ArtRio 2016: jardim do Museu da República recebe arte contemporânea

A edição 2016 da ArtRio, feira que reúne galerias nacionais e internacionais desde 2011 na capital fluminense, terá, pelo segundo ano consecutivo, o projeto Intervenções Bradesco ArtRio ocupando, com arte contemporânea, os jardins históricos do Museu da República/Ibram, no bairro do Catete.

Jose Bechara_MiniOxy

José Bechara expõe MiniOxy, da série Esculturas Gráficas (2007-2016)

Com curadoria da museóloga Isabel Portella, 14 artistas irão propor, entre os dias 27 de setembro e 2 de outubro, um diálogo entre as obras e a natureza local. A abertura acontece neste dia 27 (terça-feira), às 14h, e tem entrada franca.

“A ‘arte sem paredes’ como suporte, sem limites, sem portas de entrada, ganhando jardins e parques, proporciona diferentes e incontáveis leituras”, explica a curadora, “traduzindo o pensamento artístico do nosso tempo”.

Tombado em 1938, o jardim do antigo Palácio do Catete, que se espalha por uma área de 12 mil m², já passou por reformas, mas mantém o projeto original criado pelo paisagista francês Paul Villon (1841-1905), responsável por outros projetos na cidade do Rio de Janeiro, quando o palácio tornou-se sede da Presidência da República (1896).

Aproveitando o momento da ArtRio, no dia 27, a Galeria do Lago do Museu da República, dedicada a divulgar arte contemporânea, abre a exposição “Objetos Notáveis”, onde a artista visual Carla Chaim apresenta o resultado de um ano de pesquisa no museu, como parte do prêmio Foco Bradesco ArtRio 2015.

No dia 29, às 11h, acontece um encontro com a curadora Isabel Portella e a artista. A exposição pode ser visitada gratuitamente até o dia 27 de novembro. Saiba mais sobre o museu e como chegar.

Outros circuitos
Além do Museu da República, outros museus da rede do Instituto Brasileiro de Museus integram os Circuitos Artísticos da ArtRio, que levam o público a conhecer roteiros de arte que estão em locais de visitação pública.

Intervenção de Adrianna Eu, Barco de cada um, no jardim do MR

Intervenção de Adrianna Eu, Barco de cada um, no jardim do Museu da República

O Museu da Chácara do Céu, em Santa Teresa, integra o circuito Museus e Espaços Culturais, com foco em arte moderna, popular e contemporânea.

O Museu do Açude, no Alto da Boa Vista, faz parte de dois roteiros: Circuito Tim Blue Man Group, com a azulejaria portuguesa presente no museu, e Circuito de Arquitetura – museus tombados, locais considerados “fundamentais na história da cidade e dos cariocas”. Neste circuito, inclui-se ainda o Museu Villa-Lobos/Ibram em Botafogo.

Já o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), na Cinelândia, integra o Circuito Artístico O Meu Rio. Para o curador Marcos Veloso o Rio é “repleto de lugares, de pequenas ‘quebradas’, de pontos quase imperceptíveis no mapa e de intensos e mutantes fluxos e trechos”.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Flávio Leão/Museu da República
Foto destaque: Trabalho de Flávio Cerqueira (Casa Triângulo) na intervenção 2015/Divulgação ArtRio

Ibram/MinC divulga os ganhadores do Prêmio Ibram Feira Art Rio

Os ganhadores do Prêmio Ibram Feira Art Rio são Matias Alvarez Mesquita, com a obra O nu artístico, e Paulo Nenflidio de Carvalho, com a obra Totem.  Os prêmios são, respectivamente, R$ 20 mil e R$ 10 mil. O resultado foi publicado nesta terça-feira (22), no Diário Oficial da União.

Conforme o edital, item 8.6., caberá a interposição de recurso, no prazo de cinco dias úteis, conforme Formulário de Recurso. Todas as informações estão disponíveis aqui.

Ibram/MinC publica habilitados para Prêmio Feira ArtRio 2011

Publicado no Diário Oficial da União (DOU) do dia 1º de novembro, lista com os 16 candidatos habilitados a concorrer ao Prêmio Ibram Feira ArtRio 2011. No total, 23 artistas inscreveram-se no concurso, cujo objetivo é premiar duas obras de arte contemporâneas produzidas no Brasil e incorporá-las ao acervo de museus brasileiros. A premiação total é R$ 30 mil, sendo R$20 mil para o 1º colocado e R$ 10 mil para o 2º. Continue lendo.

Os candidatos inabilitados têm prazo de cinco dias úteis, contados a partir da publicação no DOU, para interposição de recurso. Veja o edital.

Nome do Proponente Título da Obra UF
Egidio Rocci dos Santos Exoesqueleto SP
Elenice Maria Kurth Monguilhott MANA – O Homem que permanece SC
Fabíola Francisca Soares Scaranto Imagem Para Deixar de Existir SC
Jimson Ferreira Vilela Nomeamos RJ
Julio Cesar Meiron de Souza Reis Anima SP
Laercio Redondo Junior Blow up / A Casa de Vidro RJ
Laerte Gomes da Cunha Ramos Joé, Gidappe SP
Leonardo Felipe Ruckert Ramadinha Para ver do alto quando criança RJ
Leonardo Verardo Fanzelau Passatempos Ocasionais (Peça 3) RS
Luiza Arantes Nasser Presenças SP
Marcia Pastore Fotografia Serie Azul SP
Matias Alvarez Mesquita O Nu Artístico RJ
Miguel Oswaldo Penha Verde e Amarelo MT
Paulo Nenflidio de Carvalho Totem SP
Pedro Henrique de Oliveira Cruz Monstros DF
Taigo Meireles Brasil Revisitado DF

Últimos dias: Prêmio Ibram Feira ArtRio 2011 inscreve até 23 de outubro

Foi publicado no dia 9 de setembro, na Seção 3, Página 13, do DOU, o edital Prêmio Ibram Feira ArtRio 2011. O lançamento oficial aconteceu durante a Feira Internacional de Arte Contemporânea do Rio de Janeiro – ArtRio.

Duas obras de arte contemporâneas produzidas no Brasil serão premiadas e incorporadas ao acervo de museus brasileiros, a serem definidos pelo Ibram. A premiação total é R$ 30 mil; sendo R$20 mil para o 1º lugar e R$ 10 mil para o 2º.

Poderão participar desta seleção pública pessoas físicas, brasileiros natos ou naturalizados, com idade mínima de 16 anos e que sejam atuantes da área (já tenham participado de feiras e exposições). A obra inscrita não poderá ter sido objeto de premiação em outro certame e não pode pertencer a coleções de museus, instituições e/ou centros culturais, dentre outros.

As inscrições estão sendo realizadas gratuitamente, através do Sistema SalicWeb, disponíveis no Portal do Ministério da Cultura e na página do Ibram. Outras informações pelo email cff@museus.gov.br. O edital está disponível aqui.

A Feira ArtRio
A primeira edição da ArtRio, que aconteceu entre os dias 8 e 11 de setembro, ocupou dois pavilhões do Píer Mauá, na capital fluminense, e contou com a presença de aproximadamente 80 galerias, metade delas estrangeiras. Intervenções urbanas, visitas guiadas, oficinas e a construção de um portal online de arte contemporânea foram alguns dos destaques.

De acordo com a organização, o objetivo foi inserir definitivamente o Rio de Janeiro no mercado de arte internacional e desenvolver um intercâmbio cultural.  Saiba mais.