Página 4 de 8« Primeira...23456...Última »

Ibram comemora o Dia Internacional da Mulher na segunda (10) em Brasília

O Dia Internacional da Mulher, comemorado amanhã (8), será lembrado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) com uma programação especial na segunda (10),  em Brasília (DF), voltada tanto para o público interno quanto externo. A entrada é gratuita.

DiadaMulher_Ibram

Ibram celebra Dia Internacional da Mulher com música e debate

Às 15h, o Grupo de Metais da Escola de Música de Brasília apresenta-se no Auditório do Ibram (Setor Bancário Norte, Quadra 2, Bloco N, Edifício CNC III – Sobreloja).

Em seguida, às 16h, haverá um painel com o tema Desafios contemporâneos da mulher brasileira. Compõem a mesa Anabelle Carrilho, Maísa Guimarães e Angela Fontes.

Maísa Guimarães é gerente dos Núcleos de Atendimento à Família e aos Autores de Violência Doméstica, da Secretaria de Estado da Mulher do Distrito Federal e irá tratar a violência contra a mulher no DF.

Anabelle Carrilho é assistente social da Eletronorte e doutoranda em Política Social pela Universidade de Brasília (UNB). Em sua fala, a pesquisa irá tratar da relação entre mulher e mercado de trabalho.

Já Angela Fontes é secretária adjunta da Secretaria de Articulação Institucional e Ações Temáticas da Secretaria de Políticas para Mulheres da Presidência da República. Ela irá apresentar algumas ações da secretaria para a valorização da mulher.

Outras informações sobre o evento podem ser obtidas pelo telefone (61) 3521.4233.

Texto e arte: Ascom/Ibram

Governo do DF autoriza cessão do Museu Honestino Guimarães à União

Publicada no Diário Oficial do Distrito Federal de segunda-feira (27), a Lei 5.293, de 24 de janeiro de 2014, que autoriza a cessão para a União do Museu da República Honestino Guimarães, que integra complexo cultural localizado na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Museu está cedido à União por um prazo de 10 anos

Museu está cedido à União por um prazo de 10 anos

De acordo com a lei, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), autarquia vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), será responsável pela administração do museu por  um prazo de 10 anos, podendo ser prorrogado por autorização legislativa.

O processo de transição da gestão será feito com a participação do Governo do Distrito Federal (GDF), de modo a manter o espaço de exposições temporárias e preservar o atual acervo da instituição.

A transferência definitiva se dará após celebração de termo de cessão entre a União e o GDF, seguindo o que determina a lei.

Acervos federais
Está prevista a criação de um grupo de trabalho conjunto para garantir o funcionamento e continuidade das ações programadas pelo museu durante o processo de transição, que será acordado entre as partes. Durante o período da gestão compartilhada, os servidores atuais do espaço cultural deverão ser mantidos pelo GDF.

O objetivo da cessão do museu à União é dar maior acesso ao público a obras de arte, presentes em acervos passíveis de musealização, que são de propriedade de órgãos da Administração Direta e Indireta da União. Nestes termos, o MinC, por intermédio do Ibram, deverá fazer um levantamento dos acervos pertencentes aos órgãos federais  para que venham a integrar a programação expositiva do museu.

Em paralelo, o Ibram prepara Projeto de Lei, a ser enviado à Câmara dos Deputados, criando o Museu Nacional de Brasília. O projeto visa dar estrutura ao museu, bem como criar cargos efetivos para o seu corpo técnico.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação/Wikipédia

Matérias relacionadas
Câmara Legislativa do DF discute cessão do Museu Honestino Guimarães
Museu Nacional da República em Brasília será gerido pelo Ministério da Cultura

Embaixadora fala sobre museus mexicanos no aniversário do Ibram

Nesta terça-feira (21), o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) recebeu a Embaixadora do México, Beatriz Paredes, para uma apresentação sobre os museus mexicanos em comemoração aos cinco anos da autarquia federal.

Angelo Oswaldo (esq.), Beatriz e Guilherme Palacios

Angelo Oswaldo (esq.), Beatriz Paredes e Guilherme Palacios, conselheiro da Embaixada do México

Em sua fala, Paredes enfatizou a diversidade cultural mexicana, lembrando os diversos povos que viveram naquele território e sua importância para a arte, para as tradições, para a história e para a memória do México. “Eu venho de um país que tem muito a contar”, ressaltou a Embaixadora.

Ela afirmou que o interesse dos mexicanos pelos museus é muito forte e que o país se destaca na criação de museus comunitários, muitos deles “criados por meninos e que contam as histórias de cada povo, da comunidade em que se inserem”.

Para Beatriz Paredes, o Ibram “é uma instituição emblemática e vanguardista”, pois são poucos os governos que têm órgãos específicos para tratar sobre museus, o que demonstra uma “preocupação do Brasil com sua memória”.

O presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, reafirmou a importância da cooperação entre os países e o trabalho que o instituto tem feito, ao longo destes primeiros cinco anos, no âmbito internacional. Para ele, é importante o intercambio de ideias, profissionais e culturas. “Isso traz novas percepções, gera conhecimento e aprendizado”, disse Oswaldo.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Em Brasília, Pontos de Memória fizeram avaliação conjunta de ações

Representantes de 12 Pontos de Memória de todas as regiões do Brasil estiveram reunidos durante esta semana na sede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), em Brasília (DF).

Formado pelas iniciativas pioneiras que integraram o chamado Projeto Piloto do Programa, iniciado em 2009, o grupo realizou entre os dias 10 e 12 uma avaliação conjunta de seu desenvolvimento junto às comunidades envolvidas.

Avaliação dos Pontos de Memória pelos próprios participantes do projeto

Avaliação dos Pontos de Memória pelos próprios participantes do projeto

Durante os três dias de debates, que contaram com a participação de servidores do Ibram e consultores, foram levantadas as conquistas obtidas pelo Pontos de Memória nos últimos anos e os principais desafios a serem enfrentados.

Os avanços mencionados pelo coletivo incluem a valorização e afirmação das comunidades em seus territórios, o aumento da mobilização comunitária e o amadurecimento das iniciativas de memória locais.

Dentre os desafios, foram listados a falta de recursos financeiros e humanos, a carência de comunicação e intercâmbio entre as iniciativas com o Ibram,  assim como a rotatividade de servidores no instituto, e a necessidade de melhor sistematização das informações sobre o programa.

“Essa avaliação também se projeta para o futuro, para a construção e gestão compartilhada dos Pontos de Memória. Queremos a melhoria e continuidade dos pontos”, reforçou a representante do Museu do Taquaril, de Belo Horizonte (MG), Leila da Silva.

O presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, que ouviu do grupo a demanda para que os Pontos de Memória se tornem uma política de Estado, reafirmou, no encerramento do encontro, seu compromisso com o programa. “Os Pontos de Memória despertaram a compreensão nas comunidades do papel iluminador que a memória possui”, lembrou.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Colegiado do setor de museus se reúne para debater propostas da III CNC

Participantes da III Conferência Nacional de Cultura (CNC) pelo setor de Museus e Memória, dentre delegados, convidados e observadores, estão reunidos nesta quarta-feira (27) para debater as propostas do setor para o evento, que tem abertura hoje a noite em Brasília. O encontro acontece ao longo do dia na sede do Ibram e teve, na abertura, a participação do presidente do instituto, Angelo Oswaldo, e de representantes dos departamentos do instituto.

Reunião sobre os museus na Conferência de Museus acontece no Ibram

Reunião sobre os museus na Conferência de Museus acontece no Ibram

Oswaldo destacou a necessidade de demarcar a presença  do setor de museus e memória na conferência. “Precisamos ocupar os espaços e garantir para os museus uma posição de ponta de lança” enfatizou.

Ele destacou ainda que o Ibram vive um momento de fortalecimento a partir da publicação do decreto 8.124/2013, já que essa norma dá conteúdo aos princípios já colocados no Estatuto de Museus e possibilita sua efetiva implantação. Saiba mais.

O colegiado vai debater um panorama dos eixos temáticos da III CNC e também analisar as propostas e os principais pontos a serem tratados nos Grupos de Trabalho e plenárias durante o evento. Acompanhe as últimas notícias da III CNC na página do Ministério da Cultura.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Lançada Frente Parlamentar para criação de museu afro em Brasília

Na tarde de ontem (26), foi lançada, na Câmara dos Deputados, a Frente Parlamentar em Apoio à Criação do Museu Nacional da Memória Afro em Brasília (DF). O ato foi coordenado pelo deputado Edson Santos, que classificou a construção do museu como “um sonho”. A Frente já conta com 210 deputados que apoiam sua ação.

Ministra da Cultura (centro) destacou a importância do novo museu para o Brasil

Ministra da Cultura (centro) destacou a importância do novo museu para o Brasil

A ministra Marta Suplicy compareceu à cerimônia de lançamento e expressou seu empenho na construção do do novo museu e ressaltou a sua importância simbólica ao ser construído na capital do país: “o Brasil tem uma identidade negra. O nosso país é um país negro. Essa história precisa ser contada”, refletiu.

Compuseram a mesa, ao lado da ministra da Cultura, os presidentes da Fundação Cultural Palmares, Hilton Cobra; Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo; e Fundação Casa de Rui Barbosa, Manolo Florentino – instituições vinculadas ao Ministério da Cultura.

A deputada Jandira Feghali, presidenta da Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados, também integrou a mesa. O evento contou, ainda, com a presença de vários deputados na plateia.

Marta Suplicy destacou também que o museu será um espaço moderno e um Centro de Referência da Cultura Negra onde o visitante poderá, através do uso de interatividade e tecnologia, conhecer a trajetória dos povos afrodescendentes no Brasil e reconhecer a importância deles na construção da identidade cultural do País. O projeto já existe e está sendo reformulado pela Fundação Cultural Palmares em conjunto com o Ibram. Continue lendo no portal do Ministério da Cultura.

Texto: Ascom/MinC
Foto: Elisabete Alves/MinC
Edição: Ascom/Ibram

Câmara Legislativa do DF discute cessão do Museu Honestino Guimarães

A Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) realizou ontem (21), um debate para tratar da cessão do Museu da República Honestino Guimarães, em Brasília (DF),  do Governo do Distrito Federal para o Governo Federal, ficando então sob a responsabilidade do Instituto Brasileiro de Museus/MinC. A iniciativa da reunião foi das deputadas Liliane Roriz, Celina Leão e do deputado Olair Francisco.

Reunião na CLDF tratou da cessão do Museu Honestino Guimarães ao Ibram/MinC

Reunião na CLDF tratou da cessão do Museu Honestino Guimarães à União

No dia 5 de novembro, o governador Agnelo Queiroz enviou projeto de lei nº 1693/2013 à Câmara, que autoriza a cessão de uso do Museu Honestino Guimarães à União. Artistas, produtores e militantes culturais de Brasília questionam o projeto e querem discuti-lo antes da votação.

Liliane Roriz e Celina Leão são contra a cessão do espaço do museu. Segundo elas, o espaço é de Brasília, deve continuar com o DF e que o governo distrital tem condições de manter o espaço sob sua responsabilidade.

Referência local e nacional
Angelo Oswaldo, presidente do Ibram, participou do debate e afirmou que a discussão está sendo travada com base em informações contraditórias sobre a proposta. Angelo ressaltou que a intenção, desde o começo das conversas entre a ministra Marta Suplicy e o governador Agnelo Queiroz, sempre foi valorizar o Museu Nacional e transformá-lo em uma referência nacional, sempre em parceria com o GDF. “O museu é hoje um equipamento e núcleo de cultura fundamental para a sociedade local”, acredita.

Para Hamilton Pereira, Secretário de Cultura do DF, a discussão é positiva. O objetivo, segundo ele, é buscar uma solução duradoura para o Museu Honestino Guimarães que, atualmente, não tem corpo de servidores efetivo e orçamento próprio. O secretário reconheceu o espaço de excelência que é hoje o museu e sua vocação de diálogo com a comunidade do DF. O projeto tramita em regime de urgência na Câmara Legislativa. Saiba mais.

Ciência e Tecnologia
Na semana passada, o Governo do DF confirmou que Brasília ganhará  um Museu de Ciência e Tecnologia. O espaço, que será construído no Setor de Divulgação Cultural e gerido pela Secretaria de Cultura, terá 20 mil m² e contará com anfiteatro, auditório, oficinas multiuso, café/restaurante, loja e observatório astronômico. O museu está sendo concebido com apoio do Ibram/MinC.

O Distrito Federal possui atualmente 66 museus, seis deles sob responsabilidade da Secretaria de Cultura do DF. São eles o Museu do Catetinho, o Museu Vivo da Memória Candanga, o Museu da Cidade (Praça Três Poderes), o Museu de Arte de Brasília (MAB), o Museu da República Honestino Guimarães e o Memorial dos Povos Indígenas.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: CLDF/Fábio Rivas

Conferência Nacional de Cultura começa nesta quarta (27) em Brasília

Entre os dias 27 de novembro e 1º de dezembro, acontece em Brasília (DF), a III Conferência Nacional de Cultura (CNC), que mobilizará cerca de dois mil agentes culturais de todo o país em torno de propostas elencadas em 27 conferências estaduais e 35 conferências livres, realizadas este ano. A terceira edição tem como tema Uma política de estado para a cultura: desafios do Sistema Nacional de Cultura.

A abertura oficial está marcada para às 19h30 do dia 27 (quarta-feira), no Teatro Nacional Cláudio Santoro, e contará com a presença da presidenta da República, Dilma Rousseff, e da ministra da Cultura, Marta Suplicy. Além da plenárias e grupos de trabalhos, uma série de eventos culturais celebrarão a diversidade da cultura brasileira. Confira a programação completa da III CNC.

Participação
Até o dia 26, véspera da abertura do evento, os interessados podem participar da Conferência Virtual, plataforma criada pelo Ministério da Cultura (MinC) onde estão disponíveis as 614 propostas sistematizadas que serão discutidas durante a III CNC.

As diretrizes estão organizadas em quatro eixos temáticos, que reúnem aspectos abrangentes das políticas públicas para o setor cultural, cobrindo a diversidade cultural brasileira. A ideia é que a Conferência Virtual sirva de termômetro das discussões que irão se dar nos Grupos de Trabalho e nas plenárias, com espaço para a participação também de cidadãos que não integram as delegações com direito a voto. Conheça e participe.

Presença dos museus
O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), por meio de seus servidores, está mobilizado para participar da III CNC. Os dez anos da Política Nacional de Museus, além da nova legislação que regulamenta o setor museal, serão objetos de discussão e reflexão junto aos participantes.

O presidente do instituto, Angelo Oswaldo, entende que a Conferência Nacional de Cultura será um espaço decisivo para avaliação da legislação existente, além de proporcionar discussões quanto às ações de consolidação dessas políticas públicas. “Teremos uma representação preparada para marcar presença dos museus na Plenária Nacional. Vamos falar sobre como vamos trabalhar nesta nova legislação e sobre o Plano Nacional Setorial de Museus. A conferência será um momento de reavaliação e acompanhamento das ações já implantadas”, enumera Angelo Oswaldo.

Saiba mais sobre a metodologia de trabalho da III CNC, assim como os destaques das conferências anteriores (2005 e 2010), e outras informações na página da Conferência Virtual. Durante o evento, haverá cobertura das atividades por meio de blogue e das redes sociais Twitter e Facebook do Plano Nacional de Cultura.

Texto: Ascom/Ibram
Fonte: Ascom III CNC

PNEM reúne coordenadores e promove palestra aberta em Brasília

Nos dias 21 e 22 de novembro, todos os nove coordenadores de Grupos de Trabalho (GTs) do Programa Nacional de Educação Museal (PNEM), desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MInC), se reunirão na sede do instituto em Brasília para discutir e encaminhar o Documento Preliminar do PNEM – fruto de discussões e proposições feitas nos fóruns temáticos do blogue. Durante os dois dias de reunião o objetivo é alinhar as propostas apresentadas em cada GT.

Aproveitando a presença do grupo de coordenadores na capital, no dia 22 (sexta-feira), às 14h30, acontece o projeto Diálogos PNEM com a palestra pública  Museus e Acessibilidade – Uma temática Contemporânea, ministrada por Isabel Portella – curadora e pesquisadora do Museu da República/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ), e que coordena o GT com o mesmo tema no PNEM. Compõem a mesa de debate Rafaela Felício, arquiteta do Ibram, e a Professora Maria Júlia Chelini, da Universidade de Brasília (UnB). A entrada é franca. Confira o convite para mais informações.

Texto: Divulgação PNEM

Comissão da Teia da Memória reúne-se em Brasília na próxima semana

Representantes da Comissão da Teia da Memória, formada por 11 iniciativas durante o V Fórum Nacional de Museus (2012), vão se reunir nos dias 4 e 5 de novembro, na sede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), em Brasília, para discutir estratégias para a realização do encontro em 2014.

Reunião da Comissão Provisória aconteceu em setembro em Brasília

Reunião da Comissão Provisória aconteceu em setembro em Brasília

Participam da reunião de trabalho representantes da Rede de Pontos de Memória e Iniciativas de Memória e Museologia Social (REPIM-RS), Rede Cearense de Museus Comunitários (RCMC), Museu de Favela (RJ), Ponto de Memória de Terra Firme (PA), Ponto de Memória da Grande São Pedro (ES), Museu do Taquaril e Ponto de Memória de Pompéu (MG).

A Teia da Memória é o encontro nacional dos pontos de memória e iniciativas de museologia social, que tem como objetivo promover o intercâmbio e ser um espaço de debates para a consolidação de uma política pública de direito à memória.

A próxima teia já tem como pauta eleger o Conselho Gestor do Programa Pontos de Memória e suas atribuições, que vêm sendo discutido pela Comissão Provisória de Gestão Participativa e Compartilhada dos Pontos de Memória (Cogepaco), e a Carta da Rede de Pontos de Memória e Iniciativas de Memória e Museologia Social, que apresenta um conjunto de propostas para o desenvolvimento das iniciativas em rede.

Saiba as últimas notícias dos Pontos de Memória no boletim informativo de novembro e conheça mais sobre o programa no âmbito do Ibram.

Texto: Divulgação Pontos de Memória
Foto: Ascom/Ibram

Página 4 de 8« Primeira...23456...Última »