Escavação no Museu de Arte Sacra revela aspectos da história de Paraty

Como parte da intervenção física em curso na instituição desde o início deste ano, o Museu de Arte Sacra de Paraty, no Rio de Janeiro (RJ), tem recebido serviços especializados de arqueologia destinados a identificar resquícios históricos da antiga Igreja de Santa Rita que abriga o museu.

As escavações arqueológicas realizadas pela empresa BMJ – através das arqueólogas Jeanne Cordeiro de Oliveira e Maria Alice Táboas, do Laboratório de Arqueologia Brasileira – já identificaram antigos alicerces e ossadas que revelam aspectos da história do prédio e da cidade de Paraty, cujo núcleo inicial está situando entre o final do século XV (1500) e meados do século XVI (1540-1560).

Escavações em Paraty: atividade arqueológica acontece devido a obras no Museu De Arte Sacra na cidade

As descobertas confirmam informações contidas em documento encontrado pelo arquiteto e museólogo Julio Cezar Neto Dantas, atual diretor do Museu de Arte Sacra de Paraty e do Museu Forte Defensor Perpétuo, na mesma cidade, no qual a Irmandade de Santa Rita da Villa de Paraty, que se reunia na igreja, pede licença para construir jazigos fora do templo católico “para sepultar seos Irmãos”, conforme o documento original.

A Irmandade, que construiu a Igreja de Santa Rita, em 1722, foi fundada por homens pardos libertos do antigo distrito de Paraty, que além de realizar no local cerimônias religiosas, possuíam o direito de ser enterrados no cemitério da Irmandade, existente até hoje ao lado do templo.

Outras feições
Os alicerces encontrados nas escavações também confirmam outras feições arquitetônicas que a igreja possuía na época da construção original, quando o templo não dispunha de torre nem columbário (câmara sepulcral).

Uma representação visual da igreja com essas características pode ser observada numa aquarela do século XIX feita pelo naturalista Jean-Baptiste Debret, na qual se registra a Baía de Paraty .

As escavações na área do Museu de Arte Sacra de Paraty deverão ser concluídas no mês de setembro. Além delas, a intervenção inclui reforma do telhado e a atualização das redes lógica (telefonia), elétrica e de segurança do prédio, a recuperação da fachada externa da igreja, da nave e da torre sineira, com reparo de todo o reboco e pintura.

O Programa de Requalificação dos Museus do Ibram prevê ainda a realização futura de escavações arqueológicas no alto do Morro da Vila Velha, onde está situado o Museu Forte Defensor Perpétuo. O local é considerado o núcleo fundacional da cidade de Paraty.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação Museu de Arte Sacra de Paraty
Última edição: 31.7.2014

Publicado em

2 comentários para “Escavação no Museu de Arte Sacra revela aspectos da história de Paraty

    • Caro Thales, utilizamos no texto “fundada por volta do século 15″, período que vai do ano de 1401 até 1500, exatamente por dúvidas ainda existentes sobre a origem da cidade de Paraty – algumas fontes citam a data de 1500 e outras entre 1540 e 1560. Fizemos uma edição esclarecendo o tópico. Agradecemos sua observação!

Deixe seu comentário

Digite seu comentário
  1. (obrigatório)
  2. (obrigatório e-mail válido)
  3. (obrigatório)
  4. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days