Museu Lasar Segall abre mostra no próximo sábado (28)

???????????????????????????????O Museu Lasar Segall/Ibram, em São Paulo, dando continuidade a temporada de exposições temporárias, a partir do dia 28 de novembro próximo apresenta mais uma vez ao público fotografias de Facundo de Zuviría (Argentina 1954). A mostra intitulada Frontalismo: Facundo de Zuviría, traz 36 fotografias da série Siesta Argentina, produzida entre 2001 e 2003. No mesmo dia, ainda, será inaugurada a nona edição do projeto Intervenções que tem como convidado o artista Macaparana.

A série de Zuviría faz alusão ao período de grave crise econômica, política e social enfrentada na Argentina a partir do ano 2001, que diante da fuga de capitais, do déficit fiscal, da recessão e das restrições impostas a saques bancários, geraram no país distúrbios que levaram a greve geral, manifestações, saques e ondas de violência.

O olhar do fotógrafo, num primeiro momento, se atém com familiaridade à paisagem urbana e a memória cotidiana da cidade por meio de bares, cabelereiros, tinturarias e estabelecimentos comerciais, reconhecidos e enquadrados a partir da frontalidade, para em seguida capturar no instante fotográfico os restos de cartazes, pichações inacabadas, anúncios publicitários sobrepostos contrapondo-se a superfícies claras e límpidas, como se essa fosse a condição natural do país.

As fotografias mostram, mesmo que não explicitamente, a crise econômica, política e social, na qual o país estava mergulhado naquele momento, proporcionando ao público a possibilidade de refletir tais questões por meio das próprias imagens.

Intervenções

Em sua nona edição o projeto Intervenções, que apresenta anualmente três artistas contemporâneos, com projetos inéditos, no jardim do Museu, propiciando ao público uma reflexão sobre as relações entre espaço arquitetônico, espaço público e artes visuais, convidou o artista Macaparana (PE-1952), pintor, desenhista e escultor.

A obra é um díptico confeccionado em aço inoxidável, um desdobramento da série Sara executada sobre papel em homenagem a uma grande amiga, feito a partir de hastes e esferas fixadas ao chão e na parede, apresentadas em duas situações, na vertical e na horizontal.  Retas e círculos projetados no espaço, representando um jardim. Ele estabelece conexões entre o universo plástico do artista, e o ambiente cercado pela vegetação.

As estruturas duras, rígidas e frias dos objetos ampliam o campo de visão e a percepção sobre as relações entre arte e natureza. Há uma interação entre o jogo de luzes e sombras, em diferentes situações, proporcionada pela luz natural e artificial.

Texto e foto: Ascom Museu Lasar Segall

Gravura e Arte impressa: bienal reúne 96 artistas sul-americanos no MHN

Com a participação de 96 artistas da Argentina, Brasil, Chile e Peru, estará em cartaz no Museu Histórico Nacional (MHN), no Rio de Janeiro (RJ), entre os dias 25 de julho e 28 de setembro, a 1º Bienal Sul Americana de Gravura e Arte Impressa Rio/Córdoba. A abertura acontece no dia 24 de julho (quinta-feira), às 19h30, e tem entrada franca.

Artistas da Argentina, Brasil, Chile

Intercâmbio: artistas da Argentina, Brasil, Chile e Peru expõem no MHN

Promovida pela Gerardo Torres Produções Culturais, a bienal pretende constituir-se numa referência da gráfica artística sul-americana, refletindo um panorama atual de suas variadas formas expressivas, recursos técnicos de impressão e tendências.

Segundo o curador Gerardo Torres, para a seleção de artistas considerou-se que fossem artistas em atividade, com obras atuais e que em conjunto representassem a diversidade de linguagens e estilos, abarcando desde a geração dos anos 1960 até a atualidade.

O evento faz parte de projeto que busca desenvolver um “Corredor Cultural” entre a cidade argentina de Córdoba e distintas cidades do Brasil, canalizando, ainda, manifestações artísticas de outros países sul-americanos com o propósito de enriquecer as relações ibero-americanas em seu aspecto cultural.

Depois do Rio, a exposição será exibida no Museu Provincial de Bellas Artes Emilio Caraffa, em Córdoba. A exposição pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 10h às 17h30, e aos sábados, domingos e feriados, das 14 às 18h. Saiba como chegar ao MHN.

Texto e imagem: Divulgação MHN

Diretor de Patrimônio e Museus argentinos foi recebido pelo Presidente do Ibram

O presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), José do Nascimento Junior, recebeu, no final da manhã da terça-feira (28), o diretor Nacional de Patrimônio e Museus da Argentina, Alberto Petrina.

Brasil e Argentina: encontros para integração entre setores da cultura

Participaram da reunião representantes da Diretoria de Relações Internacionais do MinC, da Assessoria Internacional do Ibram, do Programa Ibermuseus, além dos diretores do Ibram.

Foram tratados temas como o Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM), o Programa Pontos de Memória e a gestão do patrimônio em risco. Brasil e Argentina se comprometeram em manter uma comunicação contínua, por ter experiências complementares que podem promover o intercâmbio e a cooperação internacional.

Alberto Petrina também manifestou o interesse de trazer uma exposição de arte contemporânea para o Brasil, no final de 2013, e pediu apoio do Ibram para contatar instituições que podem ter interesse em receber a mostra. São cerca de 100 obras entre instalaçãos, vídeos e pinturas de artistas argentinos de três gerações.

O encontro fez parte da agenda de trabalho da Delegação de Cultura da Argentina junto ao Ministério da Cultura (MinC). Durante todo o dia, representantes brasileiros e argentinos debateram as políticas bilaterais em encontros temáticos e simultâneos de economia criativa, cidadania e diversidade cultural, museus, temas das artes, patrimônio cultural e cooperação internacional. Saiba mais no Portal do MinC.

Leia aqui a Declaração de Brasília, resultado das seis reuniões setoriais que ocorreram ao longo do dia.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Experiência do Programa Pontos de Memória na Argentina

Na sexta-feira (14),  a experiência do Programa Pontos de Memória é tema de painel apresentado pela coordenadora de Museologia Social e Educação do Ibram/MinC, Marcelle Pereira, no Encontro Arte Patrimônio e Educação: Experiências em Museus, Centros Culturais e Espaços para a Memória.

O evento realiza-se de 13 a 15 de outubro, na cidade de Córdoba (Argentina), e é destinado a trabalhadores de museus e espaços culturais, além de professores e estudantes de arte, artistas e demais públicos interessados nos temas propostos.  

O Programa Pontos de Memória é resultado da parceria entre o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), e os programas Mais Cultura e Cultura Viva, do Ministério da Cultura; Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci/Ministério da Justiça), além da Organização dos Estados Ibero–americanos (OEI).

Tem por concepção reconstruir e fortalecer a memória social e coletiva de comunidades, a partir do cidadão e de suas origens, histórias e valores e apoia ações de memória em comunidades populares das cinco regiões do país.