Reunião em Florianópolis define detalhes para reabertura do Museu Victor Meirelles

 Obra abarca restauração do sobrado luso-brasileiro do séc. XVIII onde nasceu o pintor Victor Meirelles, além da ampliação de seu prédio anexo, que terá seu espaço readequado e requalificado.


Obra abarca restauração do sobrado luso-brasileiro do séc. XVIII onde nasceu o pintor Victor Meirelles, além da ampliação de prédio anexo, que terá seu espaço readequado e requalificado.

A presidente substituta do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Eneida Braga Rocha de Lemos, e o responsável pela Diretoria de Planejamento e Gestão Interna (DPGI) do órgão, Denio Menezes da Silva, estiveram em Florianópolis (SC) na última quarta-feira (13) para tratativas sobre a entrega da obra de revitalização e ampliação do Museu Victor Meirelles.

Vinculado à rede Ibram, o museu está fechado ao público desde abril de 2016. A intervenção física abarca a restauração do sobrado luso-brasileiro onde nasceu o pintor Victor Meirelles (1832-1903), construído no final do séc. XVIII – que foi tombado em 1950 e é sede do museu desde 1952 – além da ampliação de seu prédio anexo, que terá seu espaço readequado e requalificado. A obra é realizada com recursos do PAC – Cidades Históricas sob a responsabilidade do Iphan-SC.

Pela manhã, a presidente substituta do Ibram participou de reunião na Prefeitura Municipal de Florianópolis a respeito de melhorias urbanísticas no entorno do museu. O encontro contou com a presença da superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em Santa Catarina, Liliane Janine Nizzola; da chefe da Divisão Técnica do Iphan, Regina Helena Meirelles Santiago; do diretor de planejamento do Instituto de Planejamento Urbano (IPUF), Michel Mittmann; da diretora do Museu Victor Meirelles, Lourdes Rossetto; da Técnica em Assuntos Culturais Rita Coitinho, servidora do museu; e do arquiteto responsável pela obra, Luiz Edgard Vieira Pereira.

Em seguida, os representantes do Ibram participaram de visita técnica à obra (foto). À tarde, houve encontro na sede provisória da instituição, com a presença de integrantes da Associação dos Amigos do Museu, para apresentação das mudanças pelas quais o prédio passou e planejamento dos próximos passos que garantirão a reabertura do museu.

Após a agenda, ficou confirmada a previsão de conclusão da obra para o próximo mês de abril. A reabertura do museu ao público está programada para o segundo semestre, após execução de novo projeto de mobiliário.

A obra

A obra em curso prevê a integração entre dois edifícios – o antigo sobrado luso-brasileiro, do final do século XVIII, que abriga o Museu Victor Meirelles, e o edifício adjacente, da década de 60, ampliando a área do museu de 400 para 740 metros quadrados. O museu ganhará novas salas de exposição, auditório, salas de atividades diversas, recepção, cafeteria e biblioteca, entre outros.

O espaço receberá um elevador que atenderá simultaneamente aos dois edifícios, configurando-se como elemento de ligação entre as diferentes arquiteturas. A intervenção também vai promover, na sequência, a plena acessibilidade a todos os espaços do museu e a harmonização com seu entorno, como parte de qualificação da região a finalidades turísticas e culturais.

Museu Imperial lança aplicativo ‘História nas mãos’

Como principal novidade para as Olimpíadas, o Museu Imperial/Ibram lança, nessa sexta-feira (5 de agosto), o aplicativo “História nas mãos”, com a disponibilização de informações sobre ambientes e peças dispostas ao longo do circuito de exposição permanente do Museu. Essa iniciativa conta com o apoio da Sociedade de Amigos do Museu Imperial – SAMI.

O aplicativo estará disponível para os sistemas Android (https://goo.gl/dX6pbX)  e iOS (https://goo.gl/YK3Qgg) e o interessado poderá baixar através do seu celular antes da visita, ou pelo site do Museu www.museuimperial.gov.br utilizando o link www.museuimperial.gov.br/app.

O visitante deverá aproximar seu smartphone do código que estará afixado na sala de interesse para obter imagens, textos e demais informações sobre os ambientes e peças que pertenceram à Família Imperial Brasileira. Disponível em dois idiomas: português e inglês, a ferramenta visa atender, igualmente, ao público com necessidades especiais: de audição e de visão.

QR Code – É um código de barras que pode ser escaneado através de um celular equipado por câmera. No caso do Museu Imperial, o visitante poderá obter mais informações sobre 20 ambientes desejados

MHN abre exposição guiada por deficientes visuais

30.01 mhnSentir o mundo sem enxergar. Interagir sem a visão, mas usando seus outros sentidos, e apreciar uma ida ao museu sob a perspectiva de um deficiente visual. Esta é a proposta da exposição Diálogo no Escuro, em cartaz no Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ).

Visitada por mais de 8 milhões de pessoas em 140 cidades de 40 países, a exposição oferece ao visitante a experiência de ser conduzido através de salas totalmente escuras e especialmente construídas em que cheiro, som, vento, temperatura e textura apresentam as características de ambientes cotidianos.

Numa inversão de papéis, são guias deficientes visuais que proporcionam segurança e sentido de orientação aos visitantes, além de responderem a questionamentos que normalmente não se tem a chance de fazer, reduzindo as barreiras e ajudando na compreensão mútua.

A exposição fica em cartaz até outubro. O Museu Histórico Nacional está situado à Praça Marechal Âncora, s/nº, entre a Praça XV e o Aeroporto Santos Dumont, no centro do Rio de Janeiro.

Acessibilidade e museus: dados foram destaque em palestra no Ibram

Na tarde de sexta-feira (22), a palestra Museus e acessibilidade – uma temática contemporânea reuniu cerca de 60 pessoas no auditório do edifício sede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MInC), em Brasília (DF). O evento foi promovido pelo Programa Nacional de Educação Museal (PNEM) e também fez parte da programação do I Seminário do Sistema de Museus do Distrito Federal, que aconteceu nos dias 21 e 22.

Acessiblidade_PNEM

Isabel Portella apresentou dados relevantes sobre museus e acessibilidade

Na palestra, a coordenadora do Grupo de Trabalho Acessibilidade do PNEM, Isabel Portella, apresentou as várias especificidades que envolvem o tema. Isabel, que é pesquisadora do acervo do Museu da República/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ), ressaltou que além das adaptações arquitetônicas e comunicacionais, o treinamento e a sensibilização da equipe são fundamentais para garantir a segurança e a autonomia do visitante com deficiência.

Deficiência e educação
Entre os dados apresentados por Isabel Portella, o número de pessoas com deficiência chamou a atenção de Maria Julia Chelini, do Museu de Geociências da Universidade de Brasília (UnB), que foi uma das debatedoras.

Realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Censo 2010 revelou que quase ¼ da população brasileira (23,9%) tem algum tipo de deficiência, o que representa cerca de 45,6 milhões de pessoas. Julia destacou, ainda, os dados sobre a educação no Brasil e sugeriu uma reflexão sobre como atender essa enorme parcela da população que está deixando de ser atendida nos museus em todo o país.

Rafaela Felício, arquiteta da Coordenação de Espaços Museais, Arquitetura e Expografia (Cemae/DPMUS/Ibram), mencionou o projeto de Requalificação Arquitetônica e Expográfica dos Museus do Ibram e relembrou o trabalho realizado pelo instituto, em parceria com a UFRJ e a Faperj, que resultou em um diagnóstico sobre condições de acessibilidade em museus do Rio de Janeiro. Alguns desses dados estão disponíveis na publicação Cadernos Museológicos: Acessibilidade a Museus, disponível para download na página do Ibram. Saiba mais sobre o Programa Nacional de Educação Museal.

Texto e foto: Ascom/Ibram

PNEM reúne coordenadores e promove palestra aberta em Brasília

Nos dias 21 e 22 de novembro, todos os nove coordenadores de Grupos de Trabalho (GTs) do Programa Nacional de Educação Museal (PNEM), desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MInC), se reunirão na sede do instituto em Brasília para discutir e encaminhar o Documento Preliminar do PNEM – fruto de discussões e proposições feitas nos fóruns temáticos do blogue. Durante os dois dias de reunião o objetivo é alinhar as propostas apresentadas em cada GT.

Aproveitando a presença do grupo de coordenadores na capital, no dia 22 (sexta-feira), às 14h30, acontece o projeto Diálogos PNEM com a palestra pública  Museus e Acessibilidade – Uma temática Contemporânea, ministrada por Isabel Portella – curadora e pesquisadora do Museu da República/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ), e que coordena o GT com o mesmo tema no PNEM. Compõem a mesa de debate Rafaela Felício, arquiteta do Ibram, e a Professora Maria Júlia Chelini, da Universidade de Brasília (UnB). A entrada é franca. Confira o convite para mais informações.

Texto: Divulgação PNEM

Cadernos Museológicos: livro Acessibilidade a Museus já está disponível online

Já está disponível para consulta e download na página do Ibram, o volume 2 da série Cadernos Museológicos, publicado pelo instituto no final de abril.

Com o tema Acessibilidade a Museus, a publicação é uma contribuição para a adaptação das práticas, das instituições e dos espaços museais brasileiros de forma a torná-los acessíveis a todos – com destaque para pessoas com deficiência.

Tem ainda o intuito de suprir a carência de informações sobre o tema e contribuir para o processo de democratização do acesso à cultura. Baixe o livro em versão PDF.

As autoras são arquitetas e professoras pesquisadoras do Núcleo de Pesquisa, Ensino e Projeto Sobre Acessibilidade e Desenho Universal – Núcleo Pró-Acesso da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

O primeiro volume da série Cadernos Museológicos teve como tema Segurança em Museus, que também se encontra disponível para baixar.

Texto: Ascom/MinC

Livro Acessibilidade a Museus tem lançamento no Museu Histórico Nacional

No dia 24 de abril (quarta-feira), às 16h, no auditório do Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), será lançado o livro Acessibilidade a Museus, com a presença das autoras Regina Cohen, Cristiane Duarte e Alice Brasileiro.

O livro, uma publicação do Ibram/MinC, é o segundo volume da Coleção Cadernos Museológicos. O novo volume procura orientar os profissionais dos museus brasileiros sobre a necessidade de adaptação dos espaços para torná-los acessíveis às pessoas com deficiência.

As autoras são arquitetas e professoras pesquisadoras do Núcleo de Pesquisa, Ensino e Projeto Sobre Acessibilidade e Desenho Universal – Núcleo Pró-Acesso da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

A tiragem da obra será de 3,5 mil exemplares que serão distribuídos para os museus do país. No lançamento, as autoras farão uma breve exposição sobre o contéudo livro e distribuirão 100 unidades autografadas.

A primeira publicação da Coleção Cadernos Museológicos, lançada em agosto de 2012, foi sobre segurança em museus e está disponível para baixar. O novo volume deverá estar  disponível online no final do mês de maio.

O lançamento é aberto ao público. O MHN/Ibram localiza-se à Praça Marechal Âncora S/N – Centro.  Saiba mais sobre o museu.

Texto: Ascom/Ibram

Plano Nacional de Cultura: metas para o setor museal estão em debate

Com a abertura da consulta pública para o Plano Nacional da Cultura (PNC), um conjunto de diretrizes para o setor museal está aberto para as contribuições da sociedade civil e gestores públicos.

O PNC foi instituído pela Lei nº 12.343/2010 e apresenta um conjunto de objetivos, diretrizes e estratégias do Ministério da Cultura (MinC) para os próximos dez anos. A elaboração das metas é o último passo para sua implantação.

Entre os objetivos definidos para o setor museal, um dos mais significativos é o aumento em 60%, durante a próxima década, o número de pessoas que freqüentam museus no Brasil.

Outros desafios incluem garantir a existência de museus em 100% dos municípios com mais de 500 mil habitantes e assegurar que 100% das instituições museológicas atendam aos requisitos legais de acessibilidade a pessoas com deficiência.

A consulta fica aberta até 20 de outubro. Após esta fase, o MinC se reúne com representantes e membros do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC) para a consolidação das metas. Participe da consulta pública.

Cabo Frio recebe II Mostra Especialmente Arte

O Museu de Arte Religiosa e Tradicional (MART) sedia, a partir desta quinta-feira, 9 de dezembro, às 19 horas, a II Mostra Especialmente Arte. A exposição reúne 137 trabalhos de 54 artistas, alunos das oficinas realizadas pelo Centro Municipal de Profissionalização para Pessoas com Deficiência – CPED. São obras produzidas em cerâmica, mosaico e pinturas, que ficarão disponíveis para visitação e venda no Museu até domingo, dia 12.

Segundo Carolina Caetano, coordenadora do CPED, a I Mostra, realizada em 2009, foi um grande sucesso, com 98% dos trabalhos vendidos. O valor adquirido com as obras é integralmente revertido para os seus autores.

A II Mostra Especialmente Arte acontece no Museu de Arte Religiosa e Tradicional, no antigo Convento, localizado no Largo de Santo Antônio, s/nº, em Cabo Frio, RJ. O horário de visitação do MART, na sexta (10), vai das 10h às 12h e das13h às 17h, e no sábado e domingo, (11 e 12) vai das 14h às 18h. A entrada é gratuita.

Mais informações: (22) 2643-6898 ou 2646-7340, com Flávia.