Histórias e memórias dos museus Ibram em Goiás foram tema de palestra

Com quantas histórias se constrói a memória de um museu? No caso dos museus ligados ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) em Goiás, elas são muitas.

Stélia Braga durante palestra na sede do Ibram em  Brasília (DF)

Stélia Braga durante palestra na sede do Ibram em
Brasília (DF)

Com o tema Narrativas da memória: Goiás entre museus e muros simbólicos, Stélia Braga, diretora das três unidades Ibram no Estado, apresentou em Brasília (DF), na terça-feira (19), um recorte sobre como os museus também constroem suas memórias a partir da experiência local.

O Museu das Bandeiras, o Museu de Arte Sacra da Boa Morte e o Museu Casa da Princesa, respectivamente nas cidades de Goiás e Pilar de Goiás, ocupam edificações históricas nas cidades e, portanto, trazem consigo memórias que acabam por ser incorporadas e reinterpretadas.

Novas apropriações
O edifício do Museu das Bandeiras, por exemplo, que foi Casa de Câmara e Cadeia até o começo do século XX, esteve recentemente ocupado por uma ação de “cinema expandido”: a proposta foi levar ao público um ambiente imersivo, no qual se destacaram os temas do aprisionamento e do sofrimento. Saiba mais.

Stélia Braga chama de “novas apropriações sociais do patrimônio cultural” ações desse tipo, apontando que um olhar contemporâneo para o museu deve abarcar tanto questões relativas à ocupação bandeirante na região Centro-Oeste quanto “enfatizar as contribuições dos diversos segmentos sociais presentes neste processo”.

Já o Museu de Arte Sacra da Boa Morte tem também sua peculiaridade: mesmo estando sob a direção do Ibram, existe uma relação estreita com a Diocese de Goiás, por ter absorvido o acervo do antigo Museu da Cúria e ocupar a antiga Igreja da Boa Morte.

Museu Casa da Princesa/Ibram em Pilar de Goiás (GO)

Museu Casa da Princesa/Ibram em Pilar de Goiás (GO)

Peças do acervo são, ainda hoje, utilizadas em eventos religiosos da cidade. Diante de um acervo sacro-cristão, o museu visa também contribuir para a “promoção da dignidade humana, universalização do acesso e respeito à diversidade cultural e religiosa”.

Doações de moradores
“A memória de uma instituição fala muito da sua representatividade na comunidade”, acredita Stélia. E isso se adequa ao papel que o Museu Casa da Princesa ocupa em Pilar de Goiás.

A casa setecentista, que já foi morada de ex-combatente da Guerra do Paraguai e escola “Mobral”, ao se tornar museu ganhou também um personagem inesquecível: o zelador Antônio Gomes ‘Tição’. “Em seu trabalho de conformação do Museu Casa da Princesa montou coleções, promoveu o museu e manteve a manutenção da Casa”, diz nota do Ibram quando do seu falecimento ano passado.

Um ponto a mais na relação com a comunidade está na constituição do acervo. Desde os tempos de ‘Seu Tição’, a coleta de objetos e documentos entre os moradores tornou-se corriqueira. Com o volume de doações ao longo dos anos, o museu fez um levantamento recente do acervo enquanto pensa em uma nova expografia.

“É necessário estabelecer um diálogo com os diversos segmentos para ampliarmos nosso papel social. Esse é um desafio que enfrentamos diante da nossa própria memória institucional”, apontou Stélia ao final.

A atividade integra a programação da 11ª Primavera dos Museus, que acontece até domingo (24) em todo o Brasil.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Divulgação

Cultura afro, videoinstalação e minicurso ocupam o MUBAN durante o FICA 2017

A cidade histórica de Goiás (GO) recebe de hoje a 25 de junho, a 19º edição de um dos eventos mais importantes do calendário local: o Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA). Parceiro do festival, o Museu das Bandeiras (MUBAN), vinculado ao Ibram, volta a receber parte de sua programação, que se espalhará pela cidade.

Nesta terça-feira (20), dia da abertura do evento, o museu participa de sua programação com a videoinstalação Enxovia Forte. O projeto foi desenvolvido a partir de pesquisa realizada por alunos dos cursos técnico e superior em Audiovisual do Instituto Federal de Goiás (IFG) no arquivo do MUBAN.

Através de imagens e sons especificamente desenvolvidos para ser apresentados na sala da enxovia – espécie de antiga masmorra localizada na parte inferior do museu – a videoinstalação leva o visitante aos tempos de funcionamento da antiga Casa de Câmara e Cadeia que o prédio abrigou originalmente. A videoinstalação permanece em cartaz durante todo o período do FICA.

Na quarta-feira (22), a partir das 9h, a programação do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental inclui roda de conversa e um café da manhã para abertura da exposição fotográfica Diálogo entre Tempos, que remete à história da cidade de Goiás a partir da memória do cidadão vilaboense.

Religiosidade africana e Direito à Memória - A religiosidade de matriz africana também ocupará o museu como parte do “FICA na Comunidade”: também no dia 22, às 14h, o MUBAN recebe o Fórum de Comunidades Religiosas de Matrizes Africanas da Cidade de Goiás.

Com o tema “Sustentabilidade das Comunidades Religiosas de Matrizes Africanas da Cidade de Goiás”, o fórum terá apresentação de políticas públicas, leis e projetos focados na valorização e respeito das comunidades e suas religiões. Serão convidadas representações das 22 comunidades religiosas existentes na região da Cidade de Goiás.

Nos dias 22 e 23, a diretora do Museu das Bandeiras, Stélia Castro, será ainda uma das ministrantes do minicurso “O Direito à memória e as lutas sociais do campo”, que também contará com a participação de Janaína Sevá (UFG), José Roberto Novaes (UFRJ) e Ricarda Canozo (UNICAMP). Confira a programação completa do FICA 2017.

Museu das Bandeiras recebe atividades do Festival FICA

A Cidade de Goiás recebe, até o dia 21 de agosto, o Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental – FICA. Nesse período Museu das Bandeiras recebe algumas atividades apoiadas pelo evento e não cobrará ingresso dos visitantes.

Idealizado por Luiz Felipe Gabriel, Jaime Sautchuk, Adnair França e Luís Gonzaga, o Fica despontou em 1999 como marco de um novo momento da cultura em Goiás, sob a coordenação geral do cineasta João Batista de Andrade. A pouco mais de dois meses da data de sua realização (2 a 6 de junho de 1999), João Batista produziu o regulamento, estabeleceu a premiação – cada prêmio homenageia uma personalidade da cultura goiana – e criou o formato final do festival, entre outras providências.

Nos dias 17, 18 e 19 o Museu das Bandeiras receberá, das 9h às 12h em seu pátio, a oficina de dança Corpo, Ambiente e Movimento, com a professora Eliete Miranda, da companhia Corpafro, do Rio de Janeiro. O projeto Juventude, Corpo e Ambiente é quem traz essa iniciativa para o museu.

No dia 20, a partir das 17h30min, o MuBan recebe o Sarau das Nascentes, evento realizado por moradores e artistas da cidade para alertar de forma poética sobre a questão da água na Cidade de Goiás. O evento contará com performances, música e declamação de poesias, além de projeção de imagens de nascentes da região.

A programação completa do festival está disponível aqui.

MuBan comemora aniversário de Goiás com mostra ‘Saiu no Jornal’

mubanA cidade de Goiás foi capital do estado desde sua fundação, em 1727 até 1937, quando foi fundada a nova capital, Goiânia. Desde então, todos os anos, em comemoração ao aniversário da cidade de Goiás, o município recebe o governador e volta a ser sede simbólica do Governo. A data é marcada com festejos e é para comemorar esse dia que o Museu das Bandeiras preparou a exposição Saiu no Jornal – 289 anos de notícias da cidade de Goiás, formada por registros do período de transição.

Entre os dias 23 e 25 de julho, a exposição será montada na Praça do Coreto, onde acontece a cerimônia de transferência da capital. Após essa data, a mostra passa a ocupar o pátio interno do Museu das Bandeiras e segue até 31 de agosto.

A exposição conta com reprodução de fotos, recortes de jornais e documentos que fazem parte do arquivo do Museu das Bandeiras e agora estão à disposição para que o público possa conhecer um pouco mais sobre esse importante momento político da história do estado.

O MuBan funcional de terça a sexta, 9h às 12h e 13H às 17h; aos sábados das 13h às 17; domingos e feriados das 9h às 13h.

Museu das Bandeiras recebe mostra “Memória das Mulheres Coralinas”

Foto: Divulgação MUBAN

Foto: Divulgação MUBAN

O Museu das Bandeiras recebe, até 31 de março, a exposição “Memória das Mulheres Coralinas: fotografias e objetos”. A mostra apresenta fotos, objetos e peças artesanais produzidas ao longo do processo de aprendizagem, entre 2014 a 2016, pelas mulheres integrantes do Projeto Mulheres Coralinas, realizado pela Prefeitura Municipal de Goiás e a Secretaria de Políticas para as mulheres, vinculada ao Ministério das Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.

O objetivo da exposição é divulgar o processo vivenciado pelas mulheres ao longo da execução do Projeto. A mostra é composta por 27 fotografias, tamanho 30×40, em moldura preta. O tema são as mãos das mulheres participantes nas oficinas. Segunda as curadoras Ebe Maria de Lopes Siqueira e Geovana Lopes “as fotografias constituem arte, que valoriza a condição feminina e, ao mesmo tempo, é documento de um momento singular proporcionado pelo Projeto, que foi o encontro entre a formação para o trabalho, cultura por meio das leituras da obra de Cora Coralina, e conhecimento sobre o patrimônio histórico e cultural de Goiás”.

A exposição também é composta por objetos que revelam o processo de criação das Mulheres Coralinas: argila, palha, tecidos de tamanhos variados e botões. O Museu das Bandeiras fica na Praça Dr. Brasil Ramos Caiado, na Cidade de Goiás.

 

Museu das Bandeiras: presidente do Ibram participa de oficina em Goiás

Neste fim de semana (13 e 14 de setembro), o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo, e a diretora do Departamento de Patrimônio Imaterial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Celia Maria Corsino, estarão em Goiás (antiga Cidade de Goiás).

Eles irão participar de uma oficina organizada pelo diretor dos três museus Ibram na região, Renan Martins, cujo intuito é definir diretrizes para a nova museografia do Museu das Bandeiras – cuja reforma está em sua fase final.

Igreja da Boa Morte em Goiás: Museu de Arte Sacra receberá melhorias

Igreja da Boa Morte em Goiás: Museu de Arte Sacra receberá melhorias

O museu ocupa a antiga Casa de Câmara e Cadeia da Província de Goyaz, prédio cuja construção foi finalizada em 1766, seguindo projeto da Coroa Portuguesa. Criado em 1949, teve como núcleo inicial do acervo o arquivo documental da Delegacia Fiscal do Tesouro Nacional (Fazenda Pública).

Esse conjunto de documentos representa uma das fontes de informação mais importantes sobre a administração pública da região Centro-Oeste durante o período colonial, imperial e republicano. Atualmente, o acervo é composto por 573 peças, incluindo objetos de arte sacra, mobiliário, vestuário, armamentos e utensílios domésticos.

Segundo Angelo Oswaldo, a nova proposta para a exposição permanente do museu deve retomar referências ao uso primeiro do edifício no período colonial, destacando ainda elementos do ciclo do ouro goiano.

O convite a Celia Corsino se deu, especialmente, por ter sido a museóloga responsável pela primeira expografia do Museu das Bandeiras. Ainda participam da oficina a superintendente do Iphan no estado de Goiás, Salma Saddi, as secretárias de Cultura e Turismo de Goiás, e um representante dos guias de turismo da cidade.

Boa Morte
Além do Museu das Bandeiras, o presidente do Ibram visita a igreja de Nossa Senhora da Boa Morte, onde está instalado o Museu de Arte Sacra, que  pertence à Diocese de Goiás, mantido e administrado pelo Ibram, e que deverá entrar em obras em breve. O acervo é constituído de mais de 900 peças, entre objetos litúrgicos, prataria e obras do escultor e pintor goiano José Joaquim da Veiga Valle (século XIX).

“Ainda estamos na fase de planejamento da reforma. Recebemos ontem (11) a vistoria do Iphan no edifício histórico para que, então, o projeto venha a ser concluído”, esclarece Renan Martins. Quanto a reabertura do Museu das Bandeiras, o diretor dos museus Ibram no estado informa não haver ainda data definitiva.

“A obra deve ser finalizada no final deste mês. Mas somente após o cumprimento de procedimentos administrativos, assim como a montagem da nova exposição permanente, é que o Museu das Bandeiras estará pronto para receber o público outra vez”, finaliza.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação/Internet

Museus Ibram com ampla programação durante a Semana de Museus 2013

Os 30 museus federais que integram a estrutura do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) estão com uma programação variada durante a 11ª Semana de Museus – que acontece de 13 a 19 de maio em todo o país.

Confira a seguir destaques de atividades em cada um dos museus e acesse a programação completa no guia online ou nos canais dos museus na internet – basta clicar no nome do museu.

Espírito Santo (ES)

Museu Solar Monjardim
- Exposição Meio Ambiente, pinturas da artista plástica capixaba Denise Moraes, seguida de atividades educativas relacionadas às questões da preservação, voltada ao público escolar. De 14 de maio a 16 de agosto.

Museu de Biologia Prof. Mello Leitão
- Oficina de Desenho Caderno de Viagem. O desenho como forma de registro, comunicação e manifestação artística. Atividades teóricas e práticas. Saída artística pelo museu. Dias 16 e 18 de maio às 8h.
- Visita orientada ao parque, abordando questões de conservação da Mata Atlântica. De 14 a 19 de maio.

Goiás (GO)

Museu das Bandeiras/ Museu de Arte Sacra da Boa Morte/ Museu Casa da Princesa
- Exposições itinerantes:  A cadeia que virou museu. Museu das Bandeiras. De 13 de maio a 4 de agosto. A igreja que virou museu. Museu de Arte Sacra da Boa Morte. De 15 de maio a 31 de agosto. A casa que virou museu. Museu Casa da Princesa. De 15 de maio a 4 de agosto.

Maranhão (MA)

Museu Casa Histórica de Alcântara
- Cortejo O Museu vai à Rua, saindo da Praça Deodoro até a Praça João Lisboa com os Museus de São Luis e Alcântara. Exposições e atividades na Praça João Lisboa. Dia 14 de maio.

Minas Gerais (MG)

Museu da Inconfidência
- Exposição Natureza de Burle Marx: esculturas, pinturas e gravuras. Até 26 de maio. Saiba mais.
- Exposição Arte, cor e fé apresenta aspectos culturais da religiosidade dos mineiros. De 13 de maio a 18 de setembro.
- Apresentação musical Um quinteto de cordas, com participação especial do músico argentino Rufo Herrera. Entrada Franca. Dia 18 de maio às 18h .
- Entrada gratuita na exposição de longa duração do museu com horário estendido até às 20h, para comemorar o Dia Internacional de Museus. Dia 18 de maio.

Museu do Diamante
- Apresentação de abertura com o Grupo Cais da Bahia de Diamantina, resultado da Oficina de Capoeira permanente do museu. Dia 13 de maio às 19h.
- Exposição Livro de Artista, coleção especial da Universidade Federal de MG, que trata de um conceito expandido de obras literárias. Livros criados por artistas plásticos com matérias diversos e linguagem poética. De 13 a 19 de maio.
- Oficina Museu numa caixa de sapato: memória e patrimônio da comunidade. Visita a Palha, onde serão identificadas memórias, objetos, iconografia e relatos, desmistificando museu como lugar de “coisas velhas”. De 14 a 16 de maio.

Museu do Ouro
- Ação educativa com estudantes e grupos culturais de Sabará em noite de sarau no museu, em homenagem aos 60 anos do livro Romanceiros da Inconfidência, de Cecília Meireles. Entrada Gratuita. Dia 17 de maio às 18h.
- Visitação gratuita ao museu no dia 17 de maio.

Museu Regional de São João Del-Rei
- Exposição 300 anos de História e Mudança Social do Museu. Mostra organizada em comemoração ao tricentenário de criação do município. De 16 a 31 de maio.

Museu Regional Casa dos Ottoni
- Exibição de filmes para a comunidade (Cine-Museu). De 13 a 17 de maio às 9h.
- Visita Guiada no horário noturno. De 13 a 16 de maio das 19h30 às 21h.
- Espetáculo Teatro de Sacada, que retrata momentos históricos importantes da cidade de Serro. Dia 16 de maio às 19h30.

Museu Regional de Caeté
- Exposição itinerante de imagens de peças do acervo do museu. De 13 a 17 de maio.

Pernambuco (PE)

Museu da Abolição
- Exposição As Águas da Memória, a Rota do Ex-Cravizado, da artista plástica Inêz Oludé. De 13 a 31 de julho. Entrada franca.

Rio de Janeiro (RJ)

Museu da República
- Abertura dos espaços expositivos Gerador da Usina do Catete e Bistrô do Museu. Dia 14 de maio às 17h.
- Seminário VIII Jornada Republicana: museu (memória criatividade) = transformação social. Dia 17 de maio às 14h.

Museu Palácio Rio Negro
- Espetáculo Teatral sobre a memória dos tipos populares e seus costumes em releitura criativa para estimular a mudança dos costumes, a mobilização e a justiça social. Dia 18 de maio, às 17h.

Museu Histórico Nacional
- Visita guiada Circuito Histórico-Cultural De Fortaleza a Museu: observando as transformações ao seu entorno. Partindo do conjunto arquitetônico do MHN, a visita passará por alguns pontos históricos do centro do Rio de Janeiro. Dia 18 de maio às 14h.

Museu Imperial
- Curso de Capacitação para Guias de Turismo com registro na Embratur. Evento gratuito De 13 a 15 de maio.
- Mesa redonda Abolição em revista e abertura da exposição A simbologia da camélia na história e na arte. Dia 13 de maio às 14h. Entrada franca.
- Exposição Paisagem petropolitana. Mostra comemorativa aos 170 anos da cidade de Petrópolis e aos 70 anos de inauguração do Museu Imperial. Entrada franca dias 18 e 19 de maio. Saiba mais.
- Concerto com o Coral Dó Ré Mi. Dia 18 de maio, às 15h. Entrada franca.
- Visitação ao Palácio Imperial. Dias 18 a 19 de maio. Entrada Franca.

Museu Nacional de Belas Artes
- Palestra A Primeira Missa na visão de Victor Meirelles e Candido Portinari, com o crítico de arte Israel Pedrosa. Dia 14 de maio às 15h. Entrada franca.
- Visita guiada Itinerário da Memória. Caminhada cultural. Dia 16 de maio às 14h.
- Visita mediada para o público infanto-juvenil à exposição Quando o Brasil amanhecia. Dia 17 de maio às 10h30.
- Visita mediada Projeto Todo mundo no museu. Galeria de Arte Brasileira do Século XIX. Dia 18 de maio às 15h.

Museus Castro Maya
- Visita mediada à exposição Amigos da Gravura 2013 e lançamento do livreto Museus Castro Maya para professores – volume 2, com palestra dos autores e distribuição do material aos participantes. No Museu da Chácara do Céu. Dia 14 de maio às 14h. Entrada franca.

Museu Villa-Lobos
- Mesa redonda Villa-Lobos na Era Vargas (1930-1945): educação musical e identidade nacional. Dia 15 de maio às 19h.
- Mini-concerto didático Família Henriques. Música de Villa-Lobos e outros compositores. Dia 16 de maio às 14h.
- Espetáculo musical interativo Brinquedos Cantados. Músicas, danças e brincadeiras extraídas da cultura popular brasileira com o Grupo Céu na Terra. Dia 17 de maio às 14h. Entrada franca.

Museu Casa de Benjamin Constant
- Reunião com instituições culturais do bairro de Santa Teresa com o objetivo de se criar uma Rede de Cultura local. Dia 16 de maio às 10h.
- Visita mediada à exposição de longa duração e ao parque dentro dos circuitos Família, República e Meio Ambiente. De 13 a 19 de maio.

Forte Defensor Perpétuo de Paraty
- Evento relacionado ao dia da abolição da escravidão no Brasil. Exibição de filmes e oficina de maracatu. De 13 a 19 de maio.
- Abertura da exposição de máscaras do mestre paratiense Natalino de Jesus Silva, debate sobre a tradição de máscaras e bonecos de Carnaval na cidade e encerramento da oficina de máscaras dos alunos da Escola Municipal Maria Jácome de Melo, do Corisco. Dia 15 de maio a partir das 10h.
- Roda de conversa com o tema A escravidão em Paraty em debate. Presença de Cássio Ramiro Mohallem Cotrim, autor do livro Villa de Paraty e convidados. Dia 17 de maio às 15h.

Museu de Arte Religiosa e Tradicional
- Visita orientada ao Mart, com distribuição de jogos educativos sobre a 11ª Semana de Museus. De 14 a 17 de maio.
- Mini oficina de capoeira, composta por uma parte teórica. dias 15 e 17 de maio às 14h30.

Museu de Arqueologia de Itaipu
- Exibição do vídeo Rede de Memória: Tradição Pesqueira em Itaipu, que retrata a história da atividade da pesca tradicional na região. De 13 a 19 de maio às 10h.
- Roda de capoeira realizada por profissionais da Associação da Comunidade Tradicional de Engenho do Mato. Dia 18 de maio às 10h.

Museu Casa da Hera
- Encontro com artesãos para a 2ª mostra Inspiração e Expressão, que visa estimular o artesanato de identidade regional. Dia 14 de maio às 9h.
- Visita mediada ao museu, com peças especialmente expostas para o evento. De 14 a 19 de maio.
- Show musical com Quarteto de Flautas do PIM – Programa de Integração pela Música. Dia 17 de maio às 16h.

Rio Grande do Sul (RS)

Museu das Missões
- Minicurso Introdução à Conservação Preventiva com Micheli Martins Afonso – estudante do Bacharelado em Conservação e Restauro da Universidade Federal de Pelotas. Dia 16 de maio às 9h.
- Cerimônia de Reconhecimento e Mérito Comunitário aos participantes do Projeto Sabores e Saberes Missioneiros: experiências femininas e patrimônio imaterial em São Miguel das Missões/RS. Ponto de Memória Missioneira. Dia 19 de maio às 9h.

Santa Catarina (SC)

Museu Victor Meirelles
- Projeto Encontro com o Artista e abertura da exposição Palavras Fluidas de Érica Kaminishi. Dia 15 de maio às 18h.
- Projeção de vídeos ao ar livre no Largo Victor Meirelles. Dia 16 de maio às 19h.
- Oficina sobre Educação Patrimonial e Educação Ambiental. Dia 17 de maio às 14h.

São Paulo (SP)

Museu Lasar Segall
- Encontro Educação em museu pelos educadores: transformação social existe? com educadores de instituições culturais de São Paulo para refletir sobre a condição do museu e da prática educativa. Dia 13 de maio às 14h.
- Encontro de Arte Moderna e Contemporânea. O Museu Lasar Segall, a Bienal de São Paulo e instituições culturais da cidade são convidados para um debate. Dia 18 de maio às 10h.
- Teatro para bebês de zero a 3 anos (acompanhados de pais ou responsáveis). Tem o objetivo de ampliar o acesso da primeira infância aos espaços públicos culturais. Dia 19 de maio às 15h.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Banco de imagens Ibram
Última atualização: 14.5.2013

Museu das Bandeiras (GO) comemora 8 de março com Bordando Cidadania

No dia 9 de março, o Museu das Bandeiras/Ibram comemorou o Dia Internacional da Mulher (8 de março) com cinco internas da Unidade Prisional de Goiás. Dentro da cela, por meio de dinâmicas de grupo, refletiu-se sobre a condição feminina e sobre a convivência carcerária. A seguir, uma torta em homenagem às mulheres foi partilhada pelo grupo.

A atividade é parte do Projeto Bordando Cidadania, desenvolvido desde 2008 pelo Museu das Bandeiras em parceria com a Cabocla Criações – empresa da Cidade de Goiás.

O museu, que ocupa uma antiga Cadeia Pública, entre os anos de 1766 e 1950, desenvolve o projeto como forma de inserir o uso de tecnologias artesanais e sustentáveis na práxis museal e também uma maneira de se fazer cumprir a missão social do museu enquanto agente transformador da sociedade.

Desde a sua criação, o projeto tem levado às internas e algumas egressas oportunidade de profissionalização, geração de renda e remissão de pena, além de contribuir para a recuperação e elevação da auto-estima.

Atualmente, o Projeto também atende a alguns internos e seus familiares, todos atraídos pela garantia de sustentabilidade e possibilidade de re-inserção social e de permanência no mercado de trabalho. Saiba mais.

Fonte: Divulgação Museus Ibram em Goiás

Muban comemora 61 anos com debates e exposições

Mesa-redonda debaterá Memória e Resistência
 
     
 

Neste sábado, dia 4, o Museu das Bandeiras (Muban) comemora 61 anos de existência com diversas atividades. Localizado em Cidade de Goiás (GO), o museu é vinculado ao Ibram/MinC.

A partir das 9h30 será realizada a mesa-redonda Memória e Resistência. Participarão dos debates a museóloga e professora da Universidade Federal de Goiás (UFG), Ana Karina Oliveira Rocha; a cientista social e educadora do Museu das Bandeiras, Claudimeire Vieira; o professor da Universidade Estadual de Goiás (UEG), frei Paulo Cantanheide; o historiador Paulo Sérgio Ferreira; e o historiador e fotógrafo Samuel Vaz.

Como parte das comemorações, serão lançados dois eventos culturais: a exposição fotográfica Contrastes do Olhar – Goiás sob um olhar negro, de Samuel Vaz, no Salão Vintém de Cobre; e a exposição de projeções fotográficas Negra Luz, de Patrícia Mousinho, na Sala Multimídia. O foco das mostras são as populações tradicionais de Goiás, afro-descendentes.

O museu – Criado em 1949, o Museu das Bandeiras (Muban) tem a missão de preservar, pesquisar e comunicar a memória nacional relativa à ocupação bandeirante na região Centro-Oeste do Brasil. O museu ocupa a antiga Casa de Câmara e Cadeia da Província de Goyaz. Ao longo de sua história, a Casa passou por uma série de intervenções físicas. A maior delas ocorreu entre julho de 2004 e outubro de 2006, período no qual o museu esteve fechado à visitação pública para realização de uma reforma, feita pelo Programa Monumenta. Entre os anos 2003 e 2010, o museu recebeu 75.960 visitantes.

O museu localiza-se na Praça do Chafariz, Cidade de Goiás (GO). Tel.: (62) 3371-1087. Email: muban@iphan.gov.br.

Museu das Bandeiras participa do VI Encontro de Corais

O Coral do Instituto Federal de Goiás (IFG) de Goiânia se apresentará no Museu das Bandeiras no dia 09 de outubro, sábado, às 11 horas. A apresentação faz parte da programação do VI Encontro de Corais da Cidade de Goiás – Darcília Amorim. O evento é composto ainda por outras apresentações e oficinas que acontecem em vários locais da cidade.

O Museu das Bandeiras fica na Praça Dr. Brasil Ramos Caiado (Praça do Chafariz), s/n – Setor Central – Cidade de Goiás-GO.  

Confira abaixo o programa da apresentação:

Regente – Vinicius Carneiro;
H. Villa-Lobos: Ave Maria (1916)
Carlos Guastavino: Se Equivocó La Paloma
Jayme Ovalle (Arr. Vinícius Carneiro): Azulão
Tribalistas (Arr. Vinícius Carneiro): Velha Infância

Pato Fu (Arr. Edu Laksquevitz): Sobre o Tempo

Foto: Sylvana Lobo/ IBRAM