MHN recebe raro exemplar de canhão naval do período colonial brasileiro

Peça já se encontra na reserva técnica do MHN

Peça já se encontra na reserva técnica do MHN

Sob a proteção do exército, o Museu Histórico Nacional, vinculado ao Instituto Brasileiro de Museus, no Rio de Janeiro (RJ), recebeu hoje (11), por volta das 15h, uma raridade: um canhão naval fundido no século 16 – existem registros de apenas 10 deles em museus pelo mundo.

A peça é resultado de busca e apreensão realizada pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), em processo iniciado em 2011 e concluído em 2012.

A peça de 1,60 metro e cerca de 60 quilos, segundo estudos, foi fundida pelo português Francisco Álvares, entre 1560 e 1580. Trata-se de um dos primeiros canhões do fundidor em território brasileiro. Eram apenas quatro canhões navais do período em solo colonial.

Observa-se ainda que não há nenhuma peça do tipo no Brasil, o que o torna de grande valor histórico. Investigações revelaram ainda que a peça veio de embarcação naufragada, por meio de resgate clandestino, nos anos 1980, na costa da Bahia.

Confira parecer realizado por técnico do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan/MinC) sobre a peça.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação MHN
Última atualização: 12.3.2014

Publicado em

Deixe seu comentário

Digite seu comentário
  1. (obrigatório)
  2. (obrigatório e-mail válido)
  3. (obrigatório)
  4. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days