Museu Villa-Lobos lança novo volume de série dedicada ao compositor

Villa-Lobos e sua esposa Arminda - tema de novo volume da coleção sobre o compositor

Arminda Villa-Lobos, principal guardiã e difusora da memória do compositor brasileiro, é a grande homenageada do 14º volume da série Presença de Villa-Lobos. O lançamento será no dia 17 de dezembro, às 18h, no Museu Villa-Lobos/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ).

Presença de Villa-Lobos – vol. 14: 100 anos de Arminda é dividido em duas partes. A primeira reúne artigos sobre Arminda, escritos por personalidades que a conheceram e por técnicos do museu.

A segunda é dedicada a estudos que abordam o folclore, a cultura popular e a identidade nacional na obra de Villa-Lobos, com ênfase na participação do compositor na Semana de Arte Moderna, que em 2012 completou 90 anos.

O lançamento contará com um recital do Trio D’Ambrosio, formado por Aizik Geller (violino), Maria Helena de Andrade (piano) e Maria Célia Machado (harpa). No repertório, músicas de Villa-Lobos dedicadas à companheira Arminda, com quem viveu durante mais de 20 anos. O Museu Villa-Lobos localiza-se à Rua Sorocaba, 200, Botafogo. Conheça mais o museu.

Texto e foto: Divulgação Museu Villa-Lobos/Ibram

 

Museu Villa-Lobos prepara homenagens a ‘musa inspiradora’ do compositor

Museu Villa-Lobos homenageará Arminda em dois eventos ainda este ano

Arminda Villa-Lobos, um importante nome da cultura brasileira no século XX, faria cem anos no dia 26 de julho.

Além de musa inspiradora do compositor Heitor Villa-Lobos, com o qual viveu por mais de 20 anos, Arminda foi responsável pela fundação do Museu Villa-Lobos em 1960, no Rio de Janeiro (RJ), e sua primeira diretora. Atualmente, o museu faz parte da rede de museus federais do Ibram/MinC.

Em sua homenagem, o museu prepara a publicação do 14º volume do periódico Presença de Villa-Lobos, com artigos sobre a Semana de Arte Moderna, o Movimento Folclórico Brasileiro, as ações do Museu Villa-Lobos ao longo dos seus cinquenta anos e, claro, a importância histórica de Arminda.

No evento de lançamento da publicação, previsto para dezembro deste ano, será realizado um recital com repertório especialmente selecionado, contando com algumas das mais de 50 obras que o compositor brasileiro lhe dedicou. Arminda também será uma das personalidades homenageadas no 50º Festival Villa-Lobos, que ocorre em novembro.

Histórico
Ao longo de 25 anos na gestão do Museu, até o seu falecimento, em 1985, Mindinha – como era conhecida – assentou as bases da instituição, na sua missão de resguardar a memória de Heitor Villa-Lobos e de difundir o seu patrimônio musical. Por meio de concursos internacionais de música, exposições, publicações, gravações de discos, conferências e concertos, ela ajudou a promover as raízes culturais brasileiras no país e no exterior. Saiba mais.

O Museu Villa-Lobos é responsável pela coleta, manutenção, preservação, estudo e divulgação de objetos que atestam, testemunham e ilustram a vida e a obra de Villa-Lobos e que, pela sua expressão e representatividade, constituem referência na formação da identidade brasileira. Conheça o acervo do museu aqui.

Texto e foto: Divulgação Museu Villa-Lobos