Museu Nacional de Belas Artes recebe vice-ministro da Cultura da China

O vice-ministro da Cultura da China, Yang Zhijin, esteve no Museu Nacional de Belas Artes/Ibram, no Rio de Janeiro, na última semana, para tratar de parcerias culturais.

A diretora do museu recebe a comitiva chinesa no MNBA

A diretora do museu recebe a comitiva chinesa no MNBA

A autoridade chinesa foi recebida pela diretora do museu, Monica Xexéo, e coordenadores das áreas de conservação, comunicação museológica, comunicação social e técnica.

Acompanhado da sua comitiva, o vice-ministro chinês conheceu a Galeria de Arte Brasileira do Século XIX e a Galeria de Arte Brasileira Moderna e Contemporânea.

Também visitou algumas das exposições temporárias em cartaz, como Alegoria às Artes – Leon Palliére, Escola de Belas Artes: 1816-2016 e Joaquim Lebreton e a Missão Francesa.

Na reunião com a direção do MNBA, Yang Zhijin, entre outros assuntos tratados, reforçou o desejo da China de incentivar o intercâmbio entre artistas e entre museus.

A visita ao MNBA foi uma das atividades oficiais do vice-ministro, que esteve com o ministro da Cultura Roberto Freire em Brasília. Saiba mais sobre a visita.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: MNBA/Divulgação

Presidente do Ibram participa na China de Fórum de Alto Nível da Unesco

O presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Marcelo Araujo,  está em viagem à China, entre os dias 5 e 14 de novembro, para participar do Fórum de Alto Nível da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) sobre museus.

Marcelo Araujo é presidente do Instituto Brasileiro de Museus

Marcelo Araujo é presidente do Instituto Brasileiro de Museus

O evento, que acontece em Shenzhen (China) de 9 a 12 deste mês, vai reunir especialistas em museus com o objetivo de contribuir com estratégias para implementar as orientações que constam na Recomendação Unesco sobre a Promoção e Proteção de Museus e Coleções.

Protagonismo brasileiro
A recomendação teve origem em uma proposta feita pelo Ibram em 2012 e aprovada em 2015, durante a 38ª Conferência Geral da Unesco. Ainda que não vinculante, a recomendação é um pilar das políticas públicas de museus para as próximas décadas.

Seu foco é o reforço das práticas existentes para manter a integridade das coleções, e o fornecimento de orientação para as funções de museus, adaptando os seus objetivos para resolver os urgentes desafios contemporâneos.

“Temos um interesse muito grande de prosseguir nesse protagonismo”, explica Araujo. “O fórum discute estratégias para essas diretrizes. A ida para a China tem objetivo de relatar a postura brasileira em face da recomendação, além de debater com outros profissionais as iniciativas levadas a cabo. O grande pano de fundo é o novo papel dos museus como instrumento de desenvolvimento”, ressalta o presidente do Ibram. Continue lendo no portal do Ministério da Cultura.

Texto: Ascom/MinC
Foto: Ascom/Ibram

100 obras de artistas de cinco países estão expostas até dia 31 no MHN

A partir desta sexta-feira (14), o Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), recebe a mostra Aomei Fine Arts 2016, que reúne cerca de 100 obras de artistas da China, Japão, Irlanda, Coréia do Sul e Brasil.

Imagem que compõe a exposição mostra uma partida de hóquei na China antiga

Com o tema A Arte faz as Olimpíadas ainda mais bela, a exposição traz pinturas que retratam esportes seculares da China e sua civilização, que já apresentava esportes como o futebol e o hóquei, há dois mil anos.

A mostra fica em cartaz somente até o dia 31 de outubro e depois segue para outros países. No dia 25, haverá um seminário que contará com a presença de artistas chineses e dos curadores da mostra, no auditório do MHN, às 19h30.

Fruto da celebração do Ano de Intercâmbio China – América Latina – Caribe, iniciativa nascida após reunião do presidente chinês Xi Jinping e dos líderes da América Latina e do Caribe, realizada em julho de 2014, a exposição busca interpretar o espírito olímpico nas artes, refletindo a mistura multicultural chinesa, da América Latina e do mundo.

A Aomei Fine Arts é uma produção da China Society for the Promotion of Cultural and Art Development, da Beijing Association for the Promotion of Olympics-related Culture e do Beijing Olympic Club.

O Museu Histórico Nacional fica na Praça Marechal Âncora, s/nº – Centro, e está aberto ao público de terça a sexta-feira, das 10h às 17h30 e aos sábados, domingos e feriados das 14h às 18h.

Texto e foto: Divulgação MHN