Página 7 de 7« Primeira...34567

Museu Casa Histórica de Alcântara (MA) comemora sete anos de criação

Inaugurado no dia 8 de novembro de 2004, o Museu Casa Histórica de Alcântara/Ibram completa sete anos de criação em 2011.

Para celebrar a data, o museu homenageou a sua primeira visitante, Neta Boueres, com a entrega de um kit com materiais referentes à instituição. No dia do aniversário, também serão entregues brindes para os primeiros visitantes do dia.

O museu, localizado na cidade litorânea de Alcântara (MA), tem por missão remontar aos tempos do Brasil Imperial através de sua arquitetura colonial e de seu acervo, expondo a opulência dos hábitos e costumes do século XIX da aristocracia rural da cidade.

As 958 peças e obras do Museu Casa Histórica de Alcântara (MCHA) pertenceram a famílias que residiram na casa. Mobiliário, indumentárias, acessórios, louças, iconografias, cerâmicas e azulejos do acervo têm o objetivo de retratar a história doméstica do Brasil Monárquico para os alunos da educação básica, a comunidade em geral e os visitantes externos. Saiba mais sobre o museu aqui.

Novo Plano Museológico
Buscando construir um plano museológico participativo, o MCHA/Ibram convidou representantes de instituições locais para colaborar na reformulação do seu plano atual. A equipe técnica do museu reuniu-se em setembro com a comunidade para repensar a missão e construir um diagnóstico do museu – primeira etapa de reformulação do plano.

O processo de planejamento participativo foi dividido em três etapas: apresentação dos objetivos do encontro e do plano atual pela diretora da instituição, discussão em grupos sobre a missão e diagnóstico e posteriormente apresentação das propostas de cada grupo.

A próxima etapa de reformulação do plano está voltada para discussão dos objetivos e dos programas do MCHA. A previsão é de que ocorra até o final do ano.

Fonte: Divulgação MCHA/Ibram

Museu das Missões comemora Semana de S. Miguel das Missões

 O Museu das Missões, de São Miguel das Missões (RS), oferece programação especial na Semana  do Município, que comemora a emancipação da cidade gaúcha. Nos dias 28/4 (às 15h), 29/4 (às 9h30min) e 30/4 (às 17h30min), haverá visitas guiadas ao Sítio Arqueológico São Miguel Arcanjo, com apresentação do trabalho do Ibram à comunidade.

A programação de aniversário da cidade vai de 25 de abril a 1º de maio, com shows de música, concurso de trovas (Encontro do Sino Missioneiro da Trova), espetáculos de dança nativista, declamação de poesias, brincadeiras infantis e mateada (roda de chimarrão, ato típico da cultura gaúcha), entre outras atrações.

O Museu das Missões é um dos integrantes do Ibram.

Museu Regional de Caeté completa 32 anos

O Museu Regional de Caeté (MG) completa 32 anos no próximo dia 17 de fevereiro. As comemorações começam nesta sexta-feira (11/2) com a exposição Palmas Barrocas, da artista Neuza Chagas de Sabará, e se encerram no dia 17, com recital de violão comandado pelo músico Sidney do Vale, servidor do Museu.  A programação também faz parte das festividades de 297 anos da cidade de Caeté (MG).

O Museu está instalado em um prédio histórico de estilo colonial, datado de 1765, localizado no centro da cidade de Caeté, região metropolitana de Belo Horizonte (MG). O seu acervo é composto, principalmente, de mobiliário e peças sacras, com destaque para a Capela de São Manoel e a coleção de oratórios e imagens de santos em exposição.

Programação:
11 de fevereiro
15h – Abertura da exposição Palmas Barrocas – artista Neuza Chagas – aberta até 28/2
19h30min – Show musical com o saxofonista Fernando Nascimento, acompanhado pelos músicos Braulinho Santiago e Wilson (Cabecinha).

16 de fevereiro
Exibição de filme para estudantes do EJA (evento fechado).

17 de fevereiro
Recital de Violão com Sidney do Vale.

Muban comemora 61 anos com debates e exposições

Mesa-redonda debaterá Memória e Resistência
 
     
 

Neste sábado, dia 4, o Museu das Bandeiras (Muban) comemora 61 anos de existência com diversas atividades. Localizado em Cidade de Goiás (GO), o museu é vinculado ao Ibram/MinC.

A partir das 9h30 será realizada a mesa-redonda Memória e Resistência. Participarão dos debates a museóloga e professora da Universidade Federal de Goiás (UFG), Ana Karina Oliveira Rocha; a cientista social e educadora do Museu das Bandeiras, Claudimeire Vieira; o professor da Universidade Estadual de Goiás (UEG), frei Paulo Cantanheide; o historiador Paulo Sérgio Ferreira; e o historiador e fotógrafo Samuel Vaz.

Como parte das comemorações, serão lançados dois eventos culturais: a exposição fotográfica Contrastes do Olhar – Goiás sob um olhar negro, de Samuel Vaz, no Salão Vintém de Cobre; e a exposição de projeções fotográficas Negra Luz, de Patrícia Mousinho, na Sala Multimídia. O foco das mostras são as populações tradicionais de Goiás, afro-descendentes.

O museu – Criado em 1949, o Museu das Bandeiras (Muban) tem a missão de preservar, pesquisar e comunicar a memória nacional relativa à ocupação bandeirante na região Centro-Oeste do Brasil. O museu ocupa a antiga Casa de Câmara e Cadeia da Província de Goyaz. Ao longo de sua história, a Casa passou por uma série de intervenções físicas. A maior delas ocorreu entre julho de 2004 e outubro de 2006, período no qual o museu esteve fechado à visitação pública para realização de uma reforma, feita pelo Programa Monumenta. Entre os anos 2003 e 2010, o museu recebeu 75.960 visitantes.

O museu localiza-se na Praça do Chafariz, Cidade de Goiás (GO). Tel.: (62) 3371-1087. Email: muban@iphan.gov.br.

Museu Histórico Nacional realiza seminário

De 4 a 7 de outubro, o Museu Histórico Nacional promove seminário internacional com o tema Museus nacionais e os desafios do contemporâneo. O evento é realizado anualmente em outubro, mês de aniversário do museu. O seminário conta com o apoio do Ibram/MinC e a parceria com universidades, instituições culturais e de pesquisa, do Brasil e do exterior.

O objetivo é abrir espaço para a reflexão e o debate sobre as escolhas, os caminhos e as experiências dos museus nacionais, visando, inclusive, ao estabelecimento de novas diretrizes.

As vagas são limitadas e as inscrições podem ser feitas até 24 de setembro, no Museu Histórico Nacional.

A programação completa está disponível no site do museu: www.museuhistoriconacional.com.br

Mais informações: (21) 2550-9220.

Projeto no Museu Imperial resgata a história de Petrópolis

Durante a programação da Primavera dos Museus, que ocorrerá de 20 a 26 de setembro, o Museu Imperial de Petrópolis lança o projeto “Quem é quem na história de Petrópolis, quem é quem na história do Brasil”. Em comemoração aos 70 anos da instituição, serão publicadas no site do museu fotografias antigas, preservadas no Arquivo Histórico do Museu. A proposta é que os visitantes possam identificar as pessoas retratadas e participar, assim, das comemorações de aniversário do Museu Imperial.

A iniciativa possibilita o contato com o acervo pessoal e familiar da população de Petrópolis e seus parentes de várias gerações, buscando momentos prazerosos em sua memória. A ideia é que o projeto cresça e, posteriormente, os visitantes do site possam se tornar pesquisadores e colaboradores voluntários, identificando as pessoas que fizeram a história de Petrópolis e do Brasil. Mais informações podem ser obtidas no site do Museu Imperial: www.museuimperial.gov.br

Museu da Maré comemora 4º ano com Caravanas Euclidianas

Em comemoração ao seu quarto ano de existência, o Museu da Maré, no Rio de Janeiro, receberá nesta sexta e sábado, 7 e 8 de maio, as Caravanas Euclidianas, uma itinerância realizada em diversas regiões do Estado do Rio de Janeiro, que tem o propósito de contribuir para a inclusão educacional apresentando e difundindo a obra deste que é considerado um dos maiores autores da literatura brasileira.
A programação desta  sexta (7), começa às 18h30,   com a exibição do filme A Paz é Dourada, de Noilton Nunes, sobre a vida e obra de Euclides da Cunha. Às 20h , a noite será animada com  Roda de Samba, com participação  especial de  Edeor de Paulo, compositor do samba-enredo “ Os Sertões”, estandarte de ouro de 1976 – considerado um dos mais belos de todos os tempos. Já no sábado (8), das 10h às 16, serão oferecidas oficinas de literatura e áudio-visual sobre o autor.
Segundo Noiton Nunes, “ Euclides da Cunha era um visionário. Além de sua importância para a literatura brasileira, é considerado um dos primeiros ecologistas a chamar a atenção, ainda no final do séc. XIX,  para as devastações que começaram a ocorrer no Estado do Rio de Janeiro com a chegada das fábricas e transportes modernos.”
O Museu da Maré fica na Av. Guilherme Maxwell, 26 – Maré,  Passarela 7 da Av. Brasil, Rio de Janeiro – RJ. Mais informações:  (21) 3868 6748.

Museu da Maré comemora 4º ano com Caravanas Euclidianas

Em comemoração ao seu quarto ano de existência, o Museu da Maré, no Rio de Janeiro, receberá nesta sexta e sábado, 7 e 8 de maio, as Caravanas Euclidianas, uma itinerância realizada em diversas regiões do Estado do Rio de Janeiro, que tem o propósito de contribuir para a inclusão educacional apresentando e difundindo a obra deste que é considerado um dos maiores autores da literatura brasileira.
A programação desta  sexta (7), começa às 18h30,   com a exibição do filme A Paz é Dourada, de Noilton Nunes, sobre a vida e obra de Euclides da Cunha. Às 20h , a noite será animada com  Roda de Samba, com participação  especial de  Edeor de Paulo, compositor do samba-enredo “ Os Sertões”, estandarte de ouro de 1976 – considerado um dos mais belos de todos os tempos. Já no sábado (8), das 10h às 16, serão oferecidas oficinas de literatura e áudio-visual sobre o autor.
Segundo Noiton Nunes, “ Euclides da Cunha era um visionário. Além de sua importância para a literatura brasileira, é considerado um dos primeiros ecologistas a chamar a atenção, ainda no final do séc. XIX,  para as devastações que começaram a ocorrer no Estado do Rio de Janeiro com a chegada das fábricas e transportes modernos.”
O Museu da Maré fica na Av. Guilherme Maxwell, 26 – Maré,  Passarela 7 da Av. Brasil, Rio de Janeiro – RJ. Mais informações:  (21) 3868 6748.

Museu Imperial completa 70 anos e inicia digitalização de acervo

Comemorando 70 anos de criação na próxima segunda-feira, 29 de março, o Museu Imperial apresenta uma das iniciativas mais importantes de sua história. O projeto de Digitalização do Acervo do Museu Imperial (DAMI), vai disponibilizar no novo portal da instituição, que será lançado na mesma data, imagens de todo o seu acervo, composto por mais de 200 mil documentos, 55 mil livros e periódicos e 7 mil objetos de arte.

O aniversário será marcado também pelo lançamento da publicação “Caderno de Conservação – Coleção Chapéus”, de Eliane Marchesini Zanatta e apresentação do Sarau Imperial. Serão entregues medalhas comemorativas em homenagem às pessoas que ajudaram a enriquecer o acervo por meio de doações. Haverá também exibição de produtos para a loja do museu.

Segundo o diretor do Museu, Maurício Ferreira, o projeto DAMI levará mais de uma década para ser concluído, mas o público poderá desfrutar das informações já a partir do dia 29 de março, quando serão disponibilizadas duas coleções: do visconde de Itaboraí, Joaquim José Rodrigues Torres (1802-1872), e do compositor Carlos Gomes, doada ao Museu por sua filha Ítala Vaz de Carvalho.

Confira a programação das comemorações

O Museu Imperial está localizado na Rua da Imperatriz, 220, Centro, Petrópolis-RJ. Informações: (24) 2245-5550

Página 7 de 7« Primeira...34567