Ponto de Memória do Jacintinho (Maceió-AL)

Conselho gestor participará da oficina Museu Memória e Cidadania

Jacintinho, o bairro mais populoso de Maceió – AL (cerca de 200 mil habitantes), conhecido também pelo maracatu, capoeira, côco de roda, Hip Hop, dança afro e contemporãnea, escola de samba e teatro popular, vem sendo apoiado pelo Instituto Brasileiro de Museus – Ibram/MinC, por meio do Programa Pontos de Memória, para ter um museu gerido e representado pela própria comunidade. Nos dias 5 e 6 junho, os consultores do Programa Wélcio de Toledo e Inês Golveia vão realizar a oficina Museu, Memória e Cidadania, a primeira dentre outras que serão oferecidas pelo Ibram/MinC para o conselho gestor do museu.
A oficina acontecerá no Centro de Estudos e Pesquisas Afro Alagoanas Quilombo C.E.P.A ( Rua Santa Luzia, 28, Jacintinho). No sábado, das 9h às 18h, e no domingo, das 9h às 13h.

Jacintinho – Segundo o pesquisador da história do bairro José Ademir, o nome é uma alusão ao primeiro proprietário, Jacinto Athayde, descendente de portugueses, que construiu seu casarão no Poço e a ladeira de pedra que dava acesso ao sítio.  A partir da década de 60, a região foi crescendo desordenadamente com a população que chegava do interior do Estado.

Atualmente o bairro possui cerca de 200 mil habitantes e é conhecida pelas dezenas de grupos culturais que realizam eventos ligados à história, cultura e identidade da comunidade, tal como o Mirante Cultural, que reúne apresentações de todo tipo de manifestação artística.

Pontos de Memória: Pautado na gestão participativa e no protagonismo comunitário, o programa vem apoiando, além da cidade de Maceió – AL, a consolidação de museus comunitários nas cidades de Belém – PA , Belo Horizonte – MG, Brasília – DF, Curitiba – PR, Fortaleza – CE, Maceió – AL, Porto Alegre – RS, Recife – PE, Rio de Janeiro, Salvador – BA, São Paulo – SP.

A iniciativa trabalha a favor do empoderamento social daqueles grupos que ainda não tiveram a oportunidade de contar suas histórias e memórias através dos museus, incentivando a apropriação desse equipamento pelas comunidades, de forma que se sintam representadas. É resultado de parceria do Ibram com o Programa Mais Cultura e Cultura Viva, do Ministério da Cultura, com o Programa Nacional de Segurança com Cidadania – Pronasci, do Ministério da Justiça, e com a Organização dos Estados Ibero-americanos – OEI.
Mais informações com Sara Schuabb no (61) 2024 6211/ 9977 2067/ Programa Pontos de Memória/Instituto Brasileiro de Museus – Ibram.

Publicado em

Deixe seu comentário

Digite seu comentário
  1. (obrigatório)
  2. (obrigatório e-mail válido)
  3. (obrigatório)
  4. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days