Página 1 de 812345...Última »

Membros do Ibermuseus debatem Linha de Sustentabilidade

Mesa-Tcenica-Sustentabilidade-5Representantes de Brasil, Chile, Costa Rica, Colômbia, Equador, Espanha, México, Peru, Portugal e Uruguai, além da Secretaria Geral Ibero-americana (Segib), da Organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI) e da Unidade Técnica do Programa Ibermuseus, se reuniram em Brasília, na sede do Instituto Brasileiro de Museus para definir o plano de atividades da Linha de Ação Sustentabilidade das Instituições e Processos Museais Ibero-americanos.

As atividades aconteceram entre os dias 10 e 12 de outubro. Os participantes revisaram o Marco Conceitual Comum em Sustentabilidade, elaborado por consultoria especializada em 2016, e a definição da metodologia para a realização de um diagnóstico de iniciativas em sustentabilidade de museus já desenvolvidos por instituições ibero-americanas. Também se dedicaram ao Planejamento Estratégico da Linha de Ação e na Definição e Planejamento de Atividades a curto e médio prazos.

Marcelo Araujo, presidente do Ibram e anfitrião do encontro, elogiou o trabalho do grupo e ressaltou mais uma vez a importância do tema que orienta essa ação, “uma vez que a questão da sustentabilidade é chave para o desenvolvimento dos museus e dos processos museais”.

A linha de ação Sustentabilidade das Instituições e de Processos Museais Ibero-Americanos é a mais recente no âmbito do Programa Ibermuseus, que desde 2015 tem como objetivos principais: fomentar, no âmbito ibero-americano, a criação de políticas públicas culturais para instituições museológicas e processos museais protagonizados por povos, comunidades, grupos e movimentos sociais, em seus diversos formatos e características; e promover, no âmbito do Programa Ibermuseus, projetos e iniciativas que viabilizem a elaboração e o desenvolvimento de ações estratégicas que auxiliem as instituições museológicas e processos museais em novos modelos de gestão museológica sustentável (social, cultural, econômica e ambiental). Saiba mais sobre o Programa Ibermuseus aqui.

Programa Ibermuseus abre chamada de trabalhos para Seminário Internacional

Card-Chamada-a-trabalhosO Programa Ibermuseus realiza, nos dias 29 e 30 de novembro, o Seminário Internacional 10 anos de cooperação entre museus, no Centro Cultural Banco do Brasil, em Brasília (DF). Três mesas redondas, uma conferência e duas sessões de debates abertos compõem a programação.

Os debates abertos servirão de espaço para que os atores do setor deem sua visão em relação às transformações dos museus ibero-americanos. A chamada pública está aberta a pesquisadores, profissionais e instituições museológicas que apresentem trabalhos centrados em duas perspectivas: Museus como agentes da mudança social: da teoria à prática e Museologias: Qual o futuro da disciplina na Ibero-América?

Leia o regulamento no link Chamada Para Apresentação de Trabalhos – 10 Anos de Cooperação Entre Museus e faça o download do Formulario de Inscrição – Chamada a Trabalhos 10 anos de Cooperação entre Museus.

Seminário

Durante dois dias, importantes atores do setor, provenientes de diferentes países ibero-americanos, se encontram em Brasília para dialogar sobre a contribuição, vigência e aportes teóricos e práticos da Declaração de Salvador à museologia da região, e para debater os desafios e oportunidades de futuro para os museus.

O seminário pretende ser um espaço de reunião de experiências, discussões e abordagens desde distintas perspectivas em relação às transformações do setor museológico na Ibero-América, seu papel na atual conjuntura sociopolítica da região, e acima de tudo sobre os desafios para sua sustentabilidade.

O evento marca o fechamento das celebrações dos 10 anos da assinatura da Declaração de Salvador, documento referendado pelos 22 países da Comunidade Ibero-americana, em junho de 2007, e que abriu um caminho de cooperação sem precedentes para os museus da região, além de fortalecer e dinamizar o papel dos museus nas dinâmicas sociais.

Serão debatidos temas como os instrumentos normativos internacionais, políticas de sustentabilidade, o papel social dos museus, a atuação dos profissionais, as diferentes formas de fazer museu, e também serão feitas reflexões sobre as contribuições de Ibermuseus ao setor, especialmente às políticas públicas.  Conheça a programação completa.

Texto: Ascom/Ibermuseus
Edição Ascom/Ibram

DF recebe inscrições de projetos na área de Patrimônio até 9 de outubro

Segue até 9 de outubro o prazo para a inscrição de projetos na área de Patrimônio Histórico e Artístico em edital do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) do Distrito Federal (DF).

O edital FAC Áreas Culturais, cujo valor total é de R$ 24,1 milhões, selecionará iniciativas em diversas formas de manifestação cultural e entre elas está a área de Patrimônio Histórico e Artístico Material e imaterial – que receberá R$ 1,2 milhão.

“Conseguimos este ano dobrar o montante de recursos para a linha de patrimônio e incluímos, pela primeira vez, uma sublinha específica que contempla a área de museus”, explica Gustavo Pacheco, subsecretário do Patrimônio Cultural do DF.

Além de Expografia e Acervos Museológicos, são aceitos projetos para Pesquisa, Inventário e Publicação, Educação Patrimonial e Eventos. Confira as Linhas de Apoio e Requisitos específicos. Acesse o edital na íntegra.

Texto: Ascom/Ibram

Brasília recebe seminário sobre Comunidades e Patrimônios

Acontece entre os dias 22 e 26 de maio, na Universidade de Brasília (UnB), o Seminário Comunidades e Patrimônios: dos ecomuseus ao patrimônio cultural imaterial. A programação está disponível aqui.

Ministrado pela professora francesa Claudie Voisenat, o evento faz parte do acordo de cooperação entre o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e a Escola do Louvre (França), e é aberto ao público. As atividades acontecem no período da tarde, no Auditório do Centro de Informática (CPD – Campus Darcy Ribeiro).

Antropóloga francesa

Antropóloga da Escola do Louvre ministra seminário na UnB

Claudie Voisenat é professora de antropologia do patrimônio na Escola do Louvre e dá formação aos estudantes do bacharelato de Etnologia do Patrimônio Imaterial da Universidade de Toulouse.

Após sua participação, na década de 1980, no desenvolvimento de dois ecomuseus em Fresnes (arredores de Paris) e em Fougerolles (Haute-Saône no leste da França), ela foi responsável, nos anos 90, pela Missão do Patrimônio Etnológico (Ministério da Cultura francês).

O seminário é uma oportunidade de conhecer a experiência de Claudie Voisenat ao longo de mais de 30 anos de prática patrimonial. A série de palestras pretende examinar aspectos da exibição e comunicação – como os objetos podem ser ‘feitos para falar’ – fazendo referência a exemplos do passado e presente.

O seminário toca o aspecto da inversão do processo de fabricação do patrimônio, quando a atribuição de valor cultural, e não mais estritamente histórico ou artístico, deixou de depender somente do Estado, assentando cada vez mais nos saberes das próprias comunidades.

Cooperação
A parceria entre Ibram e Escola do Louvre existe desde 2013 e já levou nove estudantes brasileiros para participar do Seminário Internacional de Verão de Museologia e estagiar em museus franceses, e três profissionais para realizar seminários, além de promover a vinda ao Brasil de estudantes para estágios e profissionais franceses para ministrar cursos no Brasil. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: JD-L’Independant/Internet

Ministro da Cultura participa de reunião do Comitê de Gestão do Ibram

Ministro da Cultura (centro), durante reunião do Comitê de Gestão do Ibram

Ministro da Cultura (centro), durante reunião do Comitê de Gestão do Ibram

O ministro da Cultura, Roberto Freire, reiterou, nesta quinta-feira (8), sua disposição para o diálogo e para o fomento das ações a serem desenvolvidas pelas instituições museológicas.

Freire esteve presente à reunião do Comitê de Gestão do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), reunido nos dia 7 e 8, na sede do Ibram, em Brasília, que é formado por diretores de departamentos e diretores dos 29 museus diretamente vinculados à instituição.

Nesta primeira reunião, realizada sob a presidência de Marcelo Araujo, os participantes discutiram o planejamento estratégico e orçamentário do Ibram para 2017. Foram ainda apresentadas e avaliadas propostas para a gestão interna e políticas públicas voltadas ao setor de museus.

Roberto Freire defendeu a valorização de ações que sejam mais duradouras. “O Ibram cuida do que há de mais permanente, que é a memória, a história nacional”, ressaltou.

Ele afirmou que sua gestão irá respeitar a “excelência técnica” dos órgãos vinculados ao MinC, na tomada das decisões referentes a cada área. “Minha gestão não irá discriminar nenhuma pessoa por suas convicções políticas. Nossa preocupação é com o desenvolvimento do País naquilo que nos compete”, afirmou. Leia mais.

Patrimônio museológico
Na terça-feira (6), também no Ibram, aconteceu mais uma reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico – a primeira na atual gestão.

Pauta do CCPM Declaração de interesse público para bens culturais é uma das atribuições do CCPM

Declaração de interesse público para bens culturais é uma das atribuições do CCPM

Integrado por 21 representantes do governo e sociedade civil, o conselho tem a atribuição, entre outras, de definir bens culturais e coleções que deverão ser declarados de interesse público, ampliando assim suas garantias de preservação e manutenção.

A pauta do encontro incluiu apresentação dos projetos e diretrizes da atual presidência do Ibram, que também preside o conselho, além de deliberações sobre propostas e ações ligados ao tema.

Marcelo Araújo relembrou que o Ibram é uma instituição recente, criada em 2009 a partir de um desmembramento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). “Desde então, compartilhamos com o Iphan essa missão de preservação e divulgação do patrimônio cultural brasileiro”, disse.

“O Ibram tem uma dupla função, uma vez que é responsável pela gestão dos 29 museus e pelo Sistema Nacional de Museus, que engloba cerca de 3.500 instituições museológicas em todo Brasil”, concluiu o presidente do Ibram.

Texto: Ascom/MinC
Edição: Ascom/Ibram
Fotos; (1) Janine Moraes-MinC/(2): Ascom/Ibram

Matéria relacionada
Integrantes da nova gestão do SBM participam de primeira reunião em Brasília

 

Integrantes da nova gestão do SBM participam de primeira reunião em Brasília

Reunião aconteceu na sede do Ibram em Brasília

A atual gestão do Comitê Gestor do Sistema Brasileiro de Museus (SBM) reuniu-se nos dias 1º e 2 de dezembro na Sede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), em Brasília (DF).

Em pauta, a apresentação do presidente do Ibram, Marcelo Araujo, das perspectivas para sua gestão; uma apresentação do panorama orçamentário e financeiro do Ibram; a organização do 7º Fórum Nacional de Museus, em 2017; a apresentação de estudo sobre o papel do Comitê Gestor do SBM e o processo de adesão ao SBM por meio do Registro de Museus, instrumento lançado pelo Ibram.

O Comitê, que tem como papel propor diretrizes e ações, apoiar e acompanhar o desenvolvimento do setor museológico brasileiro.

É presidido pelo Presidente do Ibram e tem como membros representantes de sistemas de museus, conselhos e associações de classe, museus privados e comunitários, além de universidades, ministérios e autarquias vinculadas ao Ministério da Cultura (MinC). Saiba mais sobre o SBM.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Exposição em Brasília apresenta acervo dos Museus Castro Maya

A exposição Henri Matisse – Jazz, em cartaz na Caixa Cultural Brasília, traz colagens do pintor, desenhista e escultor francês Henri Matisse (1869-1954), que integram o acervo dos Museus Castro Maya/Ibram, Rio de Janeiro (RJ).

Coleção Jazz de Matisse está em cartaz na Caixa Cultural Brasília

Coleção Jazz de Matisse está em cartaz na Caixa Cultural Brasília

Com curadoria da museóloga Anna Paola Baptista, a mostra reúne 20 pranchas originais impressas com a técnica au pochoir, feitas especialmente para o livro Jazz, publicado em 1947. Foram impressos 250 álbuns, dos quais apenas dois estão no Brasil. As obras ora apresentadas pertencem ao exemplar 196.

O conjunto de desenhos feitos com tesoura utiliza-se da técnica desenvolvida por Matisse no início da década de 1940.

Obrigado a passar longos períodos na cama e na cadeira de rodas, quando se recuperava de uma delicada cirurgia, o pintor primeiro dedicou-se ao desenho e à ilustração e, depois, foi mais longe, combinando desenho e pintura, em colagens feitas com papeis recortados e coloridos com guache.

A exposição fica em cartaz até 23 de dezembro e tem entrada franca. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: Museus Castro Maya/Divulgação

Museu do Banco do Brasil abre ao público amanhã (12) em Brasília

Acervos do Brasil: história, cultura e cidadania é a exposição que marca a abertura do Museu do Banco do Brasil neste dia 12 de outubro, em Brasília (DF).

Athos Bulcão, Volpi e

Obras de Athos Bulcão, Volpi e Rubem Valentim integram o acervo do novo museu em Brasília

Celebrando os 208 anos de fundação da instituição, o espaço de 12 mil m², que ocupa agora o mesmo edifício do Centro Cultural Banco do Brasil na capital federal, apresenta ao público documentos de valor histórico, cédulas, moedas, equipamentos e mobiliário. Há também peças de artes decorativas, pinturas, gravuras e esculturas.

Diversidade de coleções
O acervo do novo museu conta com 1,1 mil obras na coleção de artes visuais e decorativas; 727 nomes de artistas com obras registradas; 35 mil itens de valor histórico; mais de 16 mil títulos de livros; 20 mil registros fotográficos e audiovisuais e 5 mil dossiês documentais de valor histórico.

A primeira mostra está dividida em dois módulos: História, e Cultura e Cidadania. O módulo histórico traz peças ligadas às atividades nas dependências do Banco do Brasil.  Há ainda uma instalação em homenagem aos trabalhadores da instituição nestes dois séculos – que, atualmente, conta com 109 mil funcionários.

Já o módulo Cultura e Cidadania apresenta ao público parte do acervo de arte nacional: pinturas, gravuras e esculturas públicas de grandes dimensões, abrangendo múltiplas expressões da arte brasileira do século 20, em especial da produção realizada entre as décadas de 1940 e 1980 – indo do Modernismo ao Abstracionismo.

No dia da abertura (12), a exposição poderá ser visitada das 10h às 19h. A partir do dia 13, o horário passa a ser das 13h às 19h, de quarta a segunda-feira. Mais informações pelo telefone (61) 3108.7600. Saiba mais.

Fonte/foto: Divulgação BB
Texto: Ascom/Ibram

MOWBrasil oferece oficinas sobre o Programa Memória do Mundo

O Comitê Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo da UNESCO – MoWBrasil oferece oficinas regionais de apresentação do Programa Memória do Mundo e treinamento para preenchimento das candidaturas ao Edital MoWBrasil 2016. O Programa Memória do Mundo da UNESCO – MoW tem por objetivo promover a identificação, proteção e divulgação de acervos arquivísticos e bibliográficos considerados de valor para a memória da humanidade.

Anualmente o Comitê MoWBrasil lança um Edital para candidaturas de acervos a ser reconhecidos como patrimônio para a memória brasileira por meio de sua inscrição no Registro Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo.

As oficinas regionais ministradas por especialistas do Comitê MoWBrasil em parceria com instituições locais, visam disseminar os objetivos do Programa Memória do Mundo, bem como orientar os interessados na elaboração de suas candidaturas.

A quinta oficina de 2016 acontecerá na cidade de Belo Horizonte – MG, na Universidade Federal de Minas Gerais. O evento será no dia 22 de junho, na Escola de Ciência das Informações da UFMG. São 140 vagas e as inscrições podem ser feitas até o dia 21/6 pelo e-mail dir@bu.ufmg.br<mailto:dir@bu.ufmg.br. Carlos Augusto Silva Ditadi, representante brasileiro no Comitê Regional da América Latina e do Caribe – MoWLAC e Dina Marques Pereira Araújo membro do Comitê Nacional do Brasil – MoWBrasil do Programa Memória do Mundo serão os palestrantes.

A sexta oficina de 2016 acontecerá na cidade de Brasília – DF, na sede do IPHAN, no dia 29 de junho, das 13h30 às 17h30. Os palestrantes são Adleide Catarina Falcão, Evandro Araújo e Leslie Antônio Alcoforado, membros do Comitê Nacional do Brasil – MoWBrasil do Programa Memória do Mundo. As inscrições podem ser feitas até até 28 de junho pelo e-mail: memoriadomundo@arquivonacional.gov.br. São 25 vagas.

Mais informações no site do Arquivo Nacional.

Pontos de Memória promove oficina sobre Museu, Memória e Cultura Afro-Brasileira

O Programa Pontos de Memória promoveu na última semana, em Brasília (DF), a oficina Museu, Memória e Cultura Afro-Brasileira. Voltada para iniciativas de museologia social focadas nesta temática, a oficina, que aconteceu no auditório do edifício-sede do Ibram, teve como objetivo abordar questões contemporâneas com ênfase na função social dos museus e sua interface com a história e cultura africanas e de sua diáspora.

Com carga horária de 32 horas, a programação foi desenvolvida entre a última terça-feira (26) e  sexta-feira (29) e contou com conferência de abertura sobre o tema central, ministrada pelo Prof. Dr. Marcelo Bernardo da Cunha, do Departamento de Museologia da UFBA, e mesa redonda sobre o tema Patrimônio Cultural Afro-brasileiro, com a participação de representantes da Fundação Palmares, Iphan, Colegiado Setorial de Culturas Afro-brasileiras do MinC e do curso de Museologia da Universidade de Brasília (UnB).

Ministrada pela museóloga Maristela Simão, a oficina abordou temas como História, Cultura e Patrimônio Afro-Brasileiro, Políticas Públicas, Fomentos e População Negra no Brasil e Inventário Participativo, além de exercícios voltados à elaboração de planos de ação e projetos de expografia. Também foi discutida na oportunidade a construção de Rede de Memória Afro.

Memória e especificidades - Para Giane Vargas Escobar, idealizadora do Museu Comunitário Treze de Maio, em Santa Maria (RS), a oficina contribuiu para o fortalecimento de uma política pública de memória voltada às especificidades das comunidades afro-brasileiras.

“A memória tem importância essencial para a construção e reconstrução das identidades negras no Brasil e esse encontro é de extrema riqueza para que as iniciativas que atuam neste campo possam se reconhecer e ter dimensão do significado do trabalho que realizam no cenário nacional”, explica.

De acordo com a coordenadora de Museologia Social e Educação do Ibram, Cinthia Oliveira, a ideia é que os conteúdos abordados na oficina continuem a ser desenvolvidos em ambiente virtual através da recém-criada plataforma de formação Saber Museu. O Programa Pontos de Memória já tem outra oficina agendada, para o final de maio, com o tema Museu Memória, e Cultura Indígena.

Página 1 de 812345...Última »