Pontos de Memória e PNEM encerram atividades no Fórum 2014

Foi encerrada na noite desta terça-feira (25), a IV Teia da Memória – parte da programação do 6º Fórum Nacional de Museus, que segue até sexta (28) em Belém.

A plenária de encerramento culminou com a aprovação de minuta de portaria, a ser editada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), que irá instituir o Conselho de Gestão Participativa/Compartilhada do Programa Pontos de Memória.

Consenso: Pontos de Memória reuniram-se para além da programação oficial

Consenso: Pontos de Memória reuniram-se para além da programação oficial

Realizada pela primeira vez como parte da programação oficial do Fórum Nacional de Museus (FNM), o encontro reuniu durante três dias representantes de Pontos de Memória, e outras iniciativas de memória e museologia social do Brasil, para discutir e deliberar sobre os rumos das políticas públicas para a área nos próximos anos. Leia mais.

Já os participantes do Encontro do Programa Nacional de Educação Museal (PNEM), que também estiveram reunidos em Belém, redigiram uma carta que, entre outras iniciativas, reivindica uma nova reunião com representantes de todo o país para concluir a análise e a consolidação das diretrizes do programa.

Em um trecho do documento, os participantes apontam, como o próximo passo da criação e posterior implementação da Política Nacional de Educação Museal, “a realização do II Encontro Nacional do PNEM para votar o texto final da Política Nacional de Educação Museal, no segundo semestre de 2015″. Leia a carta na íntegra.

Acesse o blogue do 6º Fórum Nacional de Museus para ler as matérias completas e acompanhar as últimas notícias.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Estudantes de Museologia recebem resposta de carta enviada ao Ibram

O novo presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), Angelo Oswaldo, respondeu, na última semana, à carta de estudantes e entidades representantes dos cursos de graduação em Museologia brasileiros.

Na carta, os estudantes fazem um breve histórico do curso no país e indicam demandas: a necessidade de fomento no âmbito estatal e municipal ao setor museal, o maior engajamento do Ibram em relação as pesquisas de extensão dos graduandos, o acesso gratuito aos museus de todo o Brasil e a possibilidade de estágio nos museus do instituto.

Os estudantes também sugerem a continuidade da Política Nacional de Museus (PNM), fomento para projetos na área museal e uma urgente articulação entre o Ministério da Cultura (representado pelo Ibram) e o Ministério da Educação (MEC) para ampliar e integrar as políticas públicas com objetivos comuns.

Angelo Oswaldo, em sua resposta, concordou com as demandas que, segundo ele, vão ao encontro das diretrizes do MinC e do Ibram. “Na verdade, estamos falando a mesma linguagem e queremos mais”, afirmou. Ele disse ainda que espera a intensificação desse diálogo para criar novas parcerias e um trabalho mais participativo e transparente. Leia os documentos na íntegra.

Texto: Ascom/Ibram