Página 1 de 712345...Última »

MNBA celebra 82 anos com entrada gratuita até o fim de janeiro

Como parte das comemorações, museu recebeu doações e apresentou projeto de financiamento de ações com apoio da sociedade.

Como parte das comemorações, museu recebeu doações e apresentou projeto de financiamento de ações com apoio da sociedade.

O Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), que integra a rede Ibram no Rio de Janeiro (RJ), completou seus 82 anos de criação no último domingo (13). Para celebrar o mês de seu aniversário, o museu oferece entrada gratuita a todos os visitantes até o próximo dia 31.

Quem visitar o MNBA durante este mês de janeiro poderá conferir, na Sala Bernadelli, a exposição “São Francisco na Arte de Mestres Italianos”, que traz 20 obras da Itália e uma de Nova York (EUA) para apresentar ao público brasileiro as alterações e permanências na representação do santo ao longo dos séculos. Trata-se de uma oportunidade única de ver pinturas valiosas de autores como Perugino, Guido Reni e Tiziano. A exposição fica em cartaz até 3 de fevereiro.

O público também pode apreciar ao longo de outras três salas do museu, até 31 de março, a mostra “Fez-se uma galeria com excelentes pinturas”, que celebra os 200 anos da primeira galeria de pintura brasileira, sediada no Museu Nacional, apresentando 45 pinturas do acervo do MNBA representativas daquele momento pioneiro para as artes nacionais e de seu legado.

Também seguem em cartaz as exposições “Três momentos da Pintura de Paisagem no Brasil, que traz uma reflexão sobre um capitulo essencial da evolução da arte brasileira através de 36 obras de arte do acervo do MNBA e de obras da Pinacoteca Barão de Santo Angelo, do Rio Grande do Sul; “Três Gravuristas e o exílio no Brasil: Fayga Ostrower, Axl Leskoschek, Lasar Segall”, com 32 obras originais dos três mestres da gravura que chegaram ao Brasil no século XX, fugindo do nazismo; e “Instantes Múltiplos”, com 67 gravuras de Thereza Miranda.

Para celebrar seu aniversário de 82 anos, o Museu Nacional de Belas Artes também oferece nesta terça-feira (15) a partir das 12h30, com entrada franca, concerto do Coro Lírico Feminino da Associação de Canto Coral. No repertório, peças de música de câmara internacional e brasileira e coros de ópera com encenação.

Diploma e doações

Durante a cerimônia de celebração dos 82 anos, realizada no último domingo (13), o MNBA fez a tradicional entrega do diploma Quirino Campofiorito, que homenageia personalidades que contribuíram de forma relevante para a preservação da arte, do patrimônio e da cultura brasileira. Neste ano, foram entregues 14 diplomas – entre os homenageados, estão cineastas, apoiadores e servidores do museu.

Na cerimônia, foram ainda apresentadas ao público as novas aquisições do museu: a Coleção Glauco Rodrigues e o Acervo de Anita Prestes. O MNBA passará a contar com cerca de 700 obras, entre pinturas, esculturas e gravuras, do artista gaúcho Glauco Rodrigues, doados pela esposa dele, Norma Estelita Pessoa. Além das obras, há 54 itens bibliográficos e mais quatro metros lineares de documentos de correspondências pessoais de Rodrigues com intelectuais e artistas.

Da historiadora Anita Leocádia Prestes, o museu recebeu doação que integra seu acervo pessoal: um quadro com imagem da mãe, Olga Benário, pintado por Cândido Portinari; e um busto do pai, Luiz Carlos Prestes, feito por Honório Peçanha. Na ocasião, houve ato de assinatura das obras doadas pelos familiares.

"Baile à Fantasia” (1913), tela de Rodolpho Chambelland restaurada graças ao Projeto ADOTARTE.

“Baile à Fantasia” (1913), tela de Rodolpho Chambelland restaurada graças ao Projeto ADOTARTE.

Também foi apresentado ao público, durante a cerimônia, o Projeto ADOTARTE, iniciativa da Associação de Amigos do Belas Artes que tem como objetivo estimular a participação da sociedade na preservação do patrimônio do MNBA.

O projeto foi inaugurado com a restauração da pintura “Baile à Fantasia” (1913), de autoria de Rodolpho Chambelland. O trabalho de restauração da obra, que foi coordenado pelo laboratório de restauração do museu e levou 4 meses, foi financiado por Marcos Chaves e Kevin Ridgley. Graças ao financiamento, a tela pôde voltar recentemente às paredes da Galeria de Arte Brasileira Moderna e Contemporânea do MNBA.

O museu

Com criação oficializada em 13 de janeiro de 1937 e aberto ao público a partir de 1938, o Museu Nacional de Belas Artes está situado em edifício histórico que abrigava originalmente a Academia Imperial de Belas Artes, fundada por Dom João VI no bojo de política voltada à formação de uma arte nacional brasileira.

O MNBA abriga a maior e mais importante coleção de arte brasileira do século XIX, concentrando um acervo de setenta mil itens – entre pinturas, desenhos, gravuras, esculturas, objetos, documentos e livros – que testemunha a história das artes plásticas no Brasil desde seus primórdios até a contemporaneidade. Saiba mais.

Museu da Inconfidência celebra 74 anos de existência

Situado em prédio histórico que abrigou originalmente a antiga Casa de Câmara e Cadeia de Vila Rica, Museu da Inconfidência é um doas museus históricos mais importantes e visitados do Brasil.

Situado em prédio histórico que abrigou originalmente a antiga Casa de Câmara e Cadeia de Vila Rica, Museu da Inconfidência é um dos museus históricos mais importantes e visitados do Brasil.

O Museu da Inconfidência, em Ouro Preto (MG), completa neste sábado (11) seus 74 anos de existência. Um dos museus históricos mais importantes e visitados do Brasil celebrará o aniversário com programação que inclui bate papo, exibição de filmes e lançamento de livro.

A programação terá início na manhã desta sexta-feira (10), a partir das 10h30, com o bate-papo aberto ao público “Sete décadas do Museu da Inconfidência”, que reunirá ex-servidores da instituição; e prossegue a partir das 14h, no cinema anexo ao museu, com exibição de filmes.

No sábado, das 10h às 17h, o museu comemora seu aniversário oferecendo entrada gratuita a todos os visitantes. A partir das 15h, oferece exibição de filmes para o público infantil, com distribuição de pipoca. Fechando a programação, recebe o lançamento do livro “Caminho do Ouro, Caminho do Mar”, do escritor Flávio Leão.

O museu

Inaugurado em 11 de agosto de 1944 após reformas que adaptaram o edifício à nova função, o Museu da Inconfidência está situado em prédio histórico que abrigou originalmente a antiga Casa de Câmara e Cadeia de Vila Rica, que teve sua construção iniciada em 1785.

Primeira do gênero a se instalar fora do litoral, a instituição foi criada no bojo de uma política de resgate da memória brasileira e constituição de uma identidade nacional, e abriga restos mortais de participantes da Inconfidência Mineira que foram degredados para a África – exumados e trazidos de volta ao Brasil, em 1937, por determinação do então presidente Getúlio Vargas.

O museu reúne ainda mais de quatro mil peças com exemplares de praticamente todas as esferas da vida sociocultural mineira dos séculos XVIII e XIX, de relevante conteúdo histórico e iconográfico, que incluem objetos diversos e obras de autores como Antônio Francisco Lisboa (Aleijadinho), Francisco Vieira Servas, Francisco Xavier de Brito, Manoel da Costa Athaide, João Nepomuceno e Armand Julien Pallière, dentre outros.

Reaberto em 2006 após obras de modernização e de reformulação expositiva, o Museu da Inconfidência recebeu em 2011 as ossadas de mais três inconfidentes, identificadas mais de 200 anos após suas mortes através de pesquisa. Desde o final de 2017, o museu conta com nova diretora, escolhida através de seleção pública promovida pelo Ibram. Saiba mais.

MNBA completa 81 anos com homenagens e duas novas exposições

Edifício do MNBA no início do século XX: 81 anos de história em exposição

Edifício do MNBA no início do século XX: 81 anos de história em exposição

No sábado (13), o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), completa 81 anos de criação e celebra a data com a entrega de diplomas e a abertura de duas novas exposições.

A cerimônia, que tem início às 11h e é aberta ao público, contará com a presença do Ministro da Cultura, Sérgio de Sá Leitão, e do presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Marcelo Mattos Araujo.

O Diploma Quirino Campofiorito é entregue pelo museu desde 2011 para personalidades que contribuíram de forma relevante para a preservação da arte, do patrimônio e da cultura brasileira. Neste ano serão agraciados ex-diretores da instituição e funcionários do museu – como Lígia Martins, atualmente com 104 anos.

Após a apresentação do Coral Unati, da Universidade Candido Mendes, serão abertas duas novas exposições: A reinvenção do Rio de Janeiro e O espaço da arte.

Resgate da memória e arte brasileira
Cerca de 60 peças, entre pinturas, documentos, objetos, gravuras e fotografias, compõem a exposição A reinvenção do Rio de Janeiro: Avenida Central e a memória arquitetônica do MNBA, que se propõe a resgatar parte da história do museu criado em 1937 e aberto ao público a partir de 1938.

Obra de Portinari (Brodósqui, 1948) estará em exposição no MNBA

Obra de Portinari (Brodósqui, 1948) estará em exposição no MNBA

A curadoria dos técnicos do museu dividiu a exposição em três núcleos: as origens do museu, abordando o papel seminal da Academia Imperial de Belas Artes; a modernização da Avenida Central (atual Avenida Rio Branco), a partir de 1904; e, por último, o protagonismo do MNBA no cenário nacional e internacional.

O aspecto da preservação também integra a mostra, ao abordar a restauração do prédio que sedia o museu – inaugurado há 110 anos.

Em processo de reformulação, a Galeria de Arte Brasileira Moderna e Contemporânea fará uma prévia do que está por vir com a exposição O espaço da arte. Estarão à mostra 51 obras da coleção MNBA, reunindo trabalhos de artistas que impactaram as artes visuais brasileiras a partir do século XX.

Optando pela abordagem da espacialidade na obra de arte, os curadores da exposição lembram que suas transformações ao longo do século passado foram essenciais para se entender as mudanças visuais e conceituais que geram conseqüências no fazer de hoje.

As exposições ficam em cartaz até 27 de maio. Saiba os horários, preço de ingressos e como chegar ao MNBA.

Texto e imagens: MNBA/Divulgação
Edição: Ascom/Ibram

MART completa 35 anos de abertura nesta sexta

Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio

Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio

O Museu de Arte Religiosa e Tradicional (MART), situado em Cabo Frio (RJ) e vinculado à rede Ibram, comemora 35 anos de abertura ao público nesta sexta-feira (15).

O museu ocupa o antigo Convento Nossa Senhora dos Anjos, edificação considerada um valioso exemplar da arquitetura franciscana e colonial brasileira, e abriu as portas ao público em 15 de dezembro de 1982 com acervo constituído, em sua maior parte, por imagens religiosas dos séculos XVII, XVIII e XIX – várias delas entregues ao museu por moradores da região.

Em 2017, a antiga edificação religiosa completou 331 anos e o MART lançou o livro “Cabo Frio – 400 Anos de História (1615-2015)”, disponível para download gratuito, que reúne textos de historiadores locais sobre a Baixada Litorânea Fluminense, o Convento Nossa Senhora dos Anjos e o museu.

Confira episódio da série Conhecendo Museus sobre o Museu de Arte Religiosa e Tradicional.

Entrega do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade celebra 80 anos do Iphan

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) comemora seus 80 anos com uma série de eventos, que acontecem de 24 a 27 de outubro no Rio de Janeiro. O destaque da programação é a cerimônia de entrega do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, a mais importante premiação do país voltada para ações de valorização, promoção e preservação do Patrimônio Cultural Brasileiro.

Em sua 30ª edição, o Prêmio contemplou oito projetos dos estados do Amapá, Ceará, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul e São Paulo. Durante a cerimônia, que acontece no dia 24 de outubro, às 19h, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, o Iphan também vai homenagear parceiros, entre instituições e personalidades, que se destacaram nos últimos 80 anos na gestão do Patrimônio Cultural, com a Medalha Mário de Andrade, instituída para celebrar os 80 anos do Instituto.

Serão homenageados, entre outros, o presidente do Ibram, Marcelo Araújo, enquanto membro do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, o Museu Histórico Nacional e o Museu Nacional de Belas Artes.

E nos dias 26 e 27 de outubro, no auditório do Museu do Amanhã, ainda em comemoração ao aniversário, o Iphan promove o Seminário Internacional O Futuro do Patrimônio, cujo objetivo é refletir sobre a evolução da política de preservação e a gestão do Patrimônio Cultural. O evento vai reunir especialistas de todo o mundo para trocar experiências e debater um modelo sustentável para a gestão patrimonial. Saiba mais sobre a programação aqui.

Museu Casa de Benjamin Constant completa 35 anos

Museu Casa de Benjamin Constant passa por obras de melhoria

Museu Casa de Benjamin Constant passa por obras de melhoria

O Museu Casa de Benjamin Constant (Ibram/MinC), no Rio de Janeiro, comemorou 35 anos no último dia 18 de outubro. A casa, que que serviu de moradia a Benjamin Constant por pouco mais de um ano e foi ocupada pela família até 1960, atualmente passa por reformas.

Tombado pelo Patrimônio Histórico em 1958, o imóvel encontra-se fechado desde janeiro para uma restauração que recupera telhado, fachadas, paredes internas, pisos, portas e janelas. A primeira etapa da obra está prevista para terminar no começo de 2018.

O Museu tem como missão, preservar a memória de Benjamin Constant e os hábitos de vida de uma típica família do século XIX que habitava uma casa de chácara no bairro de Santa Teresa. Saiba mais sobre o museu.

MHN realiza seminário para celebrar o aniversário da Instituição

21616418_705168113014016_141172771027784064_nO Museu Histórico Nacional (Ibram/MinC) realiza, nos dias 10 e 11 de outubro, o Seminário “Games e Museus: a história em jogo” em comemoração ao aniversário do Museu, celebrado este mês.

O seminário objetiva reunir pesquisadores para apresentar suas experiências, metodologias e pesquisas acerca do tema, assim como refletir sobre o modo pelo qual o espaço da memória histórica e dos museus e seus acervos são incorporados, ressignificados e trabalhados pelos recursos das audiovisualidades, como o cinema, televisão, games, vídeos, aplicativos, smartphones, dentre outros.”

As inscrições podem ser feitas pela internet e no dia da abertura, a partir das 9h da manhã. No dia 10, a programação conta com uma palestra de abertura e mesas-redondas. E no dia 11, acontece o curso de curta duração: Jogos e ensino de história, ministrado pelo Professor Dr. Christiano Britto, da Universidade Federal Fluminense. O curso propõe reflexões em torno do uso da história em jogos de videogames, como as franquias de Medal of Honor e Call of Duty e os títulos Valiants Hearts e Uncharted, dentre outros. Serão objetos de análise categorias e questões em torno de eventos históricos, biografias, documentos e monumentos que são utilizados em narrativas de videogames.

Mais informações aqui.

Museu da Inconfidência comemora 73 anos em Ouro Preto (MG)

Museu da Inconfidência (MG)

Museu da Inconfidência (MG)

O Museu da Inconfidência (Ibram/MinC), em Ouro Preto (MG). completa 73 anos de inauguração no dia 11 de agosto.

Para comemorar a data, haverá programação especial de aniversário, com lançamento de livros e o seminário Hospitalidade e Patrimônio: do acolher ao preservar – ambos com entrada gratuita.

As atividades ocorrerão nos dias 10 e 11 de agosto, a partir das 18h, no Auditório, Anexo I (Rua Vereador Antônio Pereira, 33, Centro Histórico).

Os participantes receberão certificado. Visite a página do Museu da Inconfidência para mais informações.

Confira a programação:

Seminário Hospitalidade de patrimônio: do acolhedor ao preservar

Mesa 1 – 10 de agosto, a partir das 18h
Mediação: Professora Ma. Lia Sipaúba P.Brusadin, Universidade Federal de Ouro Preto.

História, arte e preservação do patrimônio cultural
Profa. Dra. Maria Regina E. Quites
Graduada em bacharelado e licenciatura em Artes Plásticas, Especialista em Conservação Restauração de Bens Culturais e Mestre pela Universidade Federal de Minas Gerais, Doutora em História pela Universidade Estadual de Campinas. Professora do Departamento de Artes Plásticas e do Programa de Pós-graduação em Artes da Escola de Belas Artes da UFMG. É vice-presidente do Centro de Estudos da Imaginária Brasileira.

Potencialidades da documentação oficial da hospitalidade e refúgio
Profa. Dra. Sênia Regina Bastos

Bacharel, mestre e doutora em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Bolsista de Produtividade em Pesquisa (nível 2 – CNPq), atualmente é professora do Mestrado e Doutorado em Hospitalidade da Universidade Anhembi Morumbi. É membro do Grupo de Pesquisa Hospitalidade: Processos e Práticas.

Museus hostis, turistas hostilis; controvérsias e caminhos da hospitalidade em instituições museológicas sob uma uma abordagem derrdariana
Profa. Dra. Karla Estelita Godoy
Professora Adjunta IV do Departamento de Turismo da Universidade Federal Fluminense. Vice-coordenadora e docente do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Turismo e professora do curso de Bacharelado em Turismo da UFF. Possui Bacharelado em Museologia, Mestrado em Memória Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Doutorado em Políticas Públicas e Formação Humana pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro e Pós-doutorado no Programa de Pós-graduação em Antropologia da Universidade Federal Fluminense.

O trabalho do profissional de museus para o fomento do turismo cultural e a preservação da memória social
Margareth Monteiro
historiadora e chefe da Divisão Técnica do Museu da Inconfidência/Ibram.
Janine Ojeda
Museóloga, Museu da Inconfidência/Ibram.

Lançamento de livros

livro1_Inconfidencia Hospitalidade e Dádiva: a alma dos lugares e a cultura do acolhimento
Leandro Benedini Brusadin (Org.)
Graduado em Turismo pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Mestre em Hospitalidade pela Universidade Anhembi Morumbi e Doutor em História pela Universidade Estadual Paulista de Franca. Pós-doutorado pela Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo – USP. Professor Adjunto do Departamento de Turismo da Escola de Direito, Turismo e Museologia da Universidade Federal de Ouro Preto. Professor do Mestrado em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável da Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais.

História, Arte e Preservação do Patrimônio Cultural: a imaginária da Paixão de Cristo da Ordem Terceira do Carmo de Ouro Preto (MG)
Lia Sipaúba P. Brusadin
Graduada em bacharelado e licenciatura em História pela Universidade Estadual Paulista, Técnica em Conservação e Restauro de Bens Culturais pela Fundação de Arte de Ouro Preto, Especialista em Cultura e Arte Barroca pela Universidade Federal de Ouro Preto, Mestre e Doutoranda em Artes pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professora do Departamento de Museologia da Universidade Federal de Ouro Preto.

Livro2_InconfidenciaMaria Regina E. Quites
Graduada em bacharelado e licenciatura em Artes Plásticas, Especialista em Conservação Restauração de Bens Culturais e Mestre pela Universidade Federal de Minas Gerais, Doutora em História pela Universidade Estadual de Campinas. Professora do Departamento de Artes Plásticas e do Programa de Pós-graduação em Artes da Escola de Belas Artes da UFMG. É vice-presidente do Centro de Estudos da Imaginária Brasileira.

Mesa 2 – 11 de agosto, sexta-feira, 18h30
Mediação: Prof. Dr. Leandro B. Brusadin, Universidade Federal de Ouro Preto

Acolhendo Saint-Hilaire: a “polidez simples e afetuosa” do minierio
Prof. Dr. José Newton Coelho Meneses
Professor Associado do Departamento de História da Universidade Federal de Minas Gerais e orientador pleno no Programa de Pós-Graduação em História/FAFICH/UFMG, linha de pesquisa História Social da Cultura. Graduado em Medicina Veterinária pela EV-UFMG e em História pela FAFICH/UFMG, possui mestrado em História pela Universidade Federal de Minas Gerais e doutorado em História pela Universidade Federal Fluminense. Realizou estágio pós-doutoral com Bolsa de Estágio Sênior da CAPES, na École des Hautes Étudesen Sciences Sociales – EHESS (Enseignant Chercheur Invité), em Paris, França, sob a supervisão do Prof. Roger Chartier.

Dimensões teóricas da noção de hospitalidade
Profa. Ma. Grace Kelly Marcelino
Doutoranda e Mestre em Hospitalidade e Pós-graduada em Gestão de Empresas pela Universidade Anhembi Morumbi – Laureate International Universities, cursando especialização em Planejamento, Implementação e Gestão de EAD pela Universidade Federal Fluminense e graduada em Turismo pela Universidade Nove de Julho. Atualmente é professora no EAD Laureate.

O ofício de acolher na hospitalidade: trabalhadores do turismo entre o prescrito e o real
Profa. Dra. Kerley dos Santos Alves
Doutora em Psicologia pela PUC-MG. Graduada em Administração pela Universidade Federal de Ouro Preto, graduada em Psicologia e em Turismo pelo Centro Universitário Newton Paiva. Especialização em Administração Pública, Especialização em Educação/ Interpretação Ambiental e especialização em Gerenciamento de Empresas. Mestre em Turismo e Meio Ambiente pelo Centro Universitário de Ciências gerenciais UMA. Professora adjunta do quadro efetivo do Departamento de Turismo da Universidade Federal de Ouro Preto.

A casa e o acolhimento como ação descolonial
Prof. Dra. Ana Flávia Andrade de Figueiredo
Doutora e Mestre em Antropologia pela UFPE, tendo como linhas de estudo centrais as Teorias da Complexidade, Teorias Decoloniais, Simbolismo, Cibercultura e Hospitalidade na perspectiva maussiana. Especialista no Ensino de História das Artes e Tradições Religiosas pela UFRPE. Atualmente Professora Adjunta na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri.

Texto e foto: Museu da Inconfidência/Divulgação

Museu de Arqueologia de Itaipu comemora 40 anos com festival

museu_arq_itaipu_8-200x300O Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI/Ibram), em Niterói (RJ), comemora 40 anos no dia 23 de março. E para celebrar a data, o museu preparou, em parceria com o Núcleo Interdisciplinar para o Desenvolvimento Social da UFRJ, o I Festival UFRJMar Itaipu.

O MAI tem buscado o desenvolvimento local através de atividades de educação, cultura e lazer. Também suas ações são voltadas para a preservação da memória dos povos tradicionais da região e do desenvolvimento da Região Oceânica de Niterói e o festival envolverá toda a comunidade da vila de pescadores e da Praia de Itaipu.

O evento acontece entre os dias 23 e 26 de março e nos dias 1 e 2 de abril. A programação vai de oficinas a atividades culturais e esportivas.

São 9 oficinas ministradas por alunos da UFRJ voltadas para crianças – que acontecem nos dias 23 e 24, das 8h30 às 11h30 e das 14h às 17h. Há oficina de amarelinha, carretel, informática educativa, malabares, fontes alternativas de energia, surimi, waterball, futebol de prancha e animação.

Nos dias 25 de março e 1º de abril, o MAI recebe a Feira de Economia Solidária, atividades culturais e cineclube. As atividades são gratuitas e acontecem ao logo do dia.

O Festival também conta com atividades esportivas, nos dias 26 de março e 2 de abril. Haverá competição de natação, futevôlei e futebol, canoagem, dança e relaxamento. A programação acontece na Praia de Itaipu, com início às 8h e termino às 17h. Todas as atividades são gratuitas e abertas ao público. Mais informações pelo telefone (21) 3701.2994 ou pelo endereço eletrônico mai@museus.gov.br.

Texto e foto: Ascom/Ibram

130 anos do nascimento de Villa-Lobos é comemorado com música no museu

O Museu Villa-Lobos/Ibram, no Rio de Janeiro, realiza no domingo (5), dia do nascimento de Heitor Villa-Lobos e também Dia Nacional da Música Clássica, uma série de concertos em memória de seu patrono. A programação tem início às 14h e o ingresso custa R$2,00. O Museu Villa-Lobos fica na Rua Sorocaba, 200, no bairro de Botafogo.

Villa-Lobos e sua esposa Arminda

Villa-Lobos e sua esposa Arminda em 1957 – dois anos antes de seu falecimento

Fazem parte da programação dois grupos – Orquestra Popular Tuhu e Orquestra Villa-Lobos e as Crianças – oriundos de um projeto social de educação musical nascido no Museu e apoiado pela instituição, além do Quinteto Villa-Lobos e o Quarteto Radamés Gnattali – dois dos mais importantes conjuntos de música de câmara brasileiros.

No encerramento, a soprano norte-americana radicada no Brasil Carol McDavit, acompanhada pelo pianista Flávio Augusto, apresenta um recital Villa-Lobos que servirá de abertura para o lançamento do seu livro Vozes das Américas – Encontro das culturas europeia, africana e indígena nas canções de câmara de Heitor Villa-Lobos e Aaron Copland.

Heitor Villa-Lobos
Considerado, ainda em vida, o maior compositor das Américas, Heitor Villa-Lobos compôs cerca de 1 mil obras e sua importância reside, entre outros aspectos, no fato de ter reformulado o conceito brasileiro de nacionalismo musical, tornando-se seu maior expoente.

Foi também, através de Villa-Lobos, que a música brasileira se fez representar em outros países, culminando por se universalizar. Villa-Lobos nasceu em 5 de março de 1887 e faleceu em 1959, aos 72 anos. Saiba mais na página do Museu Villa-Lobos.

Texto: Ascom Museu Villa-Lobos
Edição: Ascom Ibram

Página 1 de 712345...Última »