Cartas do Dom Pedro II serão expostas no Museu Imperial

Museu Imperial (RJ)

Museu Imperial (RJ)

A partir de terça-feira (5), o público terá acesso às cinco cartas de Dom Pedro II doadas pelo presidente russo, Valdimir Putin, ao presidente Michel Temer durante visita oficial à Rússia em junho deste ano.

A exposição Missivas Imperiais: cartas de Dom Pedro II será aberta na segunda-feira (4) pelo Ministro da Cultura no Museu Imperial (Ibram/MinC), em Petrópolis.

Entre os documentos presentes na exposição Missivas Imperiais está uma carta oficial de Dom Pedro II ao cardeal Giuseppe Bofondi, secretário de Estado da Santa Sé no pontificado do Papa Pio IX, datada de 30 de junho de 1862. Também está na exposição carta oficial endereçada ao cunhado do imperador, o príncipe Francesco di Paola Luigi Emanuele de Bourbon-Duas Sicílias, conde de Trápani, datada de 30 de maio de 1855, felicitando-o pelo nascimento da filha.

Carta enviada por Dom Pedro II, em 20 de julho de 1890, ao membro do Instituto da França René François Armand (Sully) Prudhomme complementa o acervo do museu. No texto, o imperador manifesta interesse em obter uma cópia do poema Le Bonheur. A resposta de Prudhomme, datada de 26 de julho de 1890 faz, já faz parte do arquivo do Museu Imperial desde 1948, quando foi doado pelo príncipe Dom Pedro Gastão de Orléans e Bragança, bisneto do imperador. O autor do poema Le Bonheur foi o primeiro ganhador do prêmio Nobel de Literatura.

A exposição ficará até 4 de março de 2018 e pode ser visitada de terça a domingo, das 11h às 18h, com entrada a R$ 10 (inteira).

Museu Imperial recebe cartas de D. Pedro II doadas à Presidência

Diretor do Museu Imperial recebe cartas de D. Pedro II

Diretor do Museu Imperial recebe cartas de D. Pedro II

O Museu Imperial/Ibram, em Petrópolis (RJ), recebeu na última segunda-feira (4) as cinco cartas originas escritas por D. Pedro II que foram doadas pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin, ao presidente Michel Temer durante visita ao país este ano.

A solenidade contou com a presença do ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, do presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Marcelo Araujo, da deputada federal Cristiane Brasil e do chefe de gabinete da Secretaria Geral da República, Antônio Lessa.

Para o Diretor do Museu, Mauricio Vicente Ferreira Júnior, foi uma honra receber as correspondências, que têm um conteúdo singular. Quatro delas, de gabinete, foram remetidas ao conde de Trapani e aos cardeais Patrizi  Befondi e Bilio, a última carta, particular e em francês, dirigida à Sully Prudhome, um poeta francês, membro da Academia Francesa da qual D. Pedro II fazia parte.

As correspondências farão parte de uma exposição, ainda sem data marcada, e integrarão o acervo do museu, que já conta com cerca de 250 mil documentos. Posteriormente, as cartas ficarão disponibilizadas para consulta.

Museu Solar Monjardim inclui novidades históricas em sua exposição permanente

Réplica da Lei Áurea pode ser vista no museu capixaba

Cartas de alforria  e recibos referentes ao aluguel de escravos são documentos que agora fazem parte da exposição do Museu Solar Monjardim, situado em Vitória (ES). Lá também pode ser vista uma reprodução da Lei Áurea, assinada pela Princesa Isabel, que extinguiu oficialmente a escravidão no Brasil em 1888.

As peças que já pertenciam ao acervo – que tratam sobre como se dava a escravidão na Fazenda Jucutuquara, propriedade que deu origem ao Solar Monjardim – foram incluídas na exposição atual por ser essa uma das questões que mais intrigam os visitantes do museu.

A instituição encontra-se em um processo de ‘oxigenação’ da sua atual exposição de longa duração, buscando incluir objetos e informações que até então não estavam disponíveis ao grande público.

Acervo diverso
O Museu Capixaba foi criado em junho de 1939, no Quartel da Polícia Militar, com acervo multidisciplinar e eclético. Em 1952, foi transferido para a residência dos herdeiros do Barão de Monjardim e, em 1966, recebeu acervo do Museu de Arte Religiosa. Na década de 1980, a instituição foi requalificada e renomeada pela então Fundação Pró-Memória e passou a se chamar Museu Solar Monjardim.

No total, o acervo do Museu Solar Monjardim é composto por 2.718 itens das mais variadas tipologias (mobiliário, armaria, fotografia, numismática, utensílios domésticos, arte sacra, dentre outras).

A mostra permanente pode ser vista de terça-feira a sexta-feira, das 9h30 às 16h30, ou aos sábados, domingos e feriados das 13h às 17h, sempre com entrada gratuita. O agendamento prévio se faz necessário apenas para grupos com mais de 10 visitantes e pode ser feito pelo telefone (27) 3223-6609. O Museu Solar Monjardim fica na Avenida Paulino Müller, s/nº, bairro Jucutuquara, em Vitória.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação Museu Solar Monjardim