Pontos de Memória: Comitê Consultivo aprova regimento interno

Oficializado como política pública em 2017, o programa regulamentou a participação institucionalizada da sociedade em sua condução.

Oficializado como política pública em 2017, o programa regulamentou a participação institucionalizada da sociedade em sua condução.

Oficializado como política pública do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) pela Portaria nº 315, de 6 de setembro de 2017, o Programa Pontos de Memória regulamentou, em encontro de seu Comitê Consultivo realizado nos últimos dias 15 e 16, em Brasília (DF), a participação institucionalizada da sociedade em sua condução.

Criado pela portaria, o Comitê Consultivo do Programa Pontos de Memória é composto por representantes de pontos de memória de todas as regiões brasileiras, das redes temáticas e territoriais e dos pontos de memória considerados pioneiros, além de representantes de departamentos que integram a estrutura do Ibram e do presidente do órgão, que preside o comitê.

A instância colegiada, de caráter permanente, tem como função promover debates e propor ações, estratégias e diretrizes para o fortalecimento das políticas públicas voltadas à museologia social. O comitê se reúne duas vezes por ano, sendo uma reunião presencial e outra virtual.

Primeira reunião presencial do Comitê Consultivo, o encontro em Brasília (DF) teve como foco a leitura da minuta do Regimento Interno e apresentação de propostas ao texto, que foram discutidas e votadas pelos representantes presentes. Também foram aprovados no encontro cronograma de reuniões e agenda de trabalho do comitê, além de definidos encaminhamentos sobre temas e ações que contam com o apoio do Programa Pontos de Memória.