Museu Victor Meirelles realiza mesa-redonda sobre os trabalhos de Julia Amaral

Raposa - fotografia em preto e branco, 2006

Raposa – fotografia em preto e branco, 2006

No dia 14 de julho, às 18h30, Museu Victor Meirelles (MVM/Ibram), em Florianópolis (SC) realizará a mesa-redonda A Poética da Espreita: Julia Amaral. A proposta é discutir a trajetória da artista plástica, assim como os trabalhos presentes na exposição Ter as Costas Livres, com obras da artista.

Os convidados para a mesa são Edélcio Mostaço, crítico, ensaísta e professor do Curso de Artes Cênicas do Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), e Marina Moros, artista e professora, doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Literatura da Universidade Federal de Santa Catarina e pós-doutora em Antropologia Visual pela mesma universidade.

A exposição Ter as Costas Livres está em exibição na Sala de Exposições Temporárias do Museu Victor Meirelles até 8 de agosto e faz parte do projeto Memória em Trânsito que propõe estudar e divulgar as obras dos artistas catarinenses pertencentes ao acervo do museu. Com isso, o museu visa ampliar o entendimento da poética desses artistas, estimulando a elaboração de outros discursos sobre suas obras. A primeira exposição do projeto foi Entorno, de Fernando Lindote.

Durante todo período da mostra, a obra Pedras-Grito (2002, Julia Amaral) pertencente ao acervo do Museu Victor Meirelles, ocupará o espaço da alcova, no segundo andar, compondo o núcleo da exposição de longa duração.

A artista

Natural de São Paulo, Julia Amaral atualmente vive e trabalha na capital catarinense onde, em 2003, concluiu o seu bacharelado em escultura e cerâmica, na Udesc. Ainda em 2003, expôs na coletiva Perspectiva das Artes Plásticas em Santa Catarina, no Museu de Arte de Santa Catarina (Masc) e no Memorial da América Latina.

Participou também do Panorama da Arte Brasileira 2005, no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP) e exibiu a individual Dissonoro, na Galeria da Aliança Francesa de Florianópolis. Em 2007, participou da mostra Diálogos com a Desterro, no Museu Victor Meirelles e, em 2008, apresentou a individual Apesar de, no Centro Cultural Arquipélago. Em 2013, defendeu a dissertação de mestrado intitulada Bestiário, no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Udesc. Neste ano, realizou as exposições individuais Florianópolis Ensolarada, em NaCasa Coletivo Artístico e Apesar de em O Sítio, ambas em Florianópolis.

Publicado em

Deixe seu comentário

Digite seu comentário
  1. (obrigatório)
  2. (obrigatório e-mail válido)
  3. (obrigatório)
  4. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days