Prevenção de riscos: Ibram estabelece parceria com Corpo de Bombeiros do RJ

Representantes da Coordenação de Patrimônio Museológico do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) reuniram-se na quarta-feira (5), com o Comando Geral do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro (CBMRJ).

O encontro teve como objetivo estabelecer parceria para uma ação sistemática de prevenção e eventual combate a incêndios e outras situações de risco nos museus vinculados ao Ibram situados no Rio de Janeiro.

Durante a reunião, foi pactuado um programa de ações conjuntas que vai garantir a adequação dos museus do Ibram, situados em território fluminense, às normas de prevenção e combate à incêndios, subsidiando solicitações de regularização das instituições e a emissão de alvarás. No total, 13 dos 30 museus que compõem o Ibram estão localizados no estado do Rio de Janeiro. Veja a lista completa.

MNBA_Rio

Localizado no centro do Rio, o Museu Nacional de Belas Artes é uma das instituições ligadas ao Ibram

Ações conjuntas
Entre as ações pactuadas está a realização de curso de capacitação das equipes técnicas dos museus com abordagem de temas como combate ao princípio de incêndio, uso de extintores e ações imediatas de salvamento; e inspeções periódicas destinadas a apontar irregularidades e adequações necessárias à legislação de prevenção e combate à incêndio.

Foi definida também a construção de um Procedimento Operacional Padrão (POP) do Corpo de Bombeiros para as intervenções em museus e instituições culturais, de forma a garantir que eventuais intervenções não tragam prejuízo ainda maior do que aquele causado por desabamentos, incêndios, enchentes, inundações e outros fatores de risco.

“Com o apoio que teremos do CBMRJ e a partir da elaboração do Procedimento Operacional Padrão, poderemos certamente minimizar os riscos”, explica a coordenadora do Patrimônio Museológico do Ibram, Vera Mangas.

Incêndio em São Paulo
A reunião entre o Ibram e o CBMRJ aconteceu um dia após um incêndio de grandes proporções ter destruído parte do acervo do Centro Cultural do Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, na capital paulista. O presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, lamentou o incidente e o instituto emitiu nota de solidariedade pública à instituição

Fachada do Liceu de Artes e Ofícios em SP

Fachada do Liceu de Artes e Ofícios em SP

“Nós temos que concentrar, permanentemente, nossa atenção em todos os itens relativos a riscos e o incêndio é um dos principais sinistros que podem ameaçar um museu”, enfatizou. Conheça o Programa de Gestão de Riscos ao Patrimônio Musealizado do Ibram e acesse o volume Segurança em Museus da série Cadernos Museológicos.

Em função do acontecimento, o Ibram fez uma chamada geral aos diretores de seus 30 museus, extensiva aos mais de três mil museus brasileiros, no sentido de que redobrem a atenção com relação à revisão de instalações elétricas, desligamento de pontos de risco, limpeza geral e eliminação de entulho e outras medidas que diminuam os riscos, além de manter contato permanente com o Corpo de Bombeiros e com as coordenadorias de Defesa Civil para que haja treinamento de suas equipes.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Divulgação

Publicado em

Deixe seu comentário

Digite seu comentário
  1. (obrigatório)
  2. (obrigatório e-mail válido)
  3. (obrigatório)
  4. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days