Museu Casa da Hera reabre ao público após restauro estrutural

Casa da Hera foi fechada ao público por cerca de 6 meses para recuperação de parte dos barrotes da edificação, peças em madeira responsáveis pela sustentação do assoalho do prédio.

Casa da Hera foi fechada ao público por cerca de 6 meses para recuperação de parte dos barrotes da edificação, peças em madeira responsáveis pela sustentação do assoalho do prédio.

O Museu Casa da Hera, em Vassouras (RJ), reabriu ao público no último sábado (27) após cerca de seis meses fechado parcialmente para restauro de itens que compõem a estrutura física da edificação histórica do Séc. XIX.

Situada na Chácara da Hera e tombada como patrimônio histórico nacional em 1952, a Casa da Hera, que integra a rede Ibram, foi fechada ao público para recuperação de parte dos barrotes da edificação, peças em madeira responsáveis pela sustentação do assoalho do prédio.

O imóvel, exemplo de habitação de uma família rica no auge do café no Vale do Paraíba, foi residência do comissário de café Joaquim José Teixeira Leite e de sua filha, Eufrásia Teixeira Leite. Saiba mais.

Bastante aguardada por moradores e visitantes da cidade histórica fluminense, a reabertura do museu é resultado de colaboração entre o Ibram, o Iphan e a Prefeitura Municipal de Vassouras, que atuaram em parceria para o diagnóstico e solução do problema. A chácara seguiu aberta à visitação durante o restauro.

Em comemoração pela reabertura da Casa da Hera, o museu expõe desde o dia 27, além de todo seu acervo, uma peça especial de indumentária que pertenceu a Eufrásia Teixeira Leite: o vestido mais antigo da coleção, datado de 1880, em bordado e gelatina. O museu, que participará da 17ª Semana Nacional de Museus, também inaugura no próximo dia 14 a exposição fotográfica e de acervo “O Vale e suas Tradições”.

Publicado em

Deixe seu comentário

Digite seu comentário
  1. (obrigatório)
  2. (obrigatório e-mail válido)
  3. (obrigatório)
  4. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days