Museu da Inconfidência celebra 75 anos nesta sexta-feira (9)

“Leitura da Sentença de Tiradentes”, de Leopoldino Joaquim Teixeira de Faria (1836 – 1911). Óleo sobre tela, em moldura de madeira talhada e dourada. Dimensões: 2,70m (com medalhão) x 3,20m. Acervo do Museu da Inconfidência/Ibram.

O Museu da Inconfidência/Ibram, em Ouro Preto (MG), celebra seus 75 anos nesta sexta-feira (9). Como parte das comemorações, o Museu apresentará ao público a tela “Leitura da Sentença de Tiradentes” (foto), de autoria de Leopoldino de Faria (1836-1911) - pintor oficial da Academia Imperial do Rio de Janeiro -, que retrata cena importante da história da Conjuração Mineira.

Numa parceria com a Câmara Municipal de Ouro Preto, decidiu-se pela transferência da tela que ornamentava a sala da Presidência da Câmara Municipal, para o Museu da Inconfidência, considerando a necessidade de sua restauração e sua representação histórica.

A tela pertenceu à Assembleia Provincial de Minas Gerais. Com a mudança da capital para Belo Horizonte, foi transferido para o prédio da Câmara Municipal de Ouro Preto, onde permaneceu até maio deste ano. O local onde a obra se encontrava possui um pé-direito baixo, com pouca visibilidade e muita incidência de luz solar, o que provoca acelerado processo de perda de pigmentação, escurecimento e craquelamento da camada pictórica.

Retirada da Câmara Municipal para figurar a exposição “230 Anos da Inconfidência Mineira: caminhos e descaminhos”, realizada na Galeria Sala Manoel da Costa Athaide, no período de 15 de maio a 16 de junho deste ano, a tela foi recolhida ao Laboratório de Restauração e Conservação do Museu da Inconfidência para a limpeza e restauração, trabalho executado pelo restaurador Aldo Araújo.

Com a compreensão da importância da preservação da tela por parte Câmara Municipal e com a valiosa colaboração da Grande Loja Maçônica de Minas Gerais, que através do Programa Cultura Cidadã, não mediu esforços para o patrocínio da restauração da obra e produção da réplica, o Museu reafirma a sua missão institucional de preservar a memória da Inconfidência Mineira e de seus protagonistas.

O quadro que permaneceu isolado do grande público, com acesso restrito aos Vereadores e suas assessorias, agora poderá ser contemplado pelos visitantes do Museu da Inconfidência, que recebe cerca de 200.000 visitantes anuais.

Sobre o Museu

Museu da Inconfidência (MG)

Museu da Inconfidência (MG)

Situado na antiga Casa de Câmara e Cadeia de Vila Rica, o Museu da Inconfidência foi criado em 1944 pelo, então, presidente Getúlio Vargas e é, hoje, um dos museus históricos mais importantes e visitados do Brasil. Possui o maior acervo sobre a Inconfidência Mineira, também conhecida como Conjuração Mineira, luta separatista contra o domínio português, reprimida pela Coroa portuguesa em 1789.

São cerca de 4 mil itens que reúnem peças históricas e artísticas e formam um conjunto articulado de testemunhos culturais do período, refletindo a relação de Vila Rica com a conspiração, incluindo obras de autores como Antônio Francisco Lisboa (Aleijadinho), Francisco Vieira Servas, Francisco Xavier de Brito, Manoel da Costa Athaide, João Nepomuceno e Armand Julien Pallière, dentre outros. O Panteão dos Inconfidentes abriga restos mortais de 16 inconfidentes, incluindo o poeta Tomás Antônio Gonzaga.

O Museu da Inconfidência fica na Praça Tiradentes, 139, em Ouro Preto (MG), e está aberto ao público das 10h às 18h, de terça a quinta; e das 10h às 21h, às sextas-feiras. Aos sábados está aberto das 10h às 16h e aos domingos das 9h às 14h.

Publicado em

Deixe seu comentário

Digite seu comentário
  1. (obrigatório)
  2. (obrigatório e-mail válido)
  3. (obrigatório)
  4. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days