Arquivo Nacional, FBN e Ibram assinam Acordo de Cooperação Técnica

Nascimento Jr, Galeno Amorim e Jaime Antunes comemoram o Termo de Cooperação

O Arquivo Nacional, a Fundação Biblioteca Nacional (FBN) e o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) assinaram neste dia 21 de dezembro, Acordo de Cooperação Técnica em prol da preservação, valorização e divulgação do patrimônio documental arquivístico, bibliográfico e museológico do país. A cerimônia ocorreu no auditório da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro.

O acordo entre o Ministério da Cultura – através do Ibram e da FBN – e o Ministério da Justiça, por meio do Arquivo Nacional, irá promover ações de cooperação técnica entre as instituições, geridas pelo Programa de Integração de Instituições de Memória Social. Todas as instituições dos sistemas das três áreas (Biblioteconomia, Museologia e Arquivologia) estarão integradas.

Também se pretende integrar o cadastro de profissionais e especialistas em áreas de interesse comum que atuem nos três segmentos. Com o acordo será possível também atender à meta do Plano Nacional de Cultura (PNC) de, até 2020, 50% das bibliotecas públicas e museus estarem modernizados. O acordo irá vigorar por quatro anos, podendo ser prorrogado por iguais e sucessivos períodos.

José do Nascimento Júnior, Presidente do Ibram/MinC, ressaltou que o acordo vai integrar as ações das três instituições, que já possuem vários projetos de natureza semelhante, mas que agora vão trabalhar de forma mais integrada. “Os esforços que vamos promover potencializam a capacitação técnica de funcionários e a integração de bases de dados”, disse.

De acordo com Galeno Amorim, Presidente da FBN/MinC, a integração de trabalhos ajudará a aumentar a dimensão pública dos acervos, reunindo em um só lugar dados sobre biblioteconomia, museologia e arquivologia: “O que estamos fazendo vai permitir que as pessoas tenham acesso à nossa memória social”, disse.

Para o diretor do Arquivo Nacional, Jaime Antunes da Silva, o país encontra-se em um momento importante em termos de acesso público a documentos. Ele citou como exemplo a Lei de Acesso à Informação, sancionada em novembro pela Presidenta Dilma Rousseff, e chamou atenção para a importância de se criarem equipamentos de guarda em âmbito municipal, já que apenas 5% dos municípios possuem instituições do gênero. Continue lendo.

Texto e foto: Ascom/MinC
Edição: Ascom/Ibram

Após consulta pública, MinC apresenta 53 metas do Plano Nacional de Cultura

Na terça-feira, 13, a Ministra da Cultura, Ana de Hollanda, apresenta as 53 metas do Plano Nacional de Cultura (PNC), cuja implementação se dará ao longo dos próximos dez anos.

Por 50 dias, o MinC recebeu contribuições da sociedade e de gestores públicos para elaborar os objetivos. A consulta foi feita ao público via plataforma digital e seminários promovidos pelo Ministério. A participação da população pela página pnc.culturadigital.br foi intensa, como atestam os números: 8.979 visitas de 6.273 pessoas, que geraram 488 comentários sobre as propostas e redundaram em outras 32 sugestões.

As metas expressam o compromisso com os principais temas das políticas públicas de cultura, como reconhecimento e promoção da diversidade cultural, criação, fruição, difusão, circulação e consumo, educação e produção de conhecimento, ampliação e qualificação de espaços culturais, fortalecimento institucional e articulação federativa, participação social, desenvolvimento sustentável da cultura, e mecanismos de fomento e financiamento.

Com essas 53 metas, aprovadas na reunião do CNPC de 29 de novembro de 2011, pretende-se aumentar, entre outras coisas, a quantidade de espaços culturais, privilegiando municípios menores ou territórios de cidadania, superar em mais que o dobro o número de livros lidos fora da escola e implementar projetos de apoio à sustentabilidade econômica da produção cultural local.

Serviço
Apresentação e assinatura de portarias das 53 metas do Plano Nacional de Cultura
Terça-feira, 13 de dezembro, às 10h. Sala Cássia Eller, no Complexo Cultural Funarte (Próximo ao Centro de Convenções Ulysses Guimarães)

Fonte: Ascom/MinC