Página 1 de 212

Alcântara será sede de Encontro de Fotografia e Cinema

encontro de fotografia alcantaraNos dias 29, 30 e 31 de março, o município de Alcântara (MA) sediará o I Encontro Nacional de Educadorxs e Pesquisadorxs da Fotografia e Cinema. O evento irá promover o debate sobre as abordagens teórico-metodológicas do ensino contemporâneo em fotografia e cinema, assim como dos principais conceitos, noções e categorias que norteiam o pensamento e a prática de professores e artistas dessas linguagens.

Sob a temática “A fotografia e o cinema entre as escolas, as instituições de memória, os projetos socioculturais e a universidade: realidades e perspectivas”, o Encontro também pretende aferir ao certo o que está realmente sendo feito dentro de sala de aula e nos processos de ensino-aprendizagem. A programação inclui a realização de oficinas, palestras, grupos de trabalho, sessões de filmes e exposições fotográficas.

O evento ocorrerá em diversos locais da cidade de Alcântara. No Museu Casa Histórica de Alcântara (MCHA/Ibram) ocorrerá a Oficina ARTELab Imaginautas ministrada por GHustavo Távora, que será realizada em três encontros. Na sexta-feira pela manhã, GHustavo apresentará da Metodologia Imaginautas. Ele falará sobre a composição da imagem, dará dicas para uma fotografia criativa e comunicativa, além de mostrar ferramentas básicas das Câmeras dos Smartphones e de edição de fotográfica usando SNAPSEED.

Na sexta-feira à tarde, a oficina tratará sobre comunicação visual e diagramação criativa. Já no encontro de sábado de manhã, os participantes farão a produção do conteúdo de um blog e da produção da Mostra Coletiva de Artes ImaginautasNUPPI, que será apresentada no encerramento do Encontro.

Para participar da oficina, os interessados deverão fazer inscrição prévia pelo site do evento: https://www.doity.com.br/epfc

Documentário que retrata jardim do Palácio do Catete será exibido no MoMA

Filme retrata os vários momentos da história do jardim como uma metáfora das mudanças vividas nas últimas quinze décadas em temas como a preservação e difusão do patrimônio cultural e os modos de viver das grandes metrópoles.

Filme retrata os vários momentos da história do jardim como uma metáfora das mudanças vividas nas últimas quinze décadas em temas como a preservação e difusão do patrimônio cultural e os modos de viver das grandes metrópoles.

O documentário de estreia da roteirista, produtora e diretora brasileira Monica Klemz, Um Jardim Singular, gravado no jardim histórico do Palácio do Catete (Museu da República), será exibido no Museu de Arte Moderna (MoMA), de Nova York (EUA), no próximo dia 23, como parte da programação do festival Doc Fortnight 2019.

Única obra brasileira selecionada para o festival, o filme, lançado em 2017, aborda a singularidade do jardim do Palácio do Catete, antiga residência dos aristocratas Barão e Baronesa de Nova Friburgo que, a partir de 1887, tornou-se a sede do poder executivo brasileiro e residência oficial da Presidência da República, função que desempenhou até 1960 com a transferência da capital federal para Brasília e a criação do Museu da República, que abriu as portas no mesmo ano.

Metáfora e relações

O filme utiliza fotografias de arquivos, textos de jornais, e filmagens atuais para retratar os vários momentos da história do jardim como uma metáfora das mudanças vividas nas últimas quinze décadas em temas como a preservação e difusão do patrimônio cultural e os modos de viver das grandes metrópoles.

Um Jardim Singular passeia por um espaço verde nascido no Brasil Império escravocrata, berço da primeira República e patrimônio tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1938, no meio do caos urbano, e a forma como pessoas interagem com ele e como o espaço verde se desdobra em múltiplas facetas, do globalizante ao singular. O cenário foi escolhido pela diretora para tecer relações entre memória e globalização, monumento e modernidade, isolamento e espaço público na obra de ficção.

Desde lançado, o filme já passou por mais de 60 festivais internacionais em cinco continentes, como o Full Frame Documentary Film Festival 2018 (EUA) que, segundo Klemz, abriu as portas para a seleção do MoMA; e o Traverse City Film Festival 2018 (EUA) do renomado documentarista e ativista americano Michael Moore. A produção, iniciada em 2017, foi contemplada com o Edital Elipse 2017, da Fundação Cesgranrio, para fomento de curtas universitários.

Exibição gratuita

Um Jardim Singular terá também sua segunda exibição no Brasil em edição do Cineclube Museu da República com o tema Arquitetura e Urbanismo, a ser realizada no dia 28 de março, a partir das 18h. Também será exibido na ocasião o filme Pedregulho – O Sonho Possível, de Ivana Mendes. A diretora Monica Klemz estará presente na exibição para debate com o público. A participação é gratuita. Confira o trailer do filme e saiba mais sobre o jardim do Palácio do Catete.

Cineclube do Museu da República celebra o cineasta Glauber Rocha

O Cineclube Cinema e História Silvio Tendler, do Museu da República, no Rio de Janeiro (RJ), faz uma homenagem ao cineasta baiano Glauber Rocha amanhã (1º de agosto). O motivo é a comemoração dos 50 anos de lançamento do filme Deus e o diabo na terra do sol, indicado à Palma de Ouro do Festival de Cannes em 1964.

Glauber_LabirintoSerá exibido, às 18h30, o documentário Glauber, o Filme – Labirinto do Brasil, produzido em 2003, dirigido pelo cineasta Silvio Tendler. O filme faz uma radiografia do Cinema Novo, a partir das ideias de um de seus maiores ícones.

Antes, Silvio Tendler e o cineasta Sergio Santeiro falam sobre a vida e a obra de Glauber. O evento será mediado por Elizabeth Abel de Figueiredo, museóloga, historiadora e pesquisadora do Museu da República. A entrada é franca.

Conhecido como “o cineasta dos vencidos” ou “o cineasta dos sonhos interrompidos”, Tendler abordar em seus filmes personalidades como os ex-presidentes João Goulart e Juscelino Kubitschek,  ou o guerrilheiro Carlos Marighella. O cineasta já produziu cerca de 40 filmes, entre curtas, médias e longas-metragens.

O Museu da República localiza-se à Rua do Catete, 153 (estação de metrô Catete). Saiba mais.

Texto: Divulgação Museu da República
Imagem: Divulgação

Museu Imperial recebe programação de festival de inverno em Petrópolis

Entre os dias 19 e 27 de julho, o Museu Imperial integra a programação 2014 do 14º Festival de Inverno Dell’arte, que tem abertura no dia 18, às 20h, com concerto na Catedral de São Pedro de Alcântara, em Petrópolis (RJ).

Charles Chaplin como Carlitos: cinema mudo e música ao vivo em Petrópolis

Charlie Chaplin como Carlitos: cinema mudo e música ao vivo em Petrópolis

A primeira atividade no museu será uma das apresentações da série Concertos à Luz de Velas, com a  harpista Cristina Braga acompanhada do violinista Ricardo Amado e do contrabaixista Ricardo Medeiros.

A formação pouco usual do trio possibilita incursões tanto na música popular como na clássica. O concerto será no dia 19 de julho, às 18h, e a entrada custa R$ 24 – com direito à meia entrada para idosos e estudantes,

Além dos concertos noturnos, a programação também traz concertos diurnos, que acontecem ao meio-dia, e exibições de filmes – com algumas sessões acompanhadas de música ao vivo em homenagem aos 100 anos da estreia no cinema de Charlie Chaplin (1889-1977).

A doação de 1kg de alimento garante a entrada para as duas atividades, que terão lugar no Cine Teatro do museu. Confira a programação completa no Museu Imperial e a do 14º Festival de Inverno de Dell’arte.

Texto: Divulgação Museu Imperial
Edição: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Cinema e História: Museu da República inicia projeto audiovisual no RJ

Silvio Tendler debate com o público após sessão

No dia 1º de Abril, às 20h, o Museu da República (MR/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), inaugura seu novo espaço para cinema e debates com o lançamento do documentário Os militares que disseram não, de Sílvio Tendler, e mais quatro dias com exibição de títulos de diferentes diretores.

A sessão de abertura será em uma tenda montada no jardim do MR, com participação do diretor Sílvio Tendler e convidados. A entrada é franca.

Com apoio da Mostra de Cinema Marcas da Memória, da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, o Cineclube Cinema e História Sílvio Tendler será um espaço para exibição de documentários e debates.

As exibições, sempre gratuitas, acontecerão duas vezes por mês no Museu da República, quinzenalmente, com convidados especiais para conversarem sobre os temas dos filmes exibidos.

Cartaz do filme de Maria de Medeiros que integra a mostra do MR

Contra a ditadura
Realizado em 2013, o filme de Tendler que abre o projeto audiovisual é sobre os militares que lutaram pela constituição, pela legalidade e contra o golpe de 1964, e que até hoje buscam reconhecimento na história, pois a sociedade pouco ou nada sabe a respeito de militares perseguidos, cassados, torturados e mortos, por defenderem a ordem constitucional e uma sociedade livre e democrática. Confira o trailer do filme.

Já no dia 2 de abril será exibido outro título de Tendler. Advogados contra a ditadura trata do papel dos advogados na defesa dos direitos e garantias dos cidadãos durante a ditadura militar.

No dia 3, o público poderá assistir ao filme Repare bem, da atriz e cineasta portuguesa Maria de Medeiros. Vencedor do Kikito de Melhor Filme no festival de Gramado de 2013, conta a história de três gerações de mulheres envolvidas na luta contra a ditadura militar.

Eu me lembro, de Luiz Fernando Lobo, é documentário que tem exibição no dia 4. O tema são os cinco anos das Caravanas da Anistia  e reconstrói a luta dos perseguidos por reparação, memória, verdade e justiça.

A programação especial encerra-se no dia 5 com a exibição de Duas Histórias, com direção de Ângela Zoé. O filme mostra a trajetória de dois militantes socialistas, com experiências diferentes, na luta contra a ditadura militar brasileira.

As sessões entre os dias 2 e 5 de abril acontecem no auditório do Museu da República, sempre às 20h. Outras informações sobre o evento podem ser obtidas pelos telefones (21) 2127.0333/0328 ou pelo endereço eletrônico mr.imprensa@museus.gov.br.

Texto: Divulgação MR
Foto: Internet/Memória do Esporte

Sábado Russo ocupa Museu Lasar Segall amanhã (14) em São Paulo

Sábado Russo ocupa o museu e seu jardim neste sábado (14)

O Museu Lasar Segall/Ibram, em São Paulo (SP), recebe neste sábado (14), a partir do meio-dia, a terceira edição do Sábado Russo.

O evento acontece em torno do lançamento do quarto número da Kinoruss – revista eletrônica dedicada à pesquisa e publicação de textos teóricos e artísticos cujo eixo é o cinema russo. Em paralelo, oferece uma programação relacionada ao cinema e às artes russas.

O público interessado pela cultura russa terá acesso a uma série de atividades, entre elas lançamento de livros traduzidos para o português, sessão do filme Serguei Eisenstein: uma autobiografia; mesas de debate, além da  intervenção chef in gourmet art, de Silvia Corbucci, com releituras de clássicos da cozinha russa que serão comercializados. Veja a programação completa.

O Sábado Russo acontece de 12h às 19h e tem entrada gratuita. outras informações estão disponíveis na página do Museu Lasar Segall ou pelo telefone (11) 2159.0409.

Museus e centros culturais podem sediar mostra Cinema e Direitos Humanos

A 8ª edição da mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul está recebendo inscrições, até 11 de outubro, de instituições e espaços culturais que tenham interesse em fazer parte do evento – que acontece entre 26 de novembro e 20 de dezembro em todo o Brasil.

Realizado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, com produção da Universidade Federal Fluminense/Ministério da Cultura e patrocínio da Petrobras e  BNDES, o evento celebra, há oito edições, o aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948.

A Mostra dedica-se a apresentar filmes sul-americanos que discutem temas atuais de Direitos Humanos no nosso continente e tem pontos de exibição nas 26 capitais e no Distrito Federal. Pelo primeiro ano, a mostra será realizada também em até 1.000 espaços culturais do país, assumindo um caráter descentralizador e democrático.

Como participar e programação
A participação consiste na realização de pelo menos duas sessões de cinema, não sendo vedada a realização de mais sessões. Os locais de exibição habilitados poderão também realizar, se possível, sessões acessíveis de filmes com audiodescrição, dublagem e legendas e com tradução para Libras. A ficha de inscrição está disponível.

A instituição habilitada receberá, gratuitamente, o kit contendo os filmes, inclusive os das sessões acessíveis no que se refere a audiodescrição, dublagem e legendas, a serem exibidos.

A programação compreende uma seleção de filmes contemporâneos que, desde 2008, são também selecionados por meio de chamada pública, além de uma retrospectiva histórica, homenagens e programas especiais. Outras informações podem ser obtidas pelos telefones (21) 2629.9763 ou (61) 2025.3732/3950 ou no blogue da mostra.

Texto: Divulgação Secretaria do Audiovisual/MinC
Edição: Ascom/Ibram

 

 

Cinema e gastronomia no Museu da Inconfidência (MG)

Cinema e gastronomia é o tema do Cineclube Museu da Inconfidência/Ibram no mês de janeiro. No dia 20 será exibido Soul Kitchen (2009, 99min), do diretor alemão de ascendência turca Fatih Akin. A comédia foi indicada a melhor filme no European Film Awards e venceu o prêmio especial do Júri no Festival de Veneza.

Já no dia 21 será projetado o drama O Segredo do Grão (2007, 141min), do tunisiano Abdel Kechiche, grande vencedor do prêmio César de 2008, a maior honraria concedida anualmente aos filmes franceses.

As sessões são gratuitas e comentadas e ocorrem sempre às 19h no Auditório do Museu da Inconfidência (Anexo I. Rua Vereador Antônio Pereira, 33, Centro – Ouro Preto). Sinopses e mais informações aqui.

Texto e foto: Divulgação Museu da Inconfidência

Filme marca o 11/9 no M. da Comunicação Hipólito José da Costa (RS)

O Museu da Comunicação Hipólito José da Costa exibe neste domingo, 11 de setembro, às 19 horas, o filme Fahrenheit 11 de setembro, de Michael Moore, na programação do ciclo Cinema e História: Problemas Contemporâneos. Após a sessão, Leandro Balejos, professor de História, comanda o debate com o público presente. A entrada é franca.
O documentário – dirigido, escrito e estrelado pelo estadunidense Michael Moore – investiga as relações entre o presidente George W. Bush e Osama Bin Laden e as prováveis motivações que tornaram os Estados Unidos alvo de terroristas, com referências também à posterior invasão ao Iraque. O título faz alusão à “temperatura que arde a liberdade”. O filme levou a Palma de Ouro no Festival de Cannes em 2004.
O ciclo de cinema transcorre em 13 sessões de filmes, com encontros quinzenais, sempre aos domingos, às 19 horas, seguido de debates sobre questões contemporâneas retratadas nas produções, com a participação de alunos de graduação e pós-graduação, além de convidados especiais.
Inscrições e informações: hipólito-secretaria@sedac.rs.gov.br.

Fonte: Museu Hipólito José da Costa

Cineclube Museu da Inconfidência (MG) faz dois anos

O Cineclube Museu da Inconfidência completa dois anos de atividades no mês de agosto. Para comemorar, os espectadores serão presenteados com dois filmes sob a temática “O Cinema como filtro da vida”. Trata-se de celebrar o prazer de viver e ver a vida passar na tela.

No dia 19, sexta-feira, será exibida a comédia O Pequeno Nicolau, do diretor francês Laurent Tirard. Já no dia 26, será a vez de Contos da Era Dourada, de vários diretores – franceses e romenos. A comédia recria alguns dos mitos urbanos mais populares da Romênia durante os últimos 15 anos de regime ditatorial.

As sessões, gratuitas, são comentadas e ocorrem sempre às 19h, no auditório do Museu da Inconfidência (Anexo I. Rua Vereador Antônio Pereira, 33, Centro Histórico, Ouro Preto-MG). Sinopses e mais informações no blog www.cineclubemuseu.blogspot.com .

Fonte: Museu da Inconfidência (Ibram/MinC)

Página 1 de 212