GTs apresentam propostas para o setor museal do RJ no Conexões Ibram

Após dois dias de apresentações e debates sobre alguns dos principais instrumentos de gestão oferecidos pelo Ibram ao campo museal brasileiro, em diálogo com a realidade local, o terceiro e último dia de Conexões Ibram Rio de Janeiro foi dedicado à discussão de agendas prioritárias para o setor museal fluminense em Grupos de Trabalho.


Durante toda a manhã e tarde, foram debatidos os temas Plano Estadual Setorial de Museus, Legado Cultural, iMuseus, Estatuto dos Museus e Estratégias de Fomento e Financiamento aos Museus.

Saiba mais.

Texto: ASCOM/Ibram
Fotos: Caru Ribeiro | SEC-RJ)

Palestra sobre Patrimônio em Risco abre 2º dia de Conexões Ibram Rio

Com fala do diretor do Departamento de Processos Museais do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) Cícero de Almeida, o segundo dia de Conexões Ibram no Rio de Janeiro começou com debate sobre um tema caro ao estado, que possui 254 museus e abriga uma dos mais significativos conjuntos de bens culturais musealizados do país.

Ao falar sobre a “Gestão de Riscos ao Patrimônio Musealizado Brasileiro”, o museólogo e diretor do Ibram destacou a necessidade de uma política indutora de segurança para o setor museal, que vem sendo amadurecida desde a criação da Política Nacional de Museus, em 2003.

A palestra suscitou discussão entre o público que compareceu ao Museu Histórico do Corpo de Bombeiros Militar do Rio de Janeiro, composto por profissionais da área museal das esferas municipal, estadual e federal, além de estudantes, professores e representantes de Pontos de Memória.

“Antes de toda a dificuldade técnica para o estabelecimento de políticas de segurança nos museus, há uma dificuldade comportamental”, explicou o diretor do Departamento de Processos Museais do Ibram. “Nossa proposta é trabalhar com uma noção mais ampla de segurança, lidando com planejamento para antever riscos. Ao mesmo tempo, o ideal é que a segurança seja um tema invisivel para quem visita o museu, que não interfira no acesso e fruição do acervo“.

A programação do segundo dia de Conexões Ibram no Rio de Janeiro prossegue com mesa sobre o programa Pontos de Memória. Acompanhe.

Debate sobre PNSM encerra primeiro dia de Conexões Ibram Rio

Considerado um marco na história do desenvolvimento do campo museal brasileiro, o Plano Nacional Setorial de Museus foi o tema da mesa final do primeiro dia de Conexões Ibram Rio de Janeiro.

A discussão sobre o tema, que atraiu a atenção do público presente ao Museu Histórico do Corpo de Bombeiros Militar do Rio de Janeiro, contou com a participação da coordenadora de Difusão e Desenvolvimento de Parcerias do Ibram, Ena Colnago, da assessora-chefe do Sistema Estadual de Museus do Rio de Janeiro (SIM-RJ), Lucienne Figueiredo, e da assessora da Superintendência de Museus da SEC-RJ, Marcia Bibiani.

Mais cedo, o público assistiu e participou de apresentação sobre o Estatuto de Museus com a museóloga Luciana Palmeira, do Departamento de Processos Museais do Ibram (DPMUS) e a coordenadora de Planejamento de Unidades Museológicas da Superintendência de Museus da SEC-RJ, Rafaela Zanete. A discussão sobre necessidade de adaptações ao Estatuto e ao próprio conceito de museu levantou o debate.

Saiba mais sobre Conexões Ibram Rio.

GT’s temáticos encerram o projeto Conexões Ibram em Rondônia

O último dia do Conexões Ibram Rondônia foi de discussão acerca dos temas Pontos de Memória, Fomento e Financiamento e Patrimônio Musealizado em Risco. Os grupos traçaram planos de trabalho para o fortalecimento do campo museal em Rondônia.

Adna Teixeira trabalhou os sistemas Siconv e SalicWeb e deu uma explicação geral sobre como cadastrar projetos nos sistemas. Tais Valente falou sobre Patrimônio Musealizado em Risco e atraiu, principalmente, estudantes de arquitetura e arqueologia do estado.

Representantes da sociedade civil, de grupos de capoeira e de instituições museais em Rondônia participaram do GT sobre Pontos de Memória, coordenado por Valdemar de Assis Lima. “O estado tem muitas comunidades indígenas, quilombolas e muita história, um grande potencial para os Pontos”, enfatizou Lima.

Os participantes do encontro saíram satisfeitos e com a expectativa de que o setor museal se desenvolva  a cada dia em Rondônia. “Foi um prazer receber o Ibram aqui e temos certeza que este foi o primeiro passo para uma parceria de sucesso entre o estado e o Ibram”, disse Nazaré da Silva, coordenadora do Cedoc/Biblioteca da Secretaria dos Esportes, da Cultura e do Lazer de Rondônia.

Três temas foram debatidos durante o 2º dia do Conexões Rondônia

O segundo dia do Conexões Ibram Rondônia começou com o tema Gestão de Riscos ao Patrimônio Musealizado, apresentado pela arquiteta Rafaela Felício (Ibram/MinC).

Felício destacou os principais riscos ao patrimônio por região, mapeados pelo Ibram com base em notícias veiculadas na imprensa; as ações de prevenção que as instituições devem tomar; a importância de um plano de gestão de riscos e de um programa de voluntariado.

Diante de questionamentos do público presente sobre como fazer reparos em pisos de edificações tombadas pelo Iphan, a arquiteta lembrou que no caso dessas construções, qualquer reforma deve ser autorizada pelo órgão.

Em seguida, Valdemar de Assis Lima, museólogo do Ibram/MinC falou sobre o Programa Pontos de Memória. Ele começou sua apresentação exibindo um vídeo sobre o tema, que emocionou os presentes e, em seguida, contextualizou o explicou em que consiste o Pontos de Memória.

Lima enfatizou que a pretensão é que o Pontos de Memória deixe de ser um programa e torne-se uma política pública, “A gente entende que o estado deve assegurar que o direito à memória seja democratizado”. Essa política público de direito à memória está sendo construída com os estados e municípios a partir do Conexões Ibram.

Para finalizar a apresentação dos temas, Adna Teixeira, da Coordenação de Fomento e Financiamento do Ibram falou sobre as formas de fomento e financiamento aos museus.

Ela explicou da importância do setor se articular junto aos deputados, para que estes proponham emendas parlamentares para a área dos museus e mostrou outras formas de atuação do Ibram, como o Programa de Fomento e Financiamento, que, em 2012 lançou dois prêmios e há previsão de outros lançamentos.

 

PNSM e Estatuto dos Museus encerram o primeiro dia do Conexões Rondônia

A tarde de terça-feira (18) começou com a apresentação sobre o Plano Nacional Setorial de Museus. Patrícia da Cunha Albernaz, Chefe da Divisão de Coordenação de Difusão e Desenvolvimento de Parcerias do Ibram/MinC falou sobre o processo de elaboração do PNSM, seus objetivos e sua importância para o fortalecimento do setor museal.

Ela reforçou a importância do 5º Fórum Nacional de Museus para discutir como será avaliado o PNSM, “os desafios de se implantar e avaliar o PNSM até 2014, quando acontecerá o 6º Fórum Nacional de Museus” e lembrou os presentes que o Fórum irá ser realizado em Petrópolis (RJ) de 19 a 23 de novembro. Leia aqui o Plano Nacional Setorial de Museus na íntegra.

Em seguida, foi a vez de Taís Valente, museóloga do Ibram/MinC apresentar o Estatuto dos Museus. Valente começou sua fala reforçando que o Estatuto é o marco regulatório do setor museal no Brasil e tem ingerência em todas as instituições do país. Ela falou dos princípios e ressaltou o intercâmbio institucional como forma de fortalecimento do setor. Explicou que o próprio Conexões Ibram é um tipo de intercâmbio institucional à medida que há trocas entre os técnicos do Ibram que vão aos estados e a comunidade local.

O Decreto que irá regulamentar o Estatuto dos Museus foi lembrado durante  toda a fala de Taís Valente. O decreto tem importância ímpar para a efetividade do Estatuto e a previsão é que seja sancionado ainda em 2012.

Taís Valente falou também sobre a importância do museu construir seu plano museológico e terminou sua apresentação falando sobre a importância de se apropriar do Estatuto. “Ele é um instrumento de proteção e fortalecimento do setor”, finalizou.

Saiba mais sobre Conexões Ibram aqui.

 

Ibram publica acordos de Cooperação Técnica feitos durante Conexões

O Instituto Brasileiro de Museus publicou, no dia 28 de agosto, no Diário Oficial da União (Nº 167, Seção 3, páginas 13), três extratos de acordos de Cooperação Técnica assinados com os estados visitados pelo Ibram no segundo semestre de 2012 durante eventos do projeto Conexões: Santa Catarina, Pará e Rio Grande do Sul.

O Acordo de Cooperação tem como objetivo a integração de competências e de recursos institucionais para o desenvolvimento de ações conjuntas que contribuam para o reconhecimento, o fortalecimento, a difusão, o fomento e o incentivo do setor museal de cada estado. A ênfase da cooperação está no fortalecimento do Sistema Brasileiro de Museus e do Sistema Estadual de Museus e sua articulação e também na implantação, monitoramento e avaliação do Plano Nacional Setorial de Museus e dos Planos Estaduais e Municipais de Museus, entre outros.

Com vigência de 60 meses a partir da de sua assinatura, os acordos poderão ser prorrogados por um período de 12 meses, mediante a celebração de Termo Aditivo, contanto que haja devida justificativa e não se altere do objeto do documento.

Desde março de 2012, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) percorre os estados do país conectando os museus brasileiros às novas políticas e instrumentos de gestão museais. Oito estados participaram no primeiro semestre de 2012 e, nos próximos meses, a programação segue para mais dez estados.  O projeto Conexões Ibram segue para Rondônia, dias 18 a 20 de setembro. Saiba mais.

Ibram aposta em novo sistema para melhorar acesso a dados sobre os museus

Karla Uzeda, chefe do Cadastro Nacional de Museus (CNM/Ibram), apresentou o projeto iMuseus na primeira palestra do Conexões Ibram ontem (21), em Porto Alegre (RS).

O projeto consiste em disponibilizar informações de qualidade “sobre os museus e para os museus”.

Além dos dados que constam no Informativo Temático RS, com um recorte da publicação Museus em Números sobre a realidade do estado, Uzeda (foto) falou ainda sobre o novo sistema que o Ibram desenvolve para as instituições museais.

“O novo cadastro vai possibilitar uma busca ágil por informações, além de permitir exportação de dados, geração de gráficos etc, ampliando o acesso de pesquisadores e interessados na área”, esclareceu. Ainda não há data para o nova versão do CNM entrar no ar. Continue lendo.

Pará abre Conexões Ibram no 2º Semestre com Acordo de Cooperação

Eneida Braga (esq.) e Carmen Cal assinaram termo de Cooperação Técnica

A abertura do projeto Conexões Ibram em Belém (PA) aconteceu na manhã de hoje (7), no Teatro Estação Gasômetro.

Com um público representativo, a abertura contou com a assinatura de termo de Cooperação Técnica entre o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) e a Secretaria de Estado da Cultura do Pará.

“O Pará demonstra interesse e tem contribuído com a ampliação das políticas públicas para museus”, elogiou Eneida Braga – diretora que representou o presidente do Ibram/MinC no evento.

Carmen Cal, diretora do Sistema Integrado de Museus (SIM) do Pará, representando o secretário de Estado da Cultura, assinalou a importância do Conexões no estado: “O acordo de cooperação assinado hoje com o Ibram deve ampliar a integração entre os museus do estado e a política federal. Poderemos contar com apoio para divulgação de nossa agenda em âmbito nacional e conhecer os caminhos para ampliar recursos”, ressaltou Carmen Cal.

Após a abertura, foram apresentadas as palestras iMuseus – construção de rede de informações do setor museal – e Patrimônio Museológico em Risco. O evento em Belém segue até amanhã (8). Veja a programação aqui. Acompanhe em tempo real a cobertura do Conexões Ibram Pará pelo Twitter @museusbr.

Leia a matéria completa no blogue do Conexões Ibram.

Última atualização: 13.8.2012

Projeto Conexões Ibram começa na Bahia no dia 21 de março

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) começa, a partir deste mês de março, a percorrer todos os estados do Brasil apresentando e discutindo as novas políticas e instrumentos de gestão para os museus brasileiros.

O projeto Conexões Ibram tem como objetivo construir uma agenda comum de trabalho, juntamente com os estados, para alavancar o setor de museus. 13 estados já estão com eventos confirmados para este ano. O primeiro a receber o projeto será a Bahia, entre os dias 21 e 23 de março. Saiba mais.

O evento de lançamento do projeto será no Museu de Arte da Bahia no dia 21 de março, a partir das 9h. Na mesa de abertura, estarão presentes o presidente do Instituto, José do Nascimento Junior, e o secretário de Cultura do Estado da Bahia, Albino Rubim, que assinarão um termo de cooperação para o desenvolvimento de ações conjuntas que contribuam para o fortalecimento, difusão, fomento e o incentivo do setor museológico no estado.

Em abril será a vez dos estados do Rio Grande do Norte, entre os dias 18 e 20, Ceará, do dia 23 ao 25, e Espírito Santo, de 26 a 28 de abril.

Estrutura
Cada evento terá dois dias de reuniões abertas, nas quais serão abordados temas estruturantes para a área museal, tais como estratégias de fomento e financiamento, Estatuto de Museus, patrimônio em risco, Pontos de Memória e construção de rede de informações museais.

Os temas que serão levados para os estados são:
• Programa iMuseus – Construção de rede de informações do setor museal
• Estatuto de Museus e novos instrumentos de gestão
• Plano Nacional Setorial de Museus e a participação do estado
• Patrimônio Cultural em Risco e a integração de ações públicas
• Programa Pontos de Memória
• Estratégias de Fomento e Financiamento aos Museus
• Legado Cultural para o setor museal – megaeventos esportivos

Além desses, os estados também têm sugerido outros tópicos de acordo com suas necessidades específicas. Já está no ar o blogue com toda a informação relativa ao Conexões Ibram.

Mais informações podem ser obtidas pelo endereço eletrônico conexoesibram@museus.gov.br ou pelo telefone (61) 3521.4035.

Texto: Ascom/Ibram