Política Nacional de Educação Museal: Ibram lança publicação orientadora

Publicação traz os princípios e diretrizes da mais nova política pública voltada ao setor de museus brasileiro, breve histórico da educação museal no Brasil e conceitos-chave que devem guiar o trabalho nesta área.

Publicação traz os princípios e diretrizes da mais nova política pública voltada ao setor de museus brasileiro e conceitos-chave que devem guiar o trabalho na área.

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) lançou na manhã desta quarta-feira (20), em Brasília (DF), o Caderno da Política Nacional de Educação Museal (PNEM).

A publicação reúne os princípios e diretrizes da mais nova política pública voltada ao setor de museus brasileiro, instituída no ano passado, trazendo ainda um breve histórico da educação museal no Brasil, um resumo do processo de construção participativa da PNEM e conceitos-chave que devem guiar o trabalho nesta área.

A Carta de Petrópolis, a Carta de Belém e a Carta de Porto Alegre – documentos que sintetizam as discussões para construção da Política Nacional de Educação Museal realizadas no âmbito do Fórum Nacional de Museus em suas edições de 2012, 2014 e 2017 – integram o Caderno da PNEM, que também traz, na íntegra, o texto da Portaria Nº 422, de 30 de novembro de 2017, que oficializou sua criação.

Já disponível para download gratuito, a publicação destaca o protagonismo das Redes de Educadores em Museus espalhadas por todo o Brasil e traz ainda textos de especialistas convidados sobre temas relacionados ao trabalho em museus, como acessibilidade, comunidade, mediação, públicos e sustentabilidade, entre outros. Baixe aqui o Caderno da Política Nacional de Educação Museal (PNEM).

“O Caderno da PNEM não pretende ser um manual normatizador, mas compartilhar o vocabulário já construído neste processo para que os interessados se apropriem dele, e oferecer um referencial a partir de experiências já realizadas”, explica Cinthia Oliveira, do Departamento de Processos Museais do Ibram. “O material traz exemplos que abordam todas as dimensões desta política pública construída de forma participativa e integradora”, completa.

A PNEM - A Política Nacional de Educação Museal é fundamentada em princípios e diretrizes que foram definidos de forma colaborativa após amplo processo de participação que incluiu consulta pública através de plataforma online, a realização de 23 encontros regionais e a aprovação da Carta de Petrópolis (2012) e Carta de Belém (2014) nas respectivas edições do Fórum Nacional de Museus. O documento final foi aprovado na 7ª edição do fórum, realizada no ano passado em Porto Alegre (RS).

O trabalho contou com a participação de servidores do Ibram, educadores e outros profissionais do setor museológico, Redes de Educadores em Museus, professores, estudantes e usuários de museus interessados na organização, desenvolvimento e fortalecimento da educação museal em território brasileiro.

Publicado em

2 comentários para “Política Nacional de Educação Museal: Ibram lança publicação orientadora

    • Boa tarde Sayonara,

      O Caderno está disponível somente na versão digital.

      Acompanhe nossas Redes Sociais e site que divulgaremos o lançamento da versão impressa assim que possível.

      Atenciosamente.

Deixe seu comentário

Digite seu comentário
  1. (obrigatório)
  2. (obrigatório e-mail válido)
  3. (obrigatório)
  4. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days