábado (22) sua Ludoteca, formada por brinquedos de origem africana.

Com recursos do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura), o projeto é pioneiro em museus pernambucanos e vai oferecer à população um ambiente de práticas lúdicas e educativas, onde serão tratadas várias questões e temáticas ligadas à cultura afrobrasileira.

O espaço conta com acessibilidade na tentativa de atrair e integrar todos os públicos, inclusive de pessoas com deficiência.

A proposta da série de eventos do Museu da Abolição é promover reflexões e debates sobre a condição social do negro no Brasil e as contribuições dos afrodescendentes na construção da sociedade e cultura brasileiras.

A programação, que teve início no dia 4 e segue até o dia 30 de novembro, traz exposições, rodas de diálogo, palestras, seminário, oficinas sobre temáticas afro, mostra sobre culinária de terreiro, e visita guiada ao circuito histórico em Recife relacionado ao legado africano, entre outras atividades.

Confira as atividades da segunda quinzena de novembro. Viste a página do Museu da Abolição para outras informações.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: Museu da Abolição/divulgação

Mês da Consciência Negra: liberdade de culto em debate no Museu da Abolição

Como atividade que marca o Mês da Consciência Negra, o Museu da Abolição/Ibram, no Recife (PE), realiza entre os dias 11 e 13 de novembro, das 19 às 21h, o seminário Liberdade de Culto e Legislação.

O seminário se propõe a analisar as relações entre o estado brasileiro e a liberdade de culto das religiões de matriz africana através da legislação. Também os dispositivos legais, desde o período imperial até a Constituição e a legislação ordinária contemporânea, estarão em pauta.

Para discutir o tema foram convidados a jurista Aurenice Lima, o Procurador de Justiça do Ministério Público de Pernambuco, Adalberto Vieira; a Capitã da Polícia Militar de Pernambuco Lúcia Helena; a Yalorixá Mãe Lúcia de Oyá; Eudes Cavalcante Pinto, do Terreiro Ilê Axé Obá Omin Dodê Ogum Megê; e Edjan Gomes Luma, do Terreiro Ilê Axé Alafin Xangô Abomim e Iemanjá Obá Sabá, ambos da cidade de Limoeiro.

As inscrições para participar do evento estão abertas até o dia 8 de novembro e podem ser feitas pelo endereço eletrônico mab@museus.gov.br. Confira a programação completa de novembro do Museu da Abolição em homenagem à Consciência Negra.

Texto: Divulgação Museu da Abolição

5º FNM traz painéis, conferência e homenagem à Consciência Negra nesta terça

A quinta edição do Fórum Nacional de Museus (FNM), que começou ontem (19), e segue até a sexta-feira (23), no Sesc Quitandinha, na cidade de Petrópolis (RJ), traz uma ampla programação para esta terça-feira (20).

Pela manhã, continuam os oito mincursos programados para esta edição, com temas de interesse para o setor museal, que seguem até amanhã (21). Todas as atividades relativas ao 5º FNM estão disponíveis no blogue do fórum.

Painéis
A partir das 14h, começam os painéis que, dentre outros aspectos, tratam de temas em torno dos 40 anos da Mesa de Santiago do Chile. No horário das 14h às 15h45, acontecem dois deles: A importância das informações para a construção das políticas públicas culturais e Museu e desenvolvimento humano.

O primeiro trata do papel do Sistema Nacional de Informação e Indicadores Culturais (SNIC) para o Plano Nacional de Cultura (PNC) e os planos setoriais será um dos assuntos, ao lado de outros específicos para o setor de museus, com o programa iMuseus e outras ações desenvolvidas pelo Ibram/MinC. Participam Américo Córdula (Secretaria de Políticas Culturais/MinC), Rose Miranda (CGSIM/Ibram) e o pesquisador da área Economia da Cultura, Leandro Valiati.

O segundo painel propõe um olhar para o museu como “estrutura multifacetada”, capaz de refletir memórias, patrimônios e discursos diversos, assim como a transformação do papel social dos museus nas sociedades contemporâneas. Participam Marcia Rolemberg (Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural/MinC), Luiz Antônio de Oliveira (Museu da Maré/RJ) e Silvia Alderoqui (Museo de las Escuelas/Argentina).

Das 16h às 17h45 acontecem os dois últimos painéis do dia. O painel O que estaremos comemorando nos 40 anos da Mesa Redonda de Santiago/Chile? vai questionar o papel dos gestores públicos, privados e do terceiro setor no desenvolvimento do setor museal e discutir a construção de redes de informações das políticas na América Latina. Cícero Almeida (DEPMUS/Ibram), Manuel Gándara Vázquez (Instituto Nacional de Antropología e Historia/México) e Maria Cristina Oliveira Bruno (Museu de Arqueologia e Etnologia da USP) farão parte da mesa.

Já o painel Memórias em movimentos tem como objeto de discussão os museus, movimentos e personagens políticos e possibilidades de interpretação do real. A mesa é composta por Adelina Coda (Museu Che Guevara/Argentina), Elenira Mendes (Casa Memorial Chico Mendes/AC) e Noaldo Ribeiro (Resgate da Identidade Cultural/PB).

Conferência
A partir das 18h30 começa a conferência 40 anos da Mesa Redonda de Santiago/Chile (1972) – Entre o idealismo e a contemporaneidade, tema do 5º FNM. Os museus da América Latina e o desafio de unir esforços para uma mudança de mentalidade, questionando ainda o papel dos museus como agentes de mudança social e de desenvolvimento. Participam Paula Assunção dos Santos (Reinwardt Academie/Holanda), Maria Célia Santos (Secretaria de Cultura/BA) e Tereza Scheiner (ICOM).

Consciência Negra
Além da programação oficial, o 5º FNM conta com espaços e eventos alternativos para entretenimento do público. Nesta terça-feira, em função do Dia da Consciência Negra, serão exibidos filmes em comemoração à data durante todo o dia no Espaço Ibram.

Capas de livros do poeta gaúcho Oliveira Silveira (1941-2009)

Às 15h50, haverá uma sessão de contação de história com Wellington Pedro, apresentando História de Ananse. Já às 18h, no palco do auditório, declamação das poesias de Oliveira Silveira, um dos autores brasileiros que refletiram sobre a questão da consciência negra, por Geanine Escobar Vargas. Fechando a noite, a apresentação Éreke – que significa máscaras no idioma africano yorubá – mistura dança, música e poesia.

O 5º Fórum Nacional de Museus é uma realização conjunta do Ibram/MinC e da Associação Brasileira de Museologia (ABM), e conta com o apoio do Sesc Rio, da TAM, Infraero, Organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação, Ciência e Cultura (OEI) e Prefeitura de Petrópolis. O evento tem o patrocínio da Petrobras, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Texto: Ascom/Ibram

 

Dia Nacional da Consciência Negra comemorado em museus ligados ao Ibram

Museus em todo o Brasil preparam programações especiais para o Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado no dia 20 de novembro. Com o objetivo de celebrar a memória e identidade afro-brasileiras e despertar reflexão sobre o tema, diversos museus da rede Ibram trazem exposições e outras atividades relacionadas à data.

Em Recife, Museu da Abolição tem programação especial

Em Recife (PE), o Museu da Abolição (MAB) realiza, entre os dias 19 e 24, a Semana da Consciência Negra: Memórias Afrobrasileiras, História e Educação. A programação inclui conferência, rodas de diálogo, mesas redondas, oficina, apresentações musicais e homenagens. Veja detalhes.

O museu exibe ainda, até o dia 1º de dezembro, a exposição Invernada dos Negros, de André Costantin e Daniel Herrera, que recebeu o 1º Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afrobrasileiras.

Cinema, e contação de histórias
No Museu Casa Histórica de Alcântara, no Maranhão, o Dia Nacional da Consciência Negra será celebrado com Cine Temático que aborda a data. A exibição acontece na terça-feira (20), a partir das 19h. Mais informações pelo e-mail mcha@museus.gov.br. No mesmo dia e horário, o Museu casa dos Ottoni, de Serro (MG), promove apresentação de dança afro. Informações pelo e-mail mrco@museus.gov.br.

Casa da Hera, em Vassouras, destaca contribuições afrodescentes no Vale do Café

No Museu Casa da Hera, em Vassouras (RJ), todos os projetos desenvolvidos no mês de novembro têm sido dedicado à Consciência Negra, como forma de reconhecer e dar destaque às importantes contribuições das tradições afrodescendentes para a cultura do Vale Histórico do Café.

O museu recebe ainda, na próxima sexta-feira (23), grupos de samba e jongo para falar sobre as raízes dessas tradições. Confira a programação completa.

Texto: Ascom/Ibram

Museu da Inconfidência (MG) prorroga Consciência Negra

Para celebrar o Ano Internacional da Afro-descendência, os 300 anos de elevação à Vila dos Arraiais, que originaram Ouro Preto, e o mês da Consciência Negra (novembro), o Museu da Inconfidência/Ibram prorroga a exposição O Negro na Formação de Vila Rica, Cultura e Religiosidade, que permanecerá em cartaz na Sala Manoel da Costa Athaide, Anexo I, até 19 de fevereiro de 2012. As visitas podem ser feitas das 12h às 18h.

Estão expostas imagens de santos e objetos ligados à cultura afro-descendente, ao sincretismo religioso e ao ofício dos negros na antiga Minas Gerais. As peças pertencem aos museus da Inconfidência, Histórico Nacional (RJ) e Regional de Caeté, bem como Arquidiocese de Mariana e colecionadores particulares de Minas Gerais.

O local está ambientado com a imagem do retábulo da Igreja de Santa Efigênia do Alto da Cruz que, segundo a lenda, foi construída por Chico Rei e a sua tribo recém-alforriada. O caráter marcante da presença do negro, sobretudo na exploração aurífera, rendeu a Vila Rica grande diversidade cultural e religiosa, cujas tradições, ainda nos tempos atuais, são mantidas, difundidas e preservadas. Saiba mais.

Fonte: Divulgação Museu da Incofidência

Museu da Inconfidência expõe objetos da cultura e religiosidade afrodescentes

Até 27 de novembro, o Museu da Inconfidência/Ibram, localizado em Ouro Preto (MG), segue com uma programação alusiva ao Mês da Consciência Negra, ao Ano Internacional dos Afrodescendentes, celebrado pela Unesco em 2011, e aos 300 anos de elevação à Vila dos arraiais que originaram Ouro Preto.

Imagem da Igreja de Santa Efigênia do Alto da Cruz

Na sexta-feira (25), às 20h, será aberta a mostra O Negro na Formação de Vila Rica, Cultura e Religiosidade, que permanecerá em cartaz na Sala Manoel da Costa Athaide (Rua Vereador Antônio Pereira, 33) até 29 de janeiro de 2012.

Estarão expostas imagens de santos e objetos ligados à cultura afrodescendente, ao sincretismo religioso e ao ofício dos negros na antiga Minas Gerais. A visitação é gratuita.

As peças pertencem aos museus da Inconfidência, Histórico Nacional (RJ) e Regional de Caeté (MG), bem como Arquidiocese de Mariana e colecionadores particulares de Minas Gerais. O espaço será ambientado com a imagem do retábulo da Igreja de Santa Efigênia do Alto da Cruz que, segundo a lenda, foi construída por Chico Rei e seu grupo recém-alforriado.

Na abertura haverá apresentações do Teatro de Bonecos Giramundo, com o espetáculo Os Orixás, do Grupo Samba de Raiz e do Congado de Nossa Senhora do Rosário e Santa Efigênia. Veja a programação completa de atividades aqui.

Texto e foto: Divulgação Museu da Inconfidência

Museu Regional de Caeté (MG) comemora Consciência Negra

O Projeto quinzenal Quarta Cultural do Museu Regional de Caeté/Ibram realiza, no dia 23 de novembro, uma edição especial em homenagem ao Dia Nacional da Consciência Negra – comemorado em 20 de novembro no Brasil.

Com o objetivo de informar o público escolar sobre o processo de formação do povo brasileiro, o museu levará ao auditório da Escola Estadual José Brandão, a palestra Família e Mestiçagens nas Minas do Séc. XVIII, ministrada pelo historiador e doutorando da Universidade Federal de Minas Gerais, Rangel Netto. O encontro será às 10h.

Já às 14h, o Museu Regional de Caeté exibirá o filme Besouro, dirigido por João Daniel Tikhomiroff, que retrata a história da luta dos negros contra a escravidão. A sessão tem entrada franca. Saiba mais.

Fonte: Divulgação Museu Regional de Caeté

Página 1 de 212