Página 1 de 212

Políticas públicas em museologia social e educação museal foram institucionalizadas

O ano de 2017 marcou a oficialização de políticas públicas desenvolvidas pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) em dois importantes campos de atuação: a educação museal e a museologia social. Foram instituídos no âmbito do órgão o Programa Pontos de Memória e a Política Nacional de Educação Museal (PNEM).

O Programa Pontos de Memória foi instituído pela Portaria Nº 315, de 6 de setembro de 2017 – que detalha seus princípios, objetivos e estabelece a formação de um Comitê Consultivo, responsável por promover debates e propor ações, estratégias e diretrizes com vistas ao fortalecimento de políticas públicas no campo da museologia social. O comitê teve sua primeira reunião no final de novembro.

Encontro de Pontos de Memória no 7º FNM este ano

Encontro de Pontos de Memória no 7º FNM este ano

Tornado política perene após reivindicação do setor e pactuação no 7º Fórum Nacional de Museus, o programa apoia, fomenta e capacita iniciativas de memória social e comunitária desenvolvidas Brasil afora.

Já são mais de 300 experiências identificadas nas várias regiões brasileiras, em centros urbanos e no campo, territórios indígenas, quilombos, periferias e outros territórios.

Educação Museal
Já a criação da Política Nacional de Educação Museal (PNEM) foi tornada oficial com a publicação da Portaria Nº 422, de 30 de novembro de 2017.

Destinado ao campo museal brasileiro como um todo, o texto legal estabelece um conjunto de princípios e diretrizes que tem o objetivo de nortear a realização das práticas educacionais em instituições museológicas, fortalecer a dimensão educativa em todos os setores do museu e subsidiar a atuação dos educadores.

A portaria é fundamentada em princípios e diretrizes orientadores que foram definidos de forma colaborativa após amplo processo de participação que incluiu consulta pública através de plataforma online, a realização de 23 encontros presenciais regionais e a aprovação da Carta de Petrópolis (2012) e Carta de Belém (2014) nas respectivas edições do Fórum Nacional de Museus. O documento final foi aprovado na sétima edição do fórum, realizada este ano em Porto Alegre (RS).

Texto e foto: Ascom/Ibram

Ibram encaminha moções aprovadas durante o 7º FNM

A cada edição, os participantes do Fórum Nacional de Museus (FNM) podem apresentar moções, isto é, proposições relacionadas ao campo museal.

Na 7ª edição do FNM foram aprovadas 10 moções

Na 7ª edição do FNM foram aprovadas 10 moções

Se aprovadas, durante a Plenária Final, são então consideradas moções do FNM e, posteriormente, encaminhadas pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) aos respectivos destinatários.

No 7º FNM, que teve lugar entre 30 de maio e 4 de junho em Porto Alegre (RS), foram apresentadas e aprovadas dez moções. Na última semana, o Ibram finalizou os encaminhamentos relacionados a essas moções.

Os temas foram os mais diversos: criação e ampliação de políticas públicas, realização de parcerias, apoio financeiro e institucional para museus, realização de eventos e mesmo criação de redes.

As moções relacionadas a instituições municipais ou estaduais foram encaminhadas para prefeitos e governadores, assim como as que tocam à esfera federal foram enviadas a áreas técnica do Ibram, Ministério da Cultura (MinC) e Casa Civil da Presidência da República.

As moções e os respectivos encaminhamentos estão disponíveis para acesso em formato PDF.

Mais informações podem ser obtidas pelo endereço eletrônico fnm@museus.gov.br. Conheça o blog do Fórum Nacional de Museus.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Arquivo Ibram/Doni Maciel

FNM: programação do 2º dia é marcada por diversidade de temas

A quarta-feira (31), segundo dia de atividades do 7º Fórum Nacional de Museus, foi marcada por uma programação bastante diversificada. Os desafios e possibilidades em torno da promoção de museus e coleções esteve expressa na primeira manhã de painéis e o tema do Fórum, “Recomendação Unesco 2015 para Proteção e Promoção dos Museus e Coleções” foi o norte da conferência ministrada por François Mairesse.

Painéis

Painel 2: Novas formas de comunicação e de experiência no mundo digital

Painel 2: Novas formas de comunicação e de
experiência no mundo digital

Os painéis reuniram representantes de museus e experiências brasileiras para apresentar e debater temas como programas educacionais, novas formas de comunicação e democratização de pesquisas realizadas em museus.

O painel “Programas educacionais em museus: como envolver os diferentes grupos sociais”, que teve como case o Museu do Pão, enfatizou os esforços no sentido de trabalhar de maneira plural com os múltiplos públicos museais para além de suas exposições, promovendo ações educativas que permitam à comunidade a apropriação desses espaços. Participaram deste painel, Helena Quadros, Pedagoga, Especialista em Ação Educativa e Cultural do Museu Emilio Goeldi e representante do Ponto de Memória de Terra Firme (PA);  Janaína Melo – Gerente de Educação do Museu de Arte do Rio/Escola do Olhar (RJ) e Mila Chiovatto – Chefe do Educativo da Pinacoteca de São Paulo (SP).

“Tecnologia não pode ser um atributo do museu, mas um serviço para a divulgação do seu acervo”, pontuou a diretora de conteúdo do Museu do Futebol, em São Paulo (SP), Daniela Alfonsi – uma das convidadas para o painel Novas formas de comunicação e de experiência no mundo digital. Este painel, que contou também com a participação da coordenadora do Projeto DAMI (voltado à digitalização do Museu Imperial), Muna Durans, e do diretor de comunicação do Museu do Amanhã, Rafael Veras, discutiu os novos aspectos da comunicação nos museus a partir do uso de novas tecnologias.

O terceiro painel da primeira manhã de 7º FNM contou com a participação de Simone Flores, coordenadora de projetos museológicos do Museu de Ciência e Tecnologia da PUC-RS, instituição que sedia o evento; Henrique de Vasconcelos Cruz Ribeiro, chefe da Divisão de Estudos Museais e Ações Comunitárias do Museu do Homem do Nordeste, em Recife (PE); e Fernando Oliva, curador do Museu de Arte de São Paulo (MASP).

Com o tema “Museu como lócus de produção de conhecimento: democratizando as pesquisas realizadas em museus” e mediado pelo diretor do Museu Histórico Nacional (MHN), Paulo Knauss, o painel abordou o desafio de conectar os variados púbicos com o conhecimento produzido pelos museus em suas áreas de atuação, em especial quanto a temas pouco explorados e não-convencionais. Saiba mais.

Conferência de Abertura

Carlos Roberto Brandão (sentado), diretor do MAC/USP, foi mediador na conferência de abertura

Carlos Roberto Brandão (sentado), diretor do MAC/USP, foi mediador na conferência de abertura

Na tarde da quarta-feira (31), o belga François Mairesse ministrou a primeira conferência do 7º Fórum Nacional de Museus (FNM). Sob o tema Recomendação Unesco 2015 para Proteção e Promoção dos Museus e Coleçõeso conferencista falou sobre os principais avanços propostos por esse documento e a adesão dos países ao projeto de apoio ao desenvolvimento dos museus.

Inicialmente, Mairesse fez uma breve retrospectiva sobre o processo de aprovação da Recomendação Unesco para Proteção e Promoção e Coleções, aprovada em novembro de 2015, e destacou a atuação do Brasil que, desde 2011, e por iniciativa do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e do Programa Ibermuseus, protagonizou a construção e a proposição do documento.

O conferencista comentou sobre a ligação do documento com outros instrumentos internacionais que tratam sobre a luta contra o tráfico ilícito de bens culturais, a diversidade do patrimônio e normas éticas e profissionais. Ele explicou ainda que a Recomendação dá um panorama geral sobre o que é um museu, suas funções de preservação, recomendação, comunicação e educação. Continue lendo.

A palestra, transmitida ao vivo pela internet e com tradução simultânea, está disponível online. As atividades do 7º Fórum Nacional de Museus vão até sábado (3) em Porto Alegre. A programação completa está disponível aqui.

 

7º Fórum Nacional de Museus é aberto em Porto Alegre

IMG_4943A abertura do 7º Fórum Nacional de Museus aconteceu na noite desta terça-feira (30) e reuniu cerca de 500 pessoas no auditório do Centro de Eventos da PUC, em Porto Alegre, entre profissionais, gestores, estudantes e acadêmicos do setor de museus.

Na abertura, Marcelo Mattos Araujo, presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), falou sobre as especulações sobre o eventual cancelamento do evento, diante da situação política em que o país se encontra. Ele ressaltou que as políticas públicas da área museológica foram construídas ao longo de décadas e configuram como uma conquista para o setor, que devem ser energicamente defendidas e que o Fórum é uma oportunidade de promover o debate para aprimorá-las. “Nosso compromisso é com as nossas instituições e é nesse sentido que este 7º Fórum acontece. Para debatermos os melhores caminhos para os museus brasileiros, que são um elemento importante da cultura brasileira”, declarou.

Entre os anúncios feitos durante a cerimônia, o público conheceu o resultado da parceira do Ibram com a Google Brasil que disponibiliza, no Google Arts Institute, imagens em alta resolução do acervo do Museu Histórico Nacional, Museu Nacional de Belas Artes, Museus Castro Maia, Museu Castro Maia e Museus Lasar Segall. Além disso, também foi anunciada a 4ª temporada do Conhecendo Museus, que apresentará os museus brasileiros divididos entre os temas Gastronomia, Ciência e Tecnologia, Moda e Imagem e Som. Continue lendo.

Acervos Digitais: resultado da parceria entre Ibram e Google no 7º FNM

Uma foto  da família imperial na varanda da casa da princesa Isabel, em Petrópolis (RJ), feita por Otto Hess. O processo de criação da obra Navio  de Emigrantes (foto) do pintor Lasar Segall. Os estudos para figurino da pesquisadora Sofia Jobim . A partir de hoje (30), coleções de cinco museus da rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) estão disponíveis ao público no Google Arts & Culture.

NavioEmigrantes_Segall-300x248

O resultado da pareceria Google-Ibram será apresentado durante o 7º Fórum Nacional de Museus (FNM) – cuja abertura acontece nesta terça-feira (30), a partir das 19h, no Centro de Eventos da PUC-RS em Porto Alegre.

Ao todo, são mais de 1,3 mil obras e 18 exposições virtuais entre o acervo digitalizado do Museu Lasar Segall (SP), Museu Histórico NacionalMuseus Castro MayaMuseu Nacional de Belas Artes e Museu Imperial (RJ).

Ampliação do acesso
A digitalização tem como objetivo promover os museus brasileiros e seus acervos, democratizando o acesso ao vasto patrimônio que as instituições preservam.

Responsável por uma rede de 30 museus federais, esta é a primeira vez que objetos e coleções de seus museus estão reunidos em uma mesma plataforma digital de grande alcance, já que o Google Arts & Culture reúne hoje acervos de mais de mil museus e instituições de arte e cultura de todo o mundo.

Nesta primeira fase, mais de 450 obras dos museus Ibram foram capturadas com a Art Camera - câmera que digitaliza em alta resolução (gigapixels) e revela detalhes de obras e objetos que passariam despercebidos a olho a nu. Também é possível passear pelos museus do Ibram graças à tecnologia Google Street View.

Durante o 7º FNM, os participantes poderão interagir com os acervos e narrativas preparadas para esta fase do projeto por meio de telas touch screen. Apenas no dia 31 (quarta), a ArtCamera também poderá ser vista de perto pelos participantes.  Mais informações sobre o projeto estarão disponíveis em material impresso distribuídos pelo Google no Brasil.

Texto: Google Brasil
Edição: Ascom/Ibram
Imagem: Museu Lasar Segall/Ibram

Conheça a programação cultural do 7º FNM em Porto Alegre

A cada edição, o Fórum Nacional de Museus (FNM) abre espaço para atividades culturais das cidades por onde passa. Exposições, apresentações musicais e visita a museus compõem a programação de sua sétima edição em Porto Alegre (RS) – que acontece entre 31 de maio e 4 de junho no Centro de Eventos da PUC-RS.

Povo Guarani-Mbyá é tema de exposição no 7º FNM

Povo Guarani-Mbyá é tema de exposição no 7º FNM

Durante todos os dias os participantes poderão visitar a exposição fotográfica Os Guarani-Mbyá – realizada em 2015 pelo Museu da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

As imagens documentam o cotidiano de aldeias Guarani-Mbyá no RS. Considerados povos originários da América do Sul, há pelo menos 30 aldeias no estado.

Outra exposição em cartaz será Temporânea, Revitalizando Memórias em Porto Alegre. Resultado da parceria entre a Companhia Carris, o projeto Viva Centro e a Prefeitura Municipal, a mostra destaca o centro histórico da capital gaúcha e as relações que se estabelecem entre seus espaços e o transporte público.

Música e museus
Já as apresentações musicais começam na noite de abertura (30): o grupo musical do Instituto de Desenvolvimento Social e Cultural fará releituras de músicas atuais, combinando voz, instrumentos eruditos e DJ.

No dia 1º de junho, às 15h30, acontece show acústico do Império da Lã. O grupo, que surgiu há 10 anos, se caracteriza pela diversidade de estilos e de músicos: já lançou um EP e vem se apresentando em festivais pelo país.

Já o Grupo de Brincantes do Paralelo 30 é a atração do dia 2 de junho, também às 15h30. Com a proposta de retratar manifestações da cultura popular brasileira, para o 7º FNM o grupo propõe celebrar a cultura gaúcha, sem perder a perspectiva transdisciplinar das pesquisas que desenvolve.

A exposições, assim como as duas apresentações, ocuparão o Hall de Exposições do Centro de Eventos PUC-RS.

No dia 4 de junho, último dia do FNM 2017, a manhã do domingo (9h-12h30) será dedicada a visitas em museus de Porto Alegre e São Leopoldo -cerca de 35 km da capital. Confira a lista dos que estarão abertos para receber os participantes do FNM.

A programação completa do 7º Fórum Nacional de Museus está disponível no blogue do evento.

Foto: Museu da UFRGS/Divulgação

GTs no 7º FNM focam no alinhamento entre instrumentos de gestão

Com o objetivo de aprofundar discussões sobre as políticas públicas voltadas para o setor de museus no Brasil, o 7º Fórum Nacional de Museus (FNM) terá oito Grupos de Trabalho (GTs) nesta edição.

A partir da Recomendação Unesco 2015, que trata da proteção e promoção dos museus e coleções, tema do FNM, os GTs se propõem a refletir sobre esse instrumento internacional, que traça diretrizes para promover o desenvolvimento do setor, em relação aos principais instrumentos brasileiros – Política Nacional de Museus (PNM) e Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM).

Grupo de Trabalho durante o 6º FNM em Belém (2014)

Grupo de Trabalho durante o 6º FNM em Belém (2014)

Preservação, pesquisa, comunicação, educação, função social e acessibilidade, museus como agentes econômicos, novas tecnologias, financiamento e cooperação são os temas dos GTs – que acontecem nos dias 2 e 3 de junho.

Subsídios para políticas públicas
Temas transversais observados no documento da Unesco – como a elaboração de políticas públicas, a valorização da diversidade e a busca por padrões de excelência – também permeiam todas as discussões no âmbito dos GTs.

Como resultado, espera-se a identificação de possíveis lacunas existentes na elaboração da PNM e PNSM. Para tanto, os participantes farão apontamentos cujas conclusões serão apresentadas na sessão Plenária Final do 7º FNM. Tais indicações também serão basilares para a futura revisão da PNM e a elaboração do PNSM para o decênio 2020–2030.

Os documentos que serão utilizados nos GTs já estão disponíveis para acesso no blogue do Fórum Nacional de Museus. As inscrições para essa atividade serão feitas, a partir do dia 30 de maio, durante o credenciamento no Centro de Eventos da PUC-RS.

O 7º FNM é uma realização do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), autarquia vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), e acontece de 30 e maio a 4 de junho em Porto Alegre (RS). Conheça a programação.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Painéis durante o 7º FNM abordam temas contemporâneos

Mila_Chiovatto_7FNM

Mila Chiovatto  da Pinacoteca (SP)

Educação, criatividade, propriedade intelectual, comunicação e financiamento sob a perspectiva da área de museus são alguns dos temas abordados nos nove painéis programados para o 7º Fórum Nacional de Museus (FNM).

O relevante papel dos programas educacionais em museus é tema do primeiro painel, que reúne Helena Quadros (Museu Emilio Goeldi/Ponto de Memória Terra Firme – PA), Janaína Melo (Museu de Arte do Rio/Escola do Olhar – RJ) e Mila Chiovatto (Pinacoteca de São Paulo – SP).

A comunicação digital, e sua contribuição para os museus, será abordada em dois painéis: no primeiro participam Muna Durans (Museu Imperial – RJ), Rafael Veras (Museu do Amanhã – RJ) e Daniela Alfonsi (Museu do Futebol – SP).

No segundo, cujo foco está na preservação digital e acesso, participam José Murilo (Ibram – DF), Wellington Pedro da Silva (Ponto de Memória Taquaril – MG) e Daniel Flores (Universidade Federal de Santa Maria – RS).

O museu como lugar de produção de conhecimento, por meio da divulgação das pesquisas realizadas nas instituições de memória, também é tema de painel. Simone Flores (Museu de Ciência e Tecnologia da PUC – RS), Henrique Ribeiro (Museu do Homem do Nordeste – PE) e Fernando Oliva (Museu de Arte de São Paulo – SP) abordam o tema.

Mario Chagas (RJ)

Mario Chagas do Museu da República (RJ)

Um dos assuntos mais discutidos atualmente em todo o mundo, a gestão de propriedade intelectual será tratada sob a perspectiva dos acervos em instituições.

Os painelistas serão Rafael Vasquez (Organização Mundial da Propriedade Intelectual – Brasil), Cláudia Porto (Comitê Internacional Icom para o Desenvolvimento de Coleções – Brasil) e Gabriela Augustini (Universidade Candido Mendes – RJ).

Função social e financiamento
A função social dos museus, especialmente diante de um cenário de rápidas transformações, reúne mais três painelistas: Desirée Reis (Museu do Samba – RJ), Cida Vieira (Museu do Sexo das Putas – MG) e Suzenalson Santos (Museu Indígena Kanindé – CE).

O sétimo painel do FNM 2017 aponta reflexões e desafios sobre a primeira década de existência do Programa Ibermuseus. São convidados Mario Chagas (Museu da República – RJ), Miguel Suela (Ministério da Educação, Cultura e Esporte – Espanha) e Javier Royer (Sistema Nacional de Museus – Uruguai).

Simone Flores (RS)

Simone Flores (RS) do MCT/PUC (RS)

O penúltimo painel traz à baila as relações entre museus, economia e a qualidade de vida das comunidades locais. Participam Sérgio Rodrigo Reis (Museu de Congonhas – MG), Maria da Abadia Teixeira (Ponto de Memória da Estrutural – DF) e Alemberg Quindins (Memorial Homem Kariri – CE).

O financiamento para museus públicos e privados, por meio de cooperações e parcerias, será o último dos painéis do 7º FNM. Ricardo Levisky (Levisky Negócios e Cultura – SP), Marlene Velasco (Museu Cora Coralina – GO) e Sergio Freitas (Museu Catavento – SP) são os convidados para tratar do tema.

Os painéis acontecem entre os dias 31 de maio e 2 de junho no turno da manhã. Conferências, minicursos e mostra de trabalhos também fazem parte da programação: acesse todas as atividades programadas para o 7º FNM.

O Fórum Nacional de Museus acontece entre os dias 30 de maio e 4 de junho no Centro de Eventos da PUC-RS em Porto Alegre (RS) e é organizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) – autarquia vinculada ao Ministério da Cultura (MinC).

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Acervos pessoais/divulgação

Conheça os convidados internacionais para as conferências do 7º FNM

François Mairesse abre as conferências do 7º FNM em Porto Alegre

François Mairesse abre as conferências do 7º FNM em Porto Alegre

Com o tema Recomendação Unesco: caminhos para museus e coleções, o 7º Fórum Nacional de Museus (FNM) acontece entre os dias 30 de maio e 4 de junho no Centro de Eventos da PUC-RS em Porto Alegre (RS).

Para as três conferências programadas, entre os dias 31 maio e 2 de junho, chegam convidados da França, Chile e Holanda.

O tema do FNM 2017 será abordado na conferência Recomendação Unesco 2015 para proteção e promoção dos museus e coleções no dia 31 de maio.

O conferencista é François Mairesse, professor de Museologia e Economia da Cultura da Universidade Sorbonne Nouvelle e na Escola do Louvre (França), e atual presidente do Comitê Internacional para a Museologia (Icofom/Icom).

Autor de livros na área da museologia, Mairesse foi redator do estudo preparatório sobre a importância de um novo instrumento internacional para museus, que embasou a aprovação da Recomendação Unesco 2015.

Na conferência ele vai abordar desafios, avanços e caminhos para a adoção de medidas que levem à elaboração de políticas públicas para a implementação da Recomendação – como a adesão dos países ao projeto de apoio e desenvolvimento dos museus e seus profissionais.

Cooperação e novos públicos

Alan Trampe falará sobre museus e cooperação ibero-americana

Alan Trampe falará sobre museus e cooperação ibero-americana

Já no dia 1º de junho, os avanços alcançados pelos museus Ibero-americanos na última década será o mote da conferência Valorização dos museus por meio da cooperação internacional: 10 anos da Declaração de Salvador.

Alan Trampe, desde o ano 2000 subdiretor Nacional de Museus da Diretoria de Bibliotecas, Arquivos e Museus do Chile, será o conferencista da noite.

O foco da comunicação será as possibilidades de desenvolvimento do campo por meio da articulação entre instituições públicas e privadas, bem como o intercâmbio de experiências, práticas e do conhecimento produzido no âmbito do Programa Ibermuseus.

A última conferência do 7º Fórum Nacional de Museus, no dia 2 de junho, traz Jill Cousins, diretora executiva da Fundação Europeana – que é responsável por integrar coleções digitais de 180 instituições de 27 países da Europa, entre museus, arquivos, bibliotecas e cinematecas.

Jill Cousins aborda aspectos das relações em rede

Jill Cousins aborda aspectos das relações em rede

Sob o tema Museus no século 21: comunicação e formação de novos públicos, Cousins dará destaque para as políticas de comunicação de museus, capazes de contribuir, de forma participativa, para a integração, o acesso e a inclusão social.

A participação nas atividades do FNM é gratuita mediante inscrição. O formulário está disponível online até 26 de maio. Confira as atividades programadas para o 7º FNM.

O Fórum Nacional de Museus é organizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) – autarquia vinculada ao Ministério da Cultura (MinC).

Mais informações podem ser obtidas pelo endereço eletrônico forumnacionaldemuseus@museus.gov.br.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Arquivos pessoais/Divulgação

Começam as inscrições para o 7º Fórum Nacional de Museus em Porto Alegre

A Recomendação da Unesco sobre a Proteção e Promoção de Museus e Coleções será o tema da 7ª edição do Fórum Nacional de Museus (FNM).  A partir de hoje (27), as inscrições já estão abertas no blogue do evento.

Promovido pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), autarquia vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), o FNM acontece entre os dias 30 de maio e 4 de junho na cidade de Porto Alegre (RS).

Museólogos, gestores, pesquisadores, estudantes e demais interessados na área de museus e memória no Brasil terão espaço para refletir sobre os rumos dos museus brasileiros, e da Política Nacional de Museus, tendo como base as Recomendação da Unesco.

Já considerado como referência para as políticas públicas nas próximas décadas, o documento destaca o papel dos museus e suas coleções em um processo de desenvolvimento que se quer cada vez mais sustentável. Conheça o documento da Unesco.

Programação
Três conferências internacionais, nove painéis, com 27 convidados nacionais e estrangeiros, oito minicursos, apresentação de 49 trabalhos de pesquisa, além de grupos de trabalho, reuniões paralelas, atividades culturais e feira temática compõem a programação do 7º Fórum Nacional de Museus.

Porto Alegre sedia o Fórum nacional de Museus 2017

Porto Alegre sedia o Fórum nacional de Museus 2017

Os conferencistas convidados são François Mairesse, professor de Museologia da Sorbonne (França) e Presidente do Comitê Internacional para a Museologia (Icofom/Icom); Alan Trampe Torrejón, subdiretor Nacional de Museus do Governo do Chile; e Jill Cousins, diretora executiva da rede Europeana – que integra coleções digitais de 180 instituições de 27 países da Europa.

Já os painéis tratam de temas diversos como educação, criatividade, propriedade intelectual, comunicação e financiamento sob a perspectiva da área de museus. Para participar foram convidados representantes de museus de todas as regiões brasileiras, além de painelistas da Colômbia e Espanha.

Formação e intercâmbio
Já os oito minicursos oferecidos este ano, com carga horária de 8h cada, tratam de temas de grande interesse dos profissionais da área de museus.

As Comunicações Coordenadas, nas modalidades apresentação oral e pôsteres, são espaço de intercâmbio de pesquisas acadêmicas e relatos de experiências. Os grupos de trabalho dentro do FNM também são voltados para a discussão especializada de temas e questões da política de museus no Brasil.

Na programação ainda aparecem reuniões específicas – como as de Pontos de Memória e da Rede de Educadores de Museus – além de atividades culturais, como exposição de artesanato, lançamento de publicações e visitas a museus da capital gaúcha.

Durante todo o evento haverá um espaço com estandes com produtos relacionados à cadeia produtiva dos museus.

Toda a programação é gratuita mediante inscrição – que poderá ser realizada online até o dia 26 de maio. A partir desta data, as inscrições poderão ser feitas no local do evento.

A programação completa estará disponível nos próximos dias. Outras informações podem ser obtidas pelo endereço eletrônico forumnacionaldemuseus@museus.gov.br.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Bruna Cabreira/Wikipedia

Página 1 de 212