Editais 2018

Os editais recebem inscrições por meio do sistema Salic Web.
Caso tenha dúvidas, acesse o Manual para Inscrição Online em Editais.

Edital Modernização de Museus – Prêmios
O edital vai contemplar 28 projetos com R$ 100 mil cada, totalizando R$ 2,8 milhões voltados a iniciativas bem-sucedidas de modernização e preservação do patrimônio museológico implementadas por instituições museológicas ou por mantenedores de museus no período de 2015 a 2018.

06/07/2018 – Edital 
ANEXO I

02/10/2018 – Relação das inscrições consideradas APTAS  para avaliação pela Comissão de Seleção
02/10/2018  - Relação das inscrições consideradas INAPTAS  para avaliação pela Comissão de Seleção
17/10/2018 – Análise técnica dos recursos  das instituições consideradas INADMITIDAS
31/10/2018 – Resultado Final (D.O.U.) (PDF)
14/11/2018 – Análise da Comissão de Seleção aos RECURSOS

32 comentários para “Editais 2018

  1. Boa Tarde!!
    Gostaria de receber as instruções para melhorar o atendimento e exposição do Museu Municipal Vicente de Paulo Rios na cidade de Itarema – ceará.

    • Prezado Francisco,

      Orientamos que entre em contato do a Diretoria de Processos Museais deste Instituto, área técnica que poderá orientá-lo no que for possível: dpmus@museus.gov.br.

      Agradecemos o contato.

  2. olá, não foi possível acessar os links acima: Sistema Salic Web e Manual para inscrição online em editais. Como proceder?
    obrigada

  3. Estou tendo dificuldade de acessar o link para inscrição no sistema Salic Web, por conta da informação do site não \\\”ser seguro\\\”. Como proceder?
    Grato.

  4. Caros, estou tentando sem sucesso, utilizando navegadores diferentes e até cadastros diferentes como me foi orientado para acesso ao SalicWeb, mas o mesmo continua dando erro.

  5. Apesar de atuarmos desde 2016, apenas em ago/2018 efetivamos nosso Estatuto e CNPJ.
    Não ficou claro para mim se nossa participação será possível.
    Podem nos ajudar?
    CLAUDIA FIALHO
    MUSEU VIVO DA BARRA DO JUCU

  6. bOA TARDE
    Gostaria de receber informação. Nossa casa da Memória de Goioere, esta em processo de formatação para que em breve seja aberta ao público. Nos poderemos participar desse edital.

    um forte abraço.

  7. esse sistema é muito falho, não consigo em hipótese alguma realizar a inscrição, sem falar que trava.

  8. Olá,
    Bom dia!
    O Museu Kuahí dos Povos Indígenas de Oiapoque, Estado do Amapá, tem a honra de participar desse Edital de Modernização de Museus – Prêmios culturais – e fortalecimentos dos pontos culturais Indígenas.
    Abraços!
    Att.
    Sérgio dos Santos Silva
    Diretor do Museu.

  9. Olá,
    pelo que entendi, os valores contemplarão projetos já realizados entre 1015 e 2018, ao invés de liberar esses valores para possibilitar a futura realização de um projeto a ser proposto. É isso mesmo?
    Fábio

    • Olá Fábio,

      A seleção para premiação é para iniciativas implementadas, entendendo por “iniciativa” o conjunto de ações e atividades relevantes desenvolvidas pela instituição comprovando a sua atuação na preservação e difusão do patrimônio museológico. A seleção pública tem por objetivo o desenvolvimento de novas ações destinadas à preservação e difusão do patrimônio museológico, conforme estabelecidas no edital.
      Qualquer dúvida entrar em contato com fomento@museus.gov.br

  10. Boa tarde
    O Manual para Inscrição Online em Editais, que acompanha o edital, está numa versão anterior a atual versão do SALICWEB. Não consigo achar a guia destinada à inscrição do projeto por meio de edital
    Por favor me enviem orientação quanto à isto.

    Obrigado

  11. Boa tarde
    Ao acessar o SALI não encontro a guia destinada ao edital. Ele deve ser inscrito como proposta? Por favor me respondam com urgência como proceder pois, estou com o formulário pronto e não encontro essa informação
    Obrigado

  12. Estamos desde ontem tentando realizar a inscrição e o link informa erro. Como proceder, já que hoje é último dia para nos inscrever?

    • Prezados,

      Para solucionar problemas refente ao acesso ao sistema SalicWeb encaminhe print da tela e cópia dos documentos pessoais (CPF e RG) do usuário para o administrador do sistema pelo e-mail senhasalic@cultura.gov.br e salic@cultura.gov.br. Recomendamos envio do e-mail com indicação automática de entrega e leitura a partir da caixa do próprio usuário.

      Destacamos que para realizar inscrição no Edital Modernização de Museus – Prêmios poderá ser utilizado qualquer cadastro de pessoa física ou jurídica, pois o anexo I trará as informações da instituição museológica concorrente.

      Mantemos disponível o email fomento@museus.gov.br para dirimir dúvidas referente ao edital.

    • Prezados,

      Para solucionar problemas refente ao acesso ao sistema SalicWeb encaminhe print da tela e cópia dos documentos pessoais (CPF e RG) do usuário para o administrador do sistema pelo e-mail senhasalic@cultura.gov.br e salic@cultura.gov.br. Recomendamos envio do e-mail com indicação automática de entrega e leitura a partir da caixa do próprio usuário.

      Mantemos disponível o email fomento@museus.gov.br para dirimir dúvidas referente ao edital.

  13. Por gentileza, alguém poderia me dar um retorno sobre o acesso a Salic Web. Enviei um e-mail para o endereço eletrônico (fomento@museus.gov.br) mas não tive retorno.

    • Prezados,

      Para solucionar problemas refente ao acesso ao sistema SalicWeb encaminhe print da tela e cópia dos documentos pessoais (CPF e RG) do usuário para o administrador do sistema pelo e-mail senhasalic@cultura.gov.br e salic@cultura.gov.br. Recomendamos envio do e-mail com indicação automática de entrega e leitura a partir da caixa do próprio usuário.

      Mantemos disponível o email fomento@museus.gov.br para dirimir dúvidas referente ao edital.

  14. Olá boa noite, estou pretendendo criar na cidade de Cabo Frio o museu da Guarda Municipal e gostaria de orientação técnica sobre esse projeto. Qual setor poderia me ajudar, aguardo retorno.

    • O primeiro passo para a criação de um museu ou instituição museológica é decidir se a instituição será pública ou privada. Sendo pública, a orientação é que o museu seja criado por lei, uma vez que a criação de um museu público gera responsabilidades em relação ao seu planejamento e gestão, o que cria a necessidade de assegurar a sustentabilidade e o funcionamento adequado da instituição. Sendo privada, deve ser sem fins lucrativos e estar aberta para visitação do seu acervo, conforme a definição de museus apresentada na Lei nº. 11.904/2009, que institui o Estatuto dos Museus.
      Art. 1o Consideram-se museus, para os efeitos desta Lei, as instituições sem fins lucrativos que conservam, investigam, comunicam, interpretam e expõem, para fins de preservação, estudo, pesquisa, educação, contemplação e turismo, conjuntos e coleções de valor histórico, artístico, científico, técnico ou de qualquer outra natureza cultural, abertas ao público, a serviço da sociedade e de seu desenvolvimento.

      Complementarmente, a Lei nº. 11.906/2009, que cria o Ibram, estabelece em seu Art. 2º, que são consideradas instituições museológicas os centros culturais e de práticas sociais, colocadas a serviço da sociedade e de seu desenvolvimento, que possuem acervos e exposições abertas ao público, com o objetivo de propiciar a ampliação do campo de possibilidades de construção identitária, a percepção crítica da realidade cultural brasileira, o estímulo à produção do conhecimento e à produção de novas oportunidades de lazer, tendo ainda as seguintes características básicas:
      1. A vocação para a comunicação, investigação, interpretação, documentação e preservação de testemunhos culturais e naturais;
      2. O trabalho permanente com o patrimônio cultural;
      3. O desenvolvimento de programas, projetos e ações que utilizem o patrimônio cultural como recurso educacional e de inclusão social; e
      4. O compromisso com a gestão democrática e participativa.

      No que concerne, efetivamente, à criação de museus, recomendamos:
      1. Elaboração de um projeto para a criação do museu;
      2. Estabelecimento da pessoa jurídica da instituição, regulamentada por diploma legal;
      3. Manutenção permanente de uma equipe interdisciplinar, composta, inclusive, de profissional museólogo para a realização dos procedimentos técnicos museológicos;
      4. Elaboração e aprovação do Regimento Interno do museu;
      5. Elaboração do Plano Museológico, conforme Artigo 46º da Lei 11.904.

      O Regimento Interno é o documento que explicitará a natureza do museu, as normas de funcionamento, sua finalidade, propósitos, objetivos, política institucional, formas de manutenção e a estrutura de funcionamento (os setores e/ou departamentos e seus respectivos funcionários). Nesse documento constarão ainda:
      1. Vinculação institucional (caso haja);
      2. Competência – o que a instituição realiza, promove e desenvolve;
      3. Organização interna – estabelece as funções de cada um dos setores e/ou departamentos;
      4. Atribuição dos dirigentes – funções específicas;
      5. Disposições gerais/finais.

      Já o Plano Museológico é o instrumento básico que definirá a missão, objetivos, públicos e programas do museu, tais como:
      1. Institucional – descrição das relações internas (regulamento interno, criação da Associação de Amigos, etc.);
      2. Acervo – constituição das coleções/acervo e das estratégias previstas para a sua preservação, conservação preventiva, e se necessário a restauração de peças;
      3. Arquitetônico – adequações e/ou soluções espaciais e de infraestrutura da edificação;
      4. Exposições – definição dos métodos expográficos que serão utilizados;
      5. Educacional – projetos e ações educacionais e lúdico-pedagógicas;
      6. Comunicação e Pesquisa – estudos de público, estratégias de marketing e difusão dos produtos e da própria instituição;
      7. Segurança – identificação e prevenção aos principais riscos à segurança do museu (edifício, acervo, servidores, públicos);
      8. Gestão de Pessoas – formação da equipe técnica (contratação de pessoal, abertura de concurso público); e,
      9. Recursos Econômicos – apresentação das estratégias de sustentabilidade econômica (cobrança de ingressos, loja, com venda de souvenires, etc.).
      O Plano Museológico deve ser elaborado em consonância com a estrutura do museu que está sendo criado.

      O Registro ocorre apenas após a criação do museu, pois se aplica a museus já existentes, em funcionamento, excluindo-se museus em implantação.
      O Decreto nº 8.124/2013 dispõe que os museus deverão se registrar em “órgão público estadual, distrital ou municipal competente ou, na sua ausência, no IBRAM”. Ou seja, não precisará ser no Ibram, mas poderá ser, no caso de ausência de outro órgão. Esses outros órgãos competentes estão sendo definidos e operarão o Registro de Museus juntamente com o Ibram.
      No Ibram, o Registro será operado pela Coordenação-Geral de Sistemas de Informação Museal (CGSIM). Entretanto, os procedimentos e os critérios encontram-se em fase de elaboração. Em momento oportuno, todos os protocolos, documentação e trâmites necessários para o registro serão devidamente publicizados.
      Assim, até o momento não é necessário fazer o registro dos museus. Contudo, um museu que esteja em fase de implantação, já pode ser incluído no Cadastro Nacional de Museus(CNM), como museu mapeado. As informações apresentadas no formulário do CNM devem ser atualizadas depois da abertura/criação do museu.
      Uma vez mapeado, o Museu receberá todas as comunicações feitas pelo Ibram, o que engloba, nesse caso, o lançamento do Registro do Museus e a divulgação das ações e procedimentos a ele relacionados.
      Para inserir o Museu no CNM, siga as instruções constantes da página http://www.museus.gov.br/sistemas/cadastro-nacional-de-museus/.

      Leia mais: . http://www.museus.gov.br/os-museus/como-criar-museus/

  15. Boa Tarde,
    Gostaria de receber instruções para organizar um museu em Herval/RS, pois não temos nenhum museu aqui.
    Att
    Maria Isabel

    • Olá Maria Isabel,

      No site do Ibram existe um campo específico sobre “Como criar museus”. Esse campo é bem objetivo e resumido. http://www.museus.gov.br/os-museus/como-criar-museus/.

      O primeiro passo para a criação de um museu ou instituição museológica é decidir se a instituição será pública ou privada. Sendo pública, a orientação é que o museu seja criado por lei, uma vez que a criação de um museu público gera responsabilidades em relação ao seu planejamento e gestão, o que cria a necessidade de assegurar a sustentabilidade e o funcionamento adequado da instituição. Sendo privada, deve ser sem fins lucrativos e estar aberta para visitação do seu acervo, conforme a definição de museus apresentada na Lei nº. 11.904/2009, que institui o Estatuto dos Museus.
      Art. 1o Consideram-se museus, para os efeitos desta Lei, as instituições sem fins lucrativos que conservam, investigam, comunicam, interpretam e expõem, para fins de preservação, estudo, pesquisa, educação, contemplação e turismo, conjuntos e coleções de valor histórico, artístico, científico, técnico ou de qualquer outra natureza cultural, abertas ao público, a serviço da sociedade e de seu desenvolvimento.

      Complementarmente, a Lei nº. 11.906/2009, que cria o Ibram, estabelece em seu Art. 2º, que são consideradas instituições museológicas os centros culturais e de práticas sociais, colocadas a serviço da sociedade e de seu desenvolvimento, que possuem acervos e exposições abertas ao público, com o objetivo de propiciar a ampliação do campo de possibilidades de construção identitária, a percepção crítica da realidade cultural brasileira, o estímulo à produção do conhecimento e à produção de novas oportunidades de lazer, tendo ainda as seguintes características básicas:
      1. A vocação para a comunicação, investigação, interpretação, documentação e preservação de testemunhos culturais e naturais;
      2. O trabalho permanente com o patrimônio cultural;
      3. O desenvolvimento de programas, projetos e ações que utilizem o patrimônio cultural como recurso educacional e de inclusão social; e
      4. O compromisso com a gestão democrática e participativa.

      No que concerne, efetivamente, à criação de museus, recomendamos:
      1. Elaboração de um projeto para a criação do museu;
      2. Estabelecimento da pessoa jurídica da instituição, regulamentada por diploma legal;
      3. Manutenção permanente de uma equipe interdisciplinar, composta, inclusive, de profissional museólogo para a realização dos procedimentos técnicos museológicos;
      4. Elaboração e aprovação do Regimento Interno do museu;
      5. Elaboração do Plano Museológico, conforme Artigo 46º da Lei 11.904.

      O Regimento Interno é o documento que explicitará a natureza do museu, as normas de funcionamento, sua finalidade, propósitos, objetivos, política institucional, formas de manutenção e a estrutura de funcionamento (os setores e/ou departamentos e seus respectivos funcionários). Nesse documento constarão ainda:
      1. Vinculação institucional (caso haja);
      2. Competência – o que a instituição realiza, promove e desenvolve;
      3. Organização interna – estabelece as funções de cada um dos setores e/ou departamentos;
      4. Atribuição dos dirigentes – funções específicas;
      5. Disposições gerais/finais.

      Já o Plano Museológico é o instrumento básico que definirá a missão, objetivos, públicos e programas do museu, tais como:
      1. Institucional – descrição das relações internas (regulamento interno, criação da Associação de Amigos, etc.);
      2. Acervo – constituição das coleções/acervo e das estratégias previstas para a sua preservação, conservação preventiva, e se necessário a restauração de peças;
      3. Arquitetônico – adequações e/ou soluções espaciais e de infraestrutura da edificação;
      4. Exposições – definição dos métodos expográficos que serão utilizados;
      5. Educacional – projetos e ações educacionais e lúdico-pedagógicas;
      6. Comunicação e Pesquisa – estudos de público, estratégias de marketing e difusão dos produtos e da própria instituição;
      7. Segurança – identificação e prevenção aos principais riscos à segurança do museu (edifício, acervo, servidores, públicos);
      8. Gestão de Pessoas – formação da equipe técnica (contratação de pessoal, abertura de concurso público); e,
      9. Recursos Econômicos – apresentação das estratégias de sustentabilidade econômica (cobrança de ingressos, loja, com venda de souvenires, etc.).
      O Plano Museológico deve ser elaborado em consonância com a estrutura do museu que está sendo criado.

      O Registro ocorre apenas após a criação do museu, pois se aplica a museus já existentes, em funcionamento, excluindo-se museus em implantação.
      O Decreto nº 8.124/2013 dispõe que os museus deverão se registrar em “órgão público estadual, distrital ou municipal competente ou, na sua ausência, no IBRAM”. Ou seja, não precisará ser no Ibram, mas poderá ser, no caso de ausência de outro órgão. Esses outros órgãos competentes estão sendo definidos e operarão o Registro de Museus juntamente com o Ibram.
      No Ibram, o Registro será operado pela Coordenação-Geral de Sistemas de Informação Museal (CGSIM). Entretanto, os procedimentos e os critérios encontram-se em fase de elaboração. Em momento oportuno, todos os protocolos, documentação e trâmites necessários para o registro serão devidamente publicizados.
      Assim, até o momento não é necessário fazer o registro dos museus. Contudo, um museu que esteja em fase de implantação, já pode ser incluído no Cadastro Nacional de Museus(CNM), como museu mapeado. As informações apresentadas no formulário do CNM devem ser atualizadas depois da abertura/criação do museu.
      Uma vez mapeado, o Museu receberá todas as comunicações feitas pelo Ibram, o que engloba, nesse caso, o lançamento do Registro do Museus e a divulgação das ações e procedimentos a ele relacionados.
      Para inserir o Museu no CNM, siga as instruções constantes da página http://www.museus.gov.br/sistemas/cadastro-nacional-de-museus/.

      Boa sorte!

Deixe seu comentário

Digite seu comentário
  1. (obrigatório)
  2. (obrigatório e-mail válido)
  3. (obrigatório)
  4. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days