MinC divulga composição da CNIC para o próximo biênio

O Ministério da Cultura (MinC) divulgou, na última semana, a nova composição da Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC) para o biênio 2015/2016.

O colegiado é formado por 21 integrantes, sendo sete titulares e 14 suplentes, das seguintes áreas: artes cênicas (circo, dança, teatro, ópera); audiovisual; música; artes visuais (digital, design, moda, fotografia); patrimônio cultural (material e imaterial); humanidades (livros, periódicos, publicações) e empresariado nacional (multiprodutos).

Composto por representantes da classe artística, empresarial, sociedade civil e do Estado, a CNIC tem a função, entre outras, de analisar e oferecer pareceres para subsidiar decisões relativas à aprovação dos projetos culturais que se candidatam à captação de recursos de renúncia fiscal por meio da Lei Rouanet.

A escolha dos integrantes da CNIC é feita pelo ministro da Cultura, com base em uma lista de 42 nomes indicados por 28 entidades habilitadas. A seleção deve levar em conta, além das áreas temáticas, a representação das cinco regiões do Brasil.

A Comissão reúne-se mensalmente para avaliar os projetos. Seis reuniões são em Brasília e outras cinco itinerantes, sendo uma em cada uma das regiões do País. A posse e treinamento dos novos integrantes da CNIC estão programados para a primeira semana de fevereiro.

Confira a lista completa de integrantes e o calendário da comissão para 2015.

Texto: Divulgação/MinC
Edição: Ascom/Ibram

Bicentenário da morte de Aleijadinho é lembrado amanhã (18) em MG

A cidade de Congonhas (MG) se tornou conhecida em todo o mundo por abrigar a obra-prima de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho (1730-1814): os Passos da Paixão de Cristo e os 12 profetas em pedra-sabão.

Considerado pela Unesco Patrimônio Mundial, o cenário será palco para o ápice das celebrações pelo bicentenário de morte do artista mineiro na terça-feira (18) – data de seu falecimento em 1814. Às 12h, os sinos de Congonhas vão dobrar em sua homenagem.

Suposto retrato póstumo de Aleijadinho por Euclásio Ventura (século XIX)

Suposto retrato póstumo de Aleijadinho por Euclásio Ventura (século XIX)

No mesmo dia, pela manhã, acontece em Ouro Preto (MG) reunião da Comissão Aleijadinho, criada por Ibram e Iphan em agosto passado, assim como acontece o Seminário Aleijadinho e Os Próximos 100 Anos no Santuário Nossa Senhora da Conceição – que contará com a presença do presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo.

A Comissão Especial de Assessoramento sobre a obra de Antônio Francisco Lisboa, composta por três profissionais de notório reconhecimento nos aspectos histórico, artístico, tecnológico e jurídico-institucional, tem por objetivo subsidiar as instituições federais sobre medidas a serem adotadas para consolidar e promover o conhecimento e a proteção da obra do artista.

Um dos próximos passos para a preservação e divulgação do legado de Aleijadinho será a criação, através de convênio entre Ibram, Iphan e a prefeitura local, de um novo museu dedicado à obra do artista no município de Matosinhos (MG).

Na segunda-feira (10), Angelo Oswaldo já havia proferido, em São Paulo (SP), a palestra de abertura do Colóquio Aleijadinho 200 Anos, promovido pela Biblioteca Mário de Andrade, quando falou sobre o tema O significado de Aleijadinho para a cultura brasileira. Confira artigo de Oswaldo sobre Aleijadinho.

Iberê Camargo
A terça-feira também marca o centenário, neste caso de nascimento, de outro grande artista brasileiro, o pintor e gravurista gaúcho Iberê Camargo (1914-1994). Como parte das celebrações, a Fundação Iberê Camargo promove, de 19 a 21 de novembro, o seminário Iberê Camargo: século XXI, com três noites de debate a respeito da produção artística de Iberê e de seu legado. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: Internet/divulgação

Matéria relacionada
Comissão sobre a obra de Aleijadinho teve primeiro encontro em MG

Comissão sobre a obra de Aleijadinho teve primeiro encontro em MG

Criada no dia 18 de agosto, com a publicação da Portaria Institucional Nº 1, de 14 de agosto de 2014, a Comissão Especial de Assessoramento sobre a obra de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, foi instalada oficialmente na última quinta-feira (28), durante encontro em Belo Horizonte (MG).

Selo_Aleijadinho

Selo lançado pelos Correios em 1964 homenageia o mestre barroco

Participaram do encontro o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo, a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Jurema Machado, e especialistas designados para compor a comissão.

Durante a primeira reunião de trabalho, foram traçadas as linhas gerais de atuação da comissão, que terá como atribuição subsidiar as instituições federais sobre medidas a ser adotadas para consolidar e promover o conhecimento e a proteção da obra de Aleijadinho – considerado o maior expoente da arte colonial no Brasil.

Os resultados esperados do trabalho da comissão incluem a atualização e consolidação da biografia e das fontes documentais existentes sobre Aleijadinho; a proposição de metodologia para a produção de catálogo geral da obra arquitetônica, monumental e escultórica do artista; e orientações sobre o alcance jurídico dos estudos e das medidas sugeridas.

Levantamento
Na primeira etapa, o trabalho da comissão será concentrado em promover o levantamento de todas as informações e documentos disponíveis sobre a obra de Aleijadinho.

“Já determinei ao nosso Departamento de Processos Museais que promova o levantamento de todas as obras musealizadas de Antônio Francisco Lisboa, que se encontram em museus de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo”, explicou o presidente do Ibram , Angelo Oswaldo.

As atividades da comissão serão monitoradas pelo Departamento de Processos Museais do Ibram e pelo Departamento de Patrimônio Material e Fiscalização do Iphan. Os resultados serão reportados ao Conselho Consultivo do Iphan e ao Conselho do Patrimônio Museológico do Ibram.

Composto por três profissionais de notório reconhecimento na temática que será objeto de trabalho da comissão e tendo a historiadora da arte Myriam Andrade Ribeiro de Oliveira como consultora ad hoc, o grupo poderá solicitar o apoio de especialistas para o atendimento de seus objetivos.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: Divulgação/Internet

Matéria relacionada
Portaria interinstitucional cria comissão especial para a obra de Aleijadinho

Portaria interinstitucional cria comissão especial para a obra de Aleijadinho

Publicada hoje (18), no Diário Oficial da União, a Portaria Interinstitucional nº 1, de 14 de agosto de 2014, na qual o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), instituições vinculadas ao Ministério da Cultura (MinC), criam uma Comissão Especial de Assessoramento sobre a obra de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho (1738-1814).

Detalhe do Cristo carregando a Cruz: obra de Aleijadinho em Congonhas (MG)

Detalhe do Cristo carregando a Cruz: obra de Aleijadinho em Congonhas (MG)

O objetivo maior da comissão será subsidiar as instituições federais sobre as medidas a serem adotadas para “consolidar e promover o conhecimento e a proteção da obra do artista”, como a atualização e consolidação da bibliografia e das fontes documentais existentes; a proposição de metodologia para a produção de catálogo geral da obra de Aleijadinho; além de orientações sobre o alcance jurídico dos estudos e das medidas sugeridas, dentre outras possíveis tendo em vista a valorização e a proteção da obra do artista barroco mineiro.

A comissão será composta por três profissionais de notório reconhecimento dos temas, em especial nos aspectos histórico e artístico, tecnológico e jurídico institucional: Antonio Fernando dos Santos, Luciene Maria de Almeida Elias e Marcos Paulo de Souza Miranda.

A historiadora da arte e membro do Conselho Consultivo do Iphan, Myriam Andrade Ribeiro de Oliveira, será consultora ad hoc da Comissão, orientando os trabalhos da comissão, assim como reportando os resultados ao Conselho Consultivo do Iphan e ao Conselho do Patrimônio Museológico do Ibram.

A atuação dos membros da comissão, bem como da consultora ad hoc, será considerada prestação de “serviço público relevante” e não será remunerada. A comissão terá vigência de um ano e deverá apresentar relatórios parciais a cada três meses.

O monitoramento das atividades desenvolvidas ficará a cargo dos diretores do Departamento de Processos Museais do Ibram e do Departamento de Patrimônio Material e Fiscalização do Iphan. Caberá ainda às duas instituições arcarem com todos os custos necessários ao funcionamento da comissão, envolvendo deslocamentos, reprodução de documentos e outros, desde que devidamente justificados.

Texto: Ascom/Ibram
foto: Divulgação/Internet

Publicadas as comissões para seleção de diretores de museus Ibram

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) fez publicar hoje (16), no Diário Oficial da União (DOU), as portarias que nomeiam as comissões de seleção para diretores de seis museus federais ligados ao Ibram.

Museu Casa da Princesa (GO)

Museu Casa da Princesa em Pilar de Goiás

Cada comissão é composta por três membros, que irão receber e analisar a documentação enviada pelos 31 candidatos. Confira a composição das comissões.

Para a escolha dos novos dirigentes, serão levados em consideração critérios técnicos e objetivos de qualificação baseados na análise de currículo, Declaração de Interesse e de Plano de Trabalho.

Estão aptos a concorrer ao cargo servidores efetivos e não servidores que cumpram critérios como formação acadêmica em nível superior, experiência comprovada em gestão e conhecimento das políticas públicas do setor museológico e da área de atuação do museu. O prazo para a conclusão dos trabalhos está estabelecido para 28 de maio. Saiba mais.

Foram feitas Chamadas Públicas, que estiveram abertas entre os dias 12 de março e 7 de abril, para os seguintes museus: Museu Socioambiental de Itaipu, Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio e Museu Casa da Hera, todos localizados no estado do Rio de Janeiro; Museu Solar Monjardim, localizado em Vitória (ES); Museu Regional de São João del-Rei, em Minas Gerais; e as três unidades de museus Ibram em Goiás: Museu das Bandeiras e Arte Sacra da Boa Morte, na Cidade de Goiás, e Museu Casa da Princesa, em Pilar de Goiás. Conheça os museus.

Matéria relacionada
Ibram abre seleção para escolha de novos diretores em seis museus

CNIC autoriza mais de R$ 90 milhões para museus em novembro

A Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC) autorizou em sua 215ª Reunião, que aconteceu em Campo Grande (MS), entre os dias 5 e 7 deste mês, a captação de mais de R$ 92 milhões em projetos para a área de museus.

Foram aprovados cerca de R$ 60,7 milhões em projetos analisados pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) e outros  R$ 31,3 milhões em projetos analisados por outras vinculadas do MinC. Eles agora poderão captar recursos via mecanismo de renúncia fiscal (Lei Rouanet).

Os projetos aprovados se destinam a planos anuais de museus, ações de modernização, complementações orçamentárias, realização de exposições e até o desenvolvimento de um aplicativo móvel destinado à divulgação museal: Museu na palma da mão.

Formada por representantes da sociedade civil e do Estado, a CNIC é um órgão colegiado que tem a missão de subsidiar as decisões do Ministério da Cultura (MinC) na aprovação dos projetos culturais, com vistas a captação via renúncia fiscal. Ao todo, são 21 integrantes: 7 titulares e 14 suplentes das áreas de Audiovisual, Humanidades, Artes Cênicas, Artes Visuais, Empresariado Nacional, Música e Patrimônio. Saiba mais no portal do MinC.

Texto: Ascom/Ibram

Ministra pede recursos para museus em audiência na Câmara dos Deputados

A ministra da Cultura, Marta Suplicy participou, no dia 7 de novembro, de audiência na Comissão de Educação e Cultura (CEC) da Câmara dos Deputados, em Brasília, após café da manhã com a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Cultura.

Ministra da Cultura durante audiência na Câmara dos Deputados em Brasília

Suplicy, que assumiu a pasta no último dia 12 de setembro, pediu apoio aos deputados para ampliar as verbas destinadas à Cultura. Ela afirmou que o ideal seria não depender das Emendas Parlamentares, mas que o ministério precisa desse reforço financeiro.

Um dos pontos destacados foi a implementação de museus. “Estamos pedindo 250 milhões de reais para os museus. Todos os estados têm museus e precisamos de orçamento, principalmente para os estados que têm cidades-sede para a Copa 2014 ou que estejam até três horas das sedes”, esclareceu a ministra. “O visitante vê o jogo e depois vai passear: queremos que estes lugares tenham estrutura. A nossa parte no MinC é garantir isso”.

Museu Afro-Brasileiro
Marta Suplicy pediu também apoio à construção, em Brasília, de um museu destinado à cultura afro-brasileira, às margens do Lago Paranoá, terreno cedido pelo Governo do Distrito Federal (GDF). O deputado Stepan Nercessian (PPS-RJ), titular da CEC, se comprometeu com R$ 1 milhãopara a construção do Museu Afro em Brasília. Para o deputado, o gesto é simbólico: “O Museu Afro em Brasília não deve ser um projeto de uma bancada ou de um partido. Todos os deputados deveriam tirar algum dinheiro para ajudar nessa realização”, afirmou.

O Deputado Ângelo Carlos Vanhoin (PT-PR), suplente da comissão, ressaltou a importância da preservação da memória do país e do trabalho realizado pelo Insituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC).

Entre os presentes, representantes de autarquias e órgãos da Cultura, José do Nascimento Junior, presidente do Ibram, Andressa Pappas, coordenadora de Desenvolvimento Sustentável do Audiovisual, Eloi Araújo, presidente da Fundação Palmares/MinC, Jurema Machado, presidente do Iphan/MinC, e Sergio Mamberti, secretário de Políticas Culturais/MinC. Leia mais no portal do Ministério da Cultura.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Matéria relacionada
Marta debate orçamento na Câmara

Comissão da Câmara aprova emenda de R$ 400 milhões para museus

A Comissão de Educação e Cultura (CEC) da Câmara dos Deputados aprovou, na quarta-feira (23), emenda de R$ 400 milhões para apoio à área museológica.

A proposta será apresentada à Comissão Mista de Orçamento como emenda de comissão e destina-se ao fomento de instituições museológicas existentes, mas também à criação de novos museus e ao apoio a processos de produção e institucionalização da memória cultural nacional.

Para ser inserida na proposta do orçamento de 2012, que será votada pelo plenário, a emenda precisa ser aprovada pelo relator setorial e pelo relator geral da Comissão Mista de Orçamento. 

A emenda de apoio à área museológica foi uma das quatro escolhidas pela CEC, dentre dez opções apresentadas pelos deputados. As demais referem-se a educação (expansão da Rede Federal de Educação Profissional  e Tecnológica e complementação para revitalização de universidades federais) e instalação e modernização de bibliotecas públicas.

“As quatro propostas aprovadas refletem o pensamento dominante entre os membros da Comissão, qual seja, o de que é necessário pensar globalmente o país, deixando de lado questões mais regionais ou estaduais, as quais são contempladas pelas emendas individuais dos parlamentares”, destacou a deputada Fátima Bezerra, presidente da comissão, durante ato público em defesa da ampliação do orçamento da cultura. Leia mais.

A mobilização foi promovida pela Frente Parlamentar Mista em Defesa da Cultura no Congresso Nacional e pelas comissões de Educação, Cultura e Esporte da Câmara dos Deputados e do Senado Federal.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Câmara dos Deputados/divulgação