Página 1 de 812345...Última »

Ministro da Cultura participa de reunião do Comitê de Gestão do Ibram

Ministro da Cultura (centro), durante reunião do Comitê de Gestão do Ibram

Ministro da Cultura (centro), durante reunião do Comitê de Gestão do Ibram

O ministro da Cultura, Roberto Freire, reiterou, nesta quinta-feira (8), sua disposição para o diálogo e para o fomento das ações a serem desenvolvidas pelas instituições museológicas.

Freire esteve presente à reunião do Comitê de Gestão do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), reunido nos dia 7 e 8, na sede do Ibram, em Brasília, que é formado por diretores de departamentos e diretores dos 29 museus diretamente vinculados à instituição.

Nesta primeira reunião, realizada sob a presidência de Marcelo Araujo, os participantes discutiram o planejamento estratégico e orçamentário do Ibram para 2017. Foram ainda apresentadas e avaliadas propostas para a gestão interna e políticas públicas voltadas ao setor de museus.

Roberto Freire defendeu a valorização de ações que sejam mais duradouras. “O Ibram cuida do que há de mais permanente, que é a memória, a história nacional”, ressaltou.

Ele afirmou que sua gestão irá respeitar a “excelência técnica” dos órgãos vinculados ao MinC, na tomada das decisões referentes a cada área. “Minha gestão não irá discriminar nenhuma pessoa por suas convicções políticas. Nossa preocupação é com o desenvolvimento do País naquilo que nos compete”, afirmou. Leia mais.

Patrimônio museológico
Na terça-feira (6), também no Ibram, aconteceu mais uma reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico – a primeira na atual gestão.

Pauta do CCPM Declaração de interesse público para bens culturais é uma das atribuições do CCPM

Declaração de interesse público para bens culturais é uma das atribuições do CCPM

Integrado por 21 representantes do governo e sociedade civil, o conselho tem a atribuição, entre outras, de definir bens culturais e coleções que deverão ser declarados de interesse público, ampliando assim suas garantias de preservação e manutenção.

A pauta do encontro incluiu apresentação dos projetos e diretrizes da atual presidência do Ibram, que também preside o conselho, além de deliberações sobre propostas e ações ligados ao tema.

Marcelo Araújo relembrou que o Ibram é uma instituição recente, criada em 2009 a partir de um desmembramento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). “Desde então, compartilhamos com o Iphan essa missão de preservação e divulgação do patrimônio cultural brasileiro”, disse.

“O Ibram tem uma dupla função, uma vez que é responsável pela gestão dos 29 museus e pelo Sistema Nacional de Museus, que engloba cerca de 3.500 instituições museológicas em todo Brasil”, concluiu o presidente do Ibram.

Texto: Ascom/MinC
Edição: Ascom/Ibram
Fotos; (1) Janine Moraes-MinC/(2): Ascom/Ibram

Matéria relacionada
Integrantes da nova gestão do SBM participam de primeira reunião em Brasília

 

Integrantes da nova gestão do SBM participam de primeira reunião em Brasília

Reunião aconteceu na sede do Ibram em Brasília

A atual gestão do Comitê Gestor do Sistema Brasileiro de Museus (SBM) reuniu-se nos dias 1º e 2 de dezembro na Sede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), em Brasília (DF).

Em pauta, a apresentação do presidente do Ibram, Marcelo Araujo, das perspectivas para sua gestão; uma apresentação do panorama orçamentário e financeiro do Ibram; a organização do 7º Fórum Nacional de Museus, em 2017; a apresentação de estudo sobre o papel do Comitê Gestor do SBM e o processo de adesão ao SBM por meio do Registro de Museus, instrumento lançado pelo Ibram.

O Comitê, que tem como papel propor diretrizes e ações, apoiar e acompanhar o desenvolvimento do setor museológico brasileiro.

É presidido pelo Presidente do Ibram e tem como membros representantes de sistemas de museus, conselhos e associações de classe, museus privados e comunitários, além de universidades, ministérios e autarquias vinculadas ao Ministério da Cultura (MinC). Saiba mais sobre o SBM.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Exposição em Brasília apresenta acervo dos Museus Castro Maya

A exposição Henri Matisse – Jazz, em cartaz na Caixa Cultural Brasília, traz colagens do pintor, desenhista e escultor francês Henri Matisse (1869-1954), que integram o acervo dos Museus Castro Maya/Ibram, Rio de Janeiro (RJ).

Coleção Jazz de Matisse está em cartaz na Caixa Cultural Brasília

Coleção Jazz de Matisse está em cartaz na Caixa Cultural Brasília

Com curadoria da museóloga Anna Paola Baptista, a mostra reúne 20 pranchas originais impressas com a técnica au pochoir, feitas especialmente para o livro Jazz, publicado em 1947. Foram impressos 250 álbuns, dos quais apenas dois estão no Brasil. As obras ora apresentadas pertencem ao exemplar 196.

O conjunto de desenhos feitos com tesoura utiliza-se da técnica desenvolvida por Matisse no início da década de 1940.

Obrigado a passar longos períodos na cama e na cadeira de rodas, quando se recuperava de uma delicada cirurgia, o pintor primeiro dedicou-se ao desenho e à ilustração e, depois, foi mais longe, combinando desenho e pintura, em colagens feitas com papeis recortados e coloridos com guache.

A exposição fica em cartaz até 23 de dezembro e tem entrada franca. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: Museus Castro Maya/Divulgação

Museu do Banco do Brasil abre ao público amanhã (12) em Brasília

Acervos do Brasil: história, cultura e cidadania é a exposição que marca a abertura do Museu do Banco do Brasil neste dia 12 de outubro, em Brasília (DF).

Athos Bulcão, Volpi e

Obras de Athos Bulcão, Volpi e Rubem Valentim integram o acervo do novo museu em Brasília

Celebrando os 208 anos de fundação da instituição, o espaço de 12 mil m², que ocupa agora o mesmo edifício do Centro Cultural Banco do Brasil na capital federal, apresenta ao público documentos de valor histórico, cédulas, moedas, equipamentos e mobiliário. Há também peças de artes decorativas, pinturas, gravuras e esculturas.

Diversidade de coleções
O acervo do novo museu conta com 1,1 mil obras na coleção de artes visuais e decorativas; 727 nomes de artistas com obras registradas; 35 mil itens de valor histórico; mais de 16 mil títulos de livros; 20 mil registros fotográficos e audiovisuais e 5 mil dossiês documentais de valor histórico.

A primeira mostra está dividida em dois módulos: História, e Cultura e Cidadania. O módulo histórico traz peças ligadas às atividades nas dependências do Banco do Brasil.  Há ainda uma instalação em homenagem aos trabalhadores da instituição nestes dois séculos – que, atualmente, conta com 109 mil funcionários.

Já o módulo Cultura e Cidadania apresenta ao público parte do acervo de arte nacional: pinturas, gravuras e esculturas públicas de grandes dimensões, abrangendo múltiplas expressões da arte brasileira do século 20, em especial da produção realizada entre as décadas de 1940 e 1980 – indo do Modernismo ao Abstracionismo.

No dia da abertura (12), a exposição poderá ser visitada das 10h às 19h. A partir do dia 13, o horário passa a ser das 13h às 19h, de quarta a segunda-feira. Mais informações pelo telefone (61) 3108.7600. Saiba mais.

Fonte/foto: Divulgação BB
Texto: Ascom/Ibram

MOWBrasil oferece oficinas sobre o Programa Memória do Mundo

O Comitê Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo da UNESCO – MoWBrasil oferece oficinas regionais de apresentação do Programa Memória do Mundo e treinamento para preenchimento das candidaturas ao Edital MoWBrasil 2016. O Programa Memória do Mundo da UNESCO – MoW tem por objetivo promover a identificação, proteção e divulgação de acervos arquivísticos e bibliográficos considerados de valor para a memória da humanidade.

Anualmente o Comitê MoWBrasil lança um Edital para candidaturas de acervos a ser reconhecidos como patrimônio para a memória brasileira por meio de sua inscrição no Registro Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo.

As oficinas regionais ministradas por especialistas do Comitê MoWBrasil em parceria com instituições locais, visam disseminar os objetivos do Programa Memória do Mundo, bem como orientar os interessados na elaboração de suas candidaturas.

A quinta oficina de 2016 acontecerá na cidade de Belo Horizonte – MG, na Universidade Federal de Minas Gerais. O evento será no dia 22 de junho, na Escola de Ciência das Informações da UFMG. São 140 vagas e as inscrições podem ser feitas até o dia 21/6 pelo e-mail dir@bu.ufmg.br<mailto:dir@bu.ufmg.br. Carlos Augusto Silva Ditadi, representante brasileiro no Comitê Regional da América Latina e do Caribe – MoWLAC e Dina Marques Pereira Araújo membro do Comitê Nacional do Brasil – MoWBrasil do Programa Memória do Mundo serão os palestrantes.

A sexta oficina de 2016 acontecerá na cidade de Brasília – DF, na sede do IPHAN, no dia 29 de junho, das 13h30 às 17h30. Os palestrantes são Adleide Catarina Falcão, Evandro Araújo e Leslie Antônio Alcoforado, membros do Comitê Nacional do Brasil – MoWBrasil do Programa Memória do Mundo. As inscrições podem ser feitas até até 28 de junho pelo e-mail: memoriadomundo@arquivonacional.gov.br. São 25 vagas.

Mais informações no site do Arquivo Nacional.

Pontos de Memória promove oficina sobre Museu, Memória e Cultura Afro-Brasileira

O Programa Pontos de Memória promoveu na última semana, em Brasília (DF), a oficina Museu, Memória e Cultura Afro-Brasileira. Voltada para iniciativas de museologia social focadas nesta temática, a oficina, que aconteceu no auditório do edifício-sede do Ibram, teve como objetivo abordar questões contemporâneas com ênfase na função social dos museus e sua interface com a história e cultura africanas e de sua diáspora.

Com carga horária de 32 horas, a programação foi desenvolvida entre a última terça-feira (26) e  sexta-feira (29) e contou com conferência de abertura sobre o tema central, ministrada pelo Prof. Dr. Marcelo Bernardo da Cunha, do Departamento de Museologia da UFBA, e mesa redonda sobre o tema Patrimônio Cultural Afro-brasileiro, com a participação de representantes da Fundação Palmares, Iphan, Colegiado Setorial de Culturas Afro-brasileiras do MinC e do curso de Museologia da Universidade de Brasília (UnB).

Ministrada pela museóloga Maristela Simão, a oficina abordou temas como História, Cultura e Patrimônio Afro-Brasileiro, Políticas Públicas, Fomentos e População Negra no Brasil e Inventário Participativo, além de exercícios voltados à elaboração de planos de ação e projetos de expografia. Também foi discutida na oportunidade a construção de Rede de Memória Afro.

Memória e especificidades - Para Giane Vargas Escobar, idealizadora do Museu Comunitário Treze de Maio, em Santa Maria (RS), a oficina contribuiu para o fortalecimento de uma política pública de memória voltada às especificidades das comunidades afro-brasileiras.

“A memória tem importância essencial para a construção e reconstrução das identidades negras no Brasil e esse encontro é de extrema riqueza para que as iniciativas que atuam neste campo possam se reconhecer e ter dimensão do significado do trabalho que realizam no cenário nacional”, explica.

De acordo com a coordenadora de Museologia Social e Educação do Ibram, Cinthia Oliveira, a ideia é que os conteúdos abordados na oficina continuem a ser desenvolvidos em ambiente virtual através da recém-criada plataforma de formação Saber Museu. O Programa Pontos de Memória já tem outra oficina agendada, para o final de maio, com o tema Museu Memória, e Cultura Indígena.

Encontro do Mercosul Cultural em Brasília reforça ações de integração

Reunião em Brasília reuniu representantes de

Mercosul Cultural: encontro em Brasília reuniu representantes de nove países

Nos dias 16 e 17, integrantes do Comitê Coordenador Regional do Mercosul Cultural reuniram-se na sede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), em Brasília (DF), para consolidar propostas e ações no âmbito cultural para o bloco regional.

Durante os dois dias, representantes de Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Uruguai, Venezuela, e da secretaria do Mercosul Cultural, deliberaram sobre os temas apresentados nas reuniões do Mercosul Cultural realizadas nos meses de maio e junho no Brasil, durante a Presidência Pro Tempore do país.

Os participantes aprovaram a criação de uma estratégia de comunicação, que envolve a criação de página na internet e perfis em redes sociais para o bloco, debateram sobre as implementações do Fundo Mercosul Cultural – que no Brasil ainda depende da aprovação do Congresso Nacional – e do Selo Mercosul Cultural.

Museus e Mercosul
Além disso, representantes das secretarias do Ministério da Cultura (MinC) e de vinculadas fizeram informes aos participantes sobre as reuniões temáticas realizadas nos meses de maio e junho. Os temas envolveram assuntos como Diversidade Cultural, Economia criativa e fortalecimento institucional das instâncias do Mercosul, entre outros.

Um dos informes foi do Comitê Técnico de Museus, durante apresentação da Comissão de Patrimônio Cultural (CPC), cujo objetivo é aperfeiçoar as ações e o desenvolvimento de políticas públicas, bem como a integração sul-americana, no campo dos museus.

O Uruguai é o país designado para coordenar o comitê e articular os demais países membros na elaboração de um Plano de Trabalho.

Luciana Palmeira, do Ibram, fez informe sobre museus no âmbito do Mercosul Cultural

Luciana Palmeira, do Ibram, fez informe sobre Comitê Técnico de Museus: foco na capacitação

Luciana Palmeira, coordenadora de Patrimônio Museológico do Ibram, fez um relato das últimas reuniões do comitê, destacando o encontro da Comissão de Patrimônio Cultural do Mercosul, em maio, com foco na realização de atividades de formação, capacitação, intercâmbio e cooperação.

Já a reunião da Mesa Técnica de Formação e Capacitação do Programa Ibermuseus, também realizada no mês passado, sinalizou a intenção de firmar cooperação com o Comitê Técnico de Museus para implementar atividade conjunta de capacitação.

Um possível passo a ser dado pelo Comitê Técnico de Museus, segundo indicação do CPC,  é o início  de articulações para a realização de um seminário internacional a partir da próxima Presidência Pro Tempore do Mercosul.

As decisões aprovadas na reunião do Mercosul Cultural constam em um documento final, que foi entregue aos ministros da Cultura dos países do bloco, que se encontraram hoje (18), também na capital federal. Leia mais na página do MinC.

Texto: Karine Gonzaga (Ascom/MinC)
Edição e fotos: Ascom/Ibram

Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico se reúne em Brasília

IMG_5603O Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) reuniu-se nestas segunda e terça-feira (18 e 19), na sede do instituto em Brasília. É a terceira reunião desta formação do Conselho, sendo a primeira sob a presidência de Carlos Roberto Brandão.

Na pauta, o plano de gestão para o Ibram e situação atual do instituto; a discussão sobre a aplicação da Lei 12.840/13, sobre a destinação dos bens de valor cultural, artístico ou histórico aos museus; a revisão do Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM); o Programa Pontos de Memória e os editais do Programa de Fomento do Ibram para 2015.

Após a apresentação dos membros e da nova equipe do Ibram, foram tratados assuntos diversos de interesse do Conselho. Dentre eles, a situação da Casa Daros, no Rio de Janeiro (RJ), que anunciou, na última semana, que encerrará suas atividades. Diante disso, os Conselheiros emitiram uma nota, que solicita que o imóvel seja cedido ao Ibram, para que seja dado prosseguimento a sua utilização para ações culturais.

Confira a nota na íntegra:
Reconhecendo a importância da Casa Daros para a cultura brasileira, o Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico sugere que a Fundação Daros, na impossibilidade de dar continuidade às suas atividades no Brasil, ceda o imóvel ao Ibram, de maneira a permitir o prosseguimento de sua utilização para ações culturais, em especial no reforço aos museus nacionais no Rio de Janeiro.

Saiba mais sobre o Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico do Ibram.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Ministro Juca Ferreira abre Colóquios Museológicos do Ibram

Os desafios contemporâneos das instituições museológicas, o enriquecimento de políticas relacionadas a museus e ações do governo em prol da reestruturação e promoção desses espaços em todo o País estiveram na pauta das discussões da primeira edição dos Colóquios Museológicos, na tarde desta terça-feira (19), na sede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), em Brasília.

A abertura contou com o ministro da Cultura, Juca Ferreira, que destacou a importância do Ibram em abrir portas de reflexão com a sociedade sobre a importância dos museus para a cultura brasileira. Veja a palestra aqui.

Ministro Juca Ferreira, na abertura dos Colóquios Museológicos

Ministro da Cultura, Juca Ferreira, e o presidente do Ibram, Carlos Roberto Brandão

“É inegável a importância que os museus têm nas sociedades complexas”, esclareceu Juca Ferreira.

“Não é incomum encontrar casos em que eles são acionados como recurso para alavancar processos de revitalização de áreas urbanas, consolidar roteiros turísticos e inserir cidades no circuito internacional, promover megaexposições ou grandes mostras capazes de atrair investimentos do mercado, mediar relações entre grupos, provocar politicamente, construir narrativas engajadas, favorecer o desenvolvimento de culturas e comunidades”, constatou o ministro.

“Essas, entre outras várias questões, deslocam os museus para além das atividades de preservação e representação de valores e práticas, produção de conhecimentos, documentação, criação de narrativas, conformação de significados, que os recontextualizam nas relações de poder e memória”, reforçou.

Durante o encontro, o Ministro respondeu algumas questões da plateia e do público que assistiu a transmissão ao vivo pela página do Ibram na internet.

Colóquios Museológicos
Os Colóquios têm como proposta dinamizar os espaços de eventos do Ibram, de forma que a instituição passe a ser reconhecida também como um centro de estudos museológicos contemporâneos.

“Esperamos que essa seja uma contribuição importante para colaborar nas discussões sobre o papel dos museus. Hoje, mobilizamos todas as escolas de museologia do país, todos os museus, para acompanhar a fala do ministro. Queremos fazer uso da sede e dos equipamentos de forma mais completa e transformar o Ibram em um verdadeiro um centro de estudos museológicos”, afirmou Carlos Roberto Brandão, presidente do Ibram.

As próximas edições dos Colóquios contarão sempre com a participação de convidados que irão abordar temas atuais de interesse dos museus. Leia a matéria completa no portal do Ministério da Cultura.

Texto: Ascom/MinC
Edição e foto: Ascom/Ibram

Colóquios Museológicos recebe o Ministro Juca Ferreira nesta terça (19)

Nesta terça-feira (19), o Ibram realiza a primeira edição dos Colóquios Museológicos, com o Ministro da Cultura, Juca Ferreira, que abordará o tema “Museus para todos”.  O evento acontece a partir das 15h30, na sede do Ibram, em Brasília, e terá transmissão ao vivo pela internet, através do endereço www.museus.gov.br.

Os Colóquios têm como proposta, dinamizar os espaços de eventos do Instituto, de forma que o Ibram passe a ser reconhecido também como um centro de estudos museológicos contemporâneos. A programação será permanente e contará sempre com a participação de convidados que irão abordar temas contemporâneos situados no campo de interesse dos museus.

Página 1 de 812345...Última »