Casa de Benjamin Constant convida para o Circuito Sítios Históricos da República

roteiroNa sexta feira (17), o Museu Casa de Benjamin Constant realiza a 5ª edição do Circuito Sítios Históricos da República.

Entre os lugares que os visitantes percorreram estão o Centro Cultural Light, o Palácio Itamaraty, a Casa Histórica de Deodoro, a Faculdade Nacional de Direito, o Campo de Santana e o Centro Cultural Museu da Casa da Moeda.

Interessados em participar a 5ª edição do Circuito Sítios Históricos da República, podem garantir, sua inscrição aqui.

Realizado pela primeira vez há 10 anos, o Circuito consiste num roteiro turístico orientado, provemos a visitação e a interpretação destes sítios históricos que estão localizados da cidade do Rio de Janeiro e visa a valorização dos lugares vinculados à proclamação e consolidação da República brasileira, além de estimular o desenvolvimento e a consolidação do turismo de interesse histórico, artístico, museológico e cultural.

Desenvolvida em parceria com o Museu da República – também vinculado ao Instituto Brasileiro de Museus – e outras instituições que compõem a Rede Cultural Campo de Santana, a atividade faz parte da programação da 17ª Semana Nacional de Museus.

Museu do Ouro faz 73 anos nesta quinta-feira (16) e lança site e acervo online

Pagina Acervo Museologico do Site Museu do Ouro1Nesta quinta-feira (16), o Museu do Ouro completará 73 anos de portas abertas ao público e, como parte das comemorações, lançará no sábado (18) seu site institucional onde também estará disponível o acesso online ao acervo do museu, por meio da ferramenta Tainacan. Inicialmente, a plataforma disponibilizará 50 itens, mas a intenção é que muito em breve todo o acervo possa ser consultado online.

“O objetivo é criar mais um meio de comunicação com o público, divulgando nossas ações e tornando o Museu mais acessível, não só para aqueles que vierem nos visitar fisicamente, mas também disponibilizando informações do nosso acervo museológico através da internet. Isso facilita a troca com outras instituições de memória e estimula o interesse em temas afins às nossas coleções”, declarou o diretor do Museu do Ouro, Paulo Nascimento.

Instalado na antiga Casa de Intendência e Fundição do Ouro da Vila Real de Nossa Senhora da Conceição do Sabará, o Museu do Ouro foi criado em 1945, por meio do Decreto n° 7.483 e oficialmente inaugurado no dia 16 de maio de 1946. A instituição ocupa uma área total de 1.456 m², sendo 714 m² de área edificada. O acervo é constituído por objetos ligados à prática da mineração (séculos XVIII e XIX) e ao estilo de vida de parcela da sociedade deste período.

Museu do Ouro/Ibram em Sabará (MG)

Museu do Ouro/Ibram em Sabará (MG)

O Museu do Ouro possui ainda um arquivo histórico e uma biblioteca, localizados na Casa Borba Gato, edificação do século XVIII. O Arquivo Histórico Documental do museu começou a ser constituído em meados da década de 50 do século XX e compõe-se de documentação cartorial originada no século XVIII, nas Ouvidorias e Provedorias dos Cartórios do Primeiro e Segundo Ofícios da outrora comarca do Rio das Velhas. A Biblioteca possui cerca de 3.000 títulos registrados, entre os quais se encontram obras referentes à formação do Estado de Minas Gerais e do Brasil, arquitetura, história da arte, incluindo valiosa coleção de obras raras com edições que datam do século XVIII.

O Museu do Ouro/Ibram fica na Rua da Intendência, s/nº, no Centro de Sabará, município da região metropolitana de Belo Horizonte (MG) e está aberto ao público de terça a sexta, das 10h às 17h; aos sábados e domingos, das 12h às 17h. Informações pelo e-mail: mdo@museus.gov.br ou pelo telefone (31) 3671-1848 ou (31) 3671-4099.

Semana de Museus

Ainda em comemoração ao aniversário do museu e dentro da programação da 17ª Semana Nacional de Museus, o Museu do Ouro realizará uma leitura dramática do conto “A morte da Porta-Estandarte”, obra do escritor sabarense Aníbal Machado, no sábado (18) às 19h. O evento contará também com palestra do Prof. Marcos Teixeira sobre o autor do conto e com exposição dos estandartes das principais agremiações carnavalescas de Sabará.

MHN tem visita gratuita e ampla programação para a Semana de Museus

No Rio de Janeiro, o Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram) propõe uma programação especial para a 17ª Semana Nacional de Museus: visitas mediadas, lançamento de cartão fidelidade, seminário e roda de conversa estão entre as atividades. Além disso, a entrada para a exposição “Rios do Rio: as águas doces cariocas ontem e hoje” será gratuita.

No dia 11, às 14h, acontece o Bonde da História “As faces do Brasil em 10 objetos” que percorre o circuito expositivo de longa duração e se detém em itens considerados de destaque para a história do país. Às 14h30, é a vez do Bondinho da História com o tema “Pinturas rupestres: cores, aroma, formas e texturas”, em que a educadora convidada Sueli Mendonça promoverá uma oficina na qual o público conhecerá alguns pigmentos utilizados pelos primeiros habitantes do nosso território nas pinturas rupestres e produzir sua própria criação.

No domingo (12) acontece o Bonde da História “A umbanda na história do Brasil”, uma das visitas mediadas mais populares entre jovens e adultos. A atividade conta com a presença de Jorge Santana, historiador e doutorando em Ciências Sociais da UERJ, também um dos diretores do documentário “Nosso sagrado” (2017, 31min.), que será exibido logo após a visita. A produção investiga a perseguição e o racismo religioso contra o candomblé e a umbanda, que foram criminalizadas na Primeira República e na Era Vargas. A edição especial do Bonde começa excepcionalmente às 13h. Às 15h, haverá o Bondinho da História “O mito yorubá: Oxalá na criação do mundo”. Voltado para crianças de 6 a 12 anos, a visita propõe uma outra versão da criação do mundo a partir da visão yorubá.

“O futuro das tradições”

No dia 13 (segunda), das 9h30 às 17h, acontece o Seminário “O futuro das tradições: construindo o Programa Educativo Cultural do MHN”, que traz para a perspectiva do museu o tema da 17ª Semana de Museus: “Museus como núcleos culturais – o futuro das tradições”.

A mesa de abertura conta com a presença de Mila Chiovatto, coordenadora do Núcleo de Ação Educativa da Pinacoteca de São Paulo, e Fernanda Castro, educadora do MHN. A atividade é uma parceria com a Rede de Educadores em Museus do RJ e o projeto Museu de Ideias, voltada para profissionais de museus, educadores museais, pesquisadores, estudantes e interessados no tema.

acessibilidade tatil MHNNo dia 15 de maio (quarta), das 14h às 17h, acontece a roda de conversa “O futuro das tradições: pessoas com deficiência e o direito à cultura”, voltada para profissionais da área cultural e pessoas com e sem deficiência interessadas no assunto, o encontro visa discutir a acessibilidade nos espaços culturais na contemporaneidade a partir de pessoas com experiência na área. A atividade terá intérprete de Libras.

No dia 18 de maio (sábado), às 14h, o Bonde da História tem como tema “10 objetos que fizeram nossa história”. Voltada para o público adulto, a atividade será acessível para pessoas com deficiência visual e auditiva.

Às 15h, o Bondinho da História tem como tema “Do móvel ao automóvel”. Voltada para crianças de 3 a 10 anos, a visita mediada à exposição de meios de transporte terrestres conta com o auxílio do recurso de realidade aumentada.

Cartão fidelidade

No domingo (19), o Núcleo de Educação do MHN lança seu cartão fidelidade: a cada três participações em visitas mediadas, o usuário recebe brindes relacionados ao Museu Histórico Nacional. Neste dia, o Bonde da História tem como tema “A presença negra no acervo MHN”, às 14h. A visita aborda a presença da matriz africana e afro-brasileira na exposição de longa duração e a contribuição negra para a sociedade brasileira.

“Museólogo por um dia” é o Bondinho da História, às 15h. Voltada para crianças entre 5 e 10 anos, a atividade aproveita a passagem do Dia Internacional de Museus e busca estimular a curiosidade das crianças sobre a profissão de museólogo através de dinâmicas que simulam algumas das funções exercidas pelos profissionais de museus.

Mais informações em mhn.educacao@museus.gov.br. Aos finais de semana, informações podem ser obtidas pelo telefone (21) 3299. 0324.

Texto: Ascom/MHN
Fotos: Divulgação/MHN
Edição: Ascom/Ibram

Programação da 17ª Semana Nacional de Museus já está disponível

Banner04_Guia 17 SNMO Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) disponibilizou nesta quinta-feira (2), a programação completa da 17ª Semana de Museus – temporada de eventos que acontece em todo o Brasil entre os dias 13 e 19 de maio de 2019.

Ao todo serão 3.222 eventos que vão desde mostras e oficinas, a visitas guiadas, debates e apresentações musicais, na programação da Semana Nacional de Museus que é promovida todos os anos pelo Instituto Brasileiro de Museus – Ibram.

Com o tema Museus como Núcleos Culturais: o Futuro das Tradições, a 17ª Semana de Museus propõe um debate sobre o papel dos museus como centros emanadores e, igualmente, receptores de práticas, costumes e pensamentos de nossa cultura.

A programação completa está disponível online. O formato Busca Rápida permite ao usuário encontrar atividades por Estado, Cidade, Museu ou Palavra-chave. Como resultado da busca, além da programação definida, há ainda o endereço da instituição assim como os contatos de telefone e e-mail.

Confira a programação da 17ª Semana Nacional de Museus e participe!

Ibram divulga identidade visual para a Semana de Museus de 2019

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) lançou nesta quinta-feira (20), a identidade visual da 17ª Semana Nacional de Museus. Com o tema Museus como Núcleos Culturais: o Futuro das Tradições, a temporada de eventos acontecerá de 13 e 19 de maio de 2019.

As instituições interessadas em participar da 17ª edição da Semana de Museus devem programar suas atividades em torno do tema e fazer a inscrição preenchendo o formulário eletrônico disponível no site do Ibram até o dia 17 de março. Saiba mais sobre o tema.

Para mais informações clique aqui ou entre em contato pelos telefones (61) 3521.4135 e 3521.4142 ou através do endereço eletrônico: semana@museus.gov.br

Imagem_Boletim_ 17 SNMSobre a identidade visual

O pássaro Sankofa, que aparece na arte da 17ª Semana de Museus, é um símbolo africano Adinkra desenvolvido pelo grupo cultural Akan. Com a cabeça voltada para trás e os pés voltados para frente, o pássaro simboliza o retorno ao passado para ressignificação do presente, visando o futuro.

A conexão com o tema escolhido para essa edição da Semana acontece, pois Museus como Núcleos Culturais: o Futuro das Tradições carrega em si a ideia de que as instituições de cultura são espaços onde presente, passado e futuro estão em constante interação, mas sempre buscando manter e respeitar as singularidades de cada tempo e espaço.

As peças gráficas com a identidade visual para a divulgação da 17ª Semana de Museus estarão disponíveis para download a partir de janeiro.