MinC e Itaú Cultural promovem seminário sobre combate ao tráfico de bens culturais

Evento reunirá especialistas para compartilhar experiências e discutir formas de regulação, afim de subsidiar a elaboração de uma política de prevenção e repressão a esse tipo de crime no Brasil.

Evento reunirá especialistas afim de subsidiar a elaboração de uma política de prevenção e repressão a esse tipo de crime no Brasil.

O Ministério da Cultura (MinC) e o Instituto Itaú Cultural promovem nos dias 4 e 5 de junho, em São Paulo (SP), o seminário “Proteção e circulação de bens culturais: combate ao tráfico ilícito”.

O evento reunirá especialistas e representantes de órgãos federais do Brasil e de países sul-americanos com o objetivo de compartilhar experiências e discutir formas de regulação, afim de subsidiar a elaboração de uma política de prevenção e repressão a esse tipo de crime no Brasil.

O seminário conta com a cooperação da Representação no Brasil da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e do Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus (ICOM), além do apoio do Ministério das Relações Exteriores, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e da Fundação Biblioteca Nacional (FBN).

Estarão presentes no seminário, além de representantes do mercado das artes, autoridades, especialistas e técnicos. Participarão também representantes da Polícia Federal, da Receita Federal, do Ministério Público, do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), da Agência Nacional de Mineração, e do Instituto Itaú Cultural, além de órgãos vinculados ao MinC, como o Iphan, o Ibram e a Biblioteca Nacional. Saiba mais.

AN sediou a primeira reunião de GT sobre patrimônio documental brasileiro

O Grupo de Trabalho responsável por desenvolver e gerenciar o plano de ação, fruto do acordo entre Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), Fundação Biblioteca Nacional (FBN/MinC) e Arquivo Nacional (AN/MJ), fez sua primeira reunião técnica no dia 28 de fevereiro. A reunião aconteceu na sede do Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro.

Próxima reunião do GT está marcada para 14 de março

O acordo, assinado em dezembro de 2011, visa à preservação, valorização e divulgação do patrimônio documental arquivístico, bibliográfico e museológico do país.

Ele possibilitará o cumprimento de uma das metas do Plano Nacional de Cultura (PNC), que pretende modernizar 50% das bibliotecas públicas e museus até 2020.

Além dos técnicos designados em portaria para compor o Grupo de Trabalho, participaram da reunião o presidente do Ibram, José do Nascimento Junior, o diretor-geral do Arquivo Nacional, Jaime Antunes da Silva, e a diretora do Centro de Referência e Difusão da FBN, Mônica Rizzo.

“Esta parceria é muito importante, pois irá unir os esforços para preservar e resgatar a memória de mais de 100 mil instituições do país”, disse o presidente do Ibram.

Durante a reunião, cada instituição apresentou seus projetos relacionados, principalmente, à digitalização de acervos. A próxima reunião do Grupo de Trabalho foi marcada para 14 de março. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação Arquivo Nacional

Arquivo Nacional, FBN e Ibram assinam Acordo de Cooperação Técnica

Nascimento Jr, Galeno Amorim e Jaime Antunes comemoram o Termo de Cooperação

O Arquivo Nacional, a Fundação Biblioteca Nacional (FBN) e o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) assinaram neste dia 21 de dezembro, Acordo de Cooperação Técnica em prol da preservação, valorização e divulgação do patrimônio documental arquivístico, bibliográfico e museológico do país. A cerimônia ocorreu no auditório da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro.

O acordo entre o Ministério da Cultura – através do Ibram e da FBN – e o Ministério da Justiça, por meio do Arquivo Nacional, irá promover ações de cooperação técnica entre as instituições, geridas pelo Programa de Integração de Instituições de Memória Social. Todas as instituições dos sistemas das três áreas (Biblioteconomia, Museologia e Arquivologia) estarão integradas.

Também se pretende integrar o cadastro de profissionais e especialistas em áreas de interesse comum que atuem nos três segmentos. Com o acordo será possível também atender à meta do Plano Nacional de Cultura (PNC) de, até 2020, 50% das bibliotecas públicas e museus estarem modernizados. O acordo irá vigorar por quatro anos, podendo ser prorrogado por iguais e sucessivos períodos.

José do Nascimento Júnior, Presidente do Ibram/MinC, ressaltou que o acordo vai integrar as ações das três instituições, que já possuem vários projetos de natureza semelhante, mas que agora vão trabalhar de forma mais integrada. “Os esforços que vamos promover potencializam a capacitação técnica de funcionários e a integração de bases de dados”, disse.

De acordo com Galeno Amorim, Presidente da FBN/MinC, a integração de trabalhos ajudará a aumentar a dimensão pública dos acervos, reunindo em um só lugar dados sobre biblioteconomia, museologia e arquivologia: “O que estamos fazendo vai permitir que as pessoas tenham acesso à nossa memória social”, disse.

Para o diretor do Arquivo Nacional, Jaime Antunes da Silva, o país encontra-se em um momento importante em termos de acesso público a documentos. Ele citou como exemplo a Lei de Acesso à Informação, sancionada em novembro pela Presidenta Dilma Rousseff, e chamou atenção para a importância de se criarem equipamentos de guarda em âmbito municipal, já que apenas 5% dos municípios possuem instituições do gênero. Continue lendo.

Texto e foto: Ascom/MinC
Edição: Ascom/Ibram