Cenedom reabre ao público em Brasília

Fechado desde dezembro passado por conta de readequação física, o Centro Nacional de Estudos e Documentação da Museologia (Cenedom), localizado no edifício-sede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) em Brasília (DF), foi reaberto ao público na última terça-feira (1º).

O Cenedom é uma unidade da Coordenação-Geral de Sistemas de Informação Museal (CGSIM) do Ibram e tem como atribuições promover e integrar estudos e pesquisas interdisciplinares voltados às políticas públicas museológicas, além de constituir coleções de fontes documentais e bibliográficas relevantes para a história da Museologia brasileira. A unidade também é responsável pelo gerenciamento da Política de Desenvolvimento de Coleções Bibliográficas do Ibram e da memória técnica institucional do Instituto Brasileiro de Museus.

O local abriga a Biblioteca Central, Biblioteca Depositária e o Arquivo Central do Ibram. A consulta ao acervo é permitida a todos os usuários, sendo exigida apenas a identificação na recepção do espaço. O empréstimo domiciliar é facultado a servidores do Ibram devidamente identificados.

O Cenedom funciona às segundas-feiras, das 13h às 18h, e de terça a sexta-feira das 9h às 18h, no edifício-sede do Ibram, situado no endereço: SBN Quadra 2 Lote 8 Bloco N Edifício CNC III, em Brasília (DF). Mais informações pelo telefone (61) 3521 4201 ou pelo endereço eletrônico cenedom@museus.gov.br.

Ibram distribuiu cinco mil publicações para instituições de todo o país em 2013

Nos cinco primeiros meses de 2013, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) enviou mais de cinco mil publicações para cerca de duas mil instituições de todo o país.

As instituições receberam publicações como os relatórios das últimas edições do Fórum Nacional de Museus, a Declaração da Cidade de Salvador, o Plano Nacional Setorial de Museus entre outras. Acesse online as publicações do Ibram.

Tal ação vem ao encontro do trabalho feito pelo instituto desde sua criação, em 2009,  voltado à disseminação e difusão de conhecimento através da divulgação de diretrizes e informações técnicas específicas do setor museal, e visa, consequentemente, o fortalecimento do setor.

Cenedom
O Ibram também dirige o Centro Nacional de Estudos e Documentação da Museologia (Cenedom), que fica em sua sede em Brasília.

O Cenedom é responsável pela divulgação, conservação e ampliação das coleções documentais e bibliográficas do Ibram. Referência para o campo museal brasileiro, a unidade oferece serviços de consulta e estudo sobre o setor, além de ações de preservação da memória institucional do Ibram.

Mais do que repositório de publicações relacionadas ao campo museológico, o Cenedom busca atuar como centro de difusão de conhecimentos. Além de dar acesso a fontes e recursos de informações do campo museal, a unidade tem realizado intercâmbio de informações com entidades acadêmicas, centros de informações e a comunidade museal como um todo.

O Cenedom funciona às segunda-feiras, das 13h às 18h, e de terça a sexta-feira, das 10h às 18h, no primeiro subsolo da sede do Ibram em Brasília (Setor Bancário Norte, Quadra 2, Bloco N – Edifício CNC III). Outras informações pelo telefone (61) 3521.4297.

Texto: Ascom/Ibram

Ex-funcionária doa coleção de Anais do Museu Histórico Nacional ao Cenedom

Ecyla Brandão com o Diploma de Agradecimento oferecido pelo Ibram

No dia 14 de agosto, uma comissão do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) oficializou, com um Diploma de Agradecimento, a doação de coleção com 43 exemplares dos Anais do Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram), entre outras publicações, realizada por Ecyla Castanheira Brandão.

O material ficará sob a responsabilidade do Centro Nacional de Estudos e Documentação da Museologia (Cenedom/Ibram), localizado em Brasília.

Professora, Ecyla Brandão trabalhou na Escola de Belas Artes da UFRJ (1950-1985) e foi responsável, entre 1962 e 1982, por vários setores dos Museus Histórico Nacional, Nacional de Belas Artes e da República – todos ligados atualmente ao Ibram/MinC. À frente do Museu Histórico Nacional, empreendeu várias ações para a valorização do acervo, através da pesquisa, restauração e exposição.

Em 1940 foi lançado o primeiro volume dos Anais do Museu Histórico Nacional, organizando publicações de estudos sobre o acervo do próprio museu, como peças de numismática, vestuário e obras de arte.

As edições dos Anais e outras publicações do museu podem ser acessadas em formato digital na página do Museu Histórico Nacional.

Texto e foto: Divulgação Cenedom

Centro de Estudos e Documentação da Museologia completa primeiro ano

Completa um ano de criação, no dia 20 de janeiro, o Centro Nacional de Estudos e Documentação da Museologia (Cenedom), unidade do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC).

O Cenedom é responsável pela divulgação, conservação e ampliação das coleções documentais e bibliográficas do Ibram. Referência para o campo museal brasileiro, a unidade oferece serviços de consulta e estudo sobre o setor, além de ações de preservação da memória institucional do Ibram.

“É mais um passo para o enriquecimento da museologia brasileira”, definiu a ministra da Cultura, Ana de Hollanda, durante a inauguração do espaço (foto), localizado na sede do Ibram em Brasília (DF), no dia 20 de janeiro de 2011.

Em pouco tempo de funcionamento, o Cenedom já conseguiu reunir um acervo expressivo de publicações especializadas sobre museologia e áreas correlatas. São atualmente 1.267 títulos entre livros, catálogos, folhetos, obras de referência, obras raras e multimeios. Outras cerca de 500 publicações serão incorporadas ao acervo ainda neste primeiro trimestre.

Além do acervo do próprio centro, o Cenedom é responsável pelo levantamento e integração do acervo bibliográfico dos 26 museus administrados pelo Ibram. Pesquisa realizada pela unidade em 2011 revelou que o acervo total desses museus se aproxima de 1 milhão de itens.

Mais do que repositório de publicações relacionadas ao campo museológico, o Cenedom tem atuado como centro de difusão de conhecimentos. Além de dar acesso a fontes e recursos de informações do campo museal, a unidade tem realizado intercâmbio de informações com entidades acadêmicas, centros de informações e a comunidade museal como um todo.

Texto: Ascom/Ibram

1ª Reunião de Profissionais de Arquivos e Bibliotecas do Ibram/Minc

Nos dias 3 e 4 de maio, na unidade administrativa do Instituto Brasileiro de Museus do Rio de Janeiro-RJ, foi realizada a 1ª Reunião de Profissionais de Arquivos e Bibliotecas do Ibram/MinC. O encontro, promovido pela Coordenação Geral de Sistemas de Informação Museal do Ibram (CGSIM) , por meio da Coordenação de Acervos e Memória, apresentou e debateu programas e projetos desenvolvidos para as áreas de arquivos, bibliotecas e gestão documental dos museus e da área central da instituição.

A abertura do evento contou com a presença do presidente do Ibram/MinC, José do Nascimento Junior, que ressaltou a importância da valorização dos arquivos e bibliotecas de museus enquanto serviços de informação. Nascimento anunciou ainda a criação do Centro de Documentação e Informação do instituto, em Brasília.

Durante o encontro, a coordenadora da CGSIM, Rose Miranda, destacou o expressivo volume de bens conservados nas 28 unidades do Ibram/MinC. Segundo ela, o acervo bibliográfico soma 776.272 bens e o acervo arquivístico é formado por 529.472 itens e 408 metros lineares de documentos. A soma destes bens atinge cerca de 1,5 bilhões.

Temas como o 4º Fórum Nacional de Museus, que pela primeira vez terá um grupo de trabalho específico para a área de informação em museus, e o projeto de integração de bancos de dados em um sistema de gestão compartilhada, que vai possibilitar o desenvolvimento de serviços integrados de disseminação dos acervos documentais e bibliográficos do instituto pela internet, foram destaques durante o evento.

Os 52 profissionais que participaram do encontro compartilharam as experiências promovidas na área documental e bibliográfica das unidades museológicas em que atuam. Ao final, foi aprovada a criação do Sistema de Arquivos e da Rede de Bibliotecas dos Museus do Ibram/Minc, estruturas que têm o objetivo de incentivar a integração e comunicação, além de possibilitar a definição de padrões, normas e metodologias comuns.