Diretor do Lasar Segall aborda modernidades antropofágicas no MoMA

A Semana de Arte Moderna de 1922 e o conceito de Antropofagia na cultura, criado no final da década de 1920 pelo poeta Oswald de Andrade como uma resposta à Semana, voltam à tona  em Nova Iorque (Estados Unidos).

Durante o programa Perspectivas da Arte Moderna e Contemporânea em uma Iniciativa da Era Global (tradução livre), promovido pelo Museu de Arte Moderna (MoMA), o diretor do Museu Lasar Segall, Jorge Schwartz, ministrará a palestra Estratégias curatoriais: modernidades antropofágicas, no dia 9 de outubro.

Capa da revista onde foi publicado o Manifesto Antropofágico

Capa da revista onde foi publicado o Manifesto Antropofágico em 1928

Segundo o diretor do museu, que integra a rede do Instituto Brasileiro de Museus em São Paulo, sua apresentação tem caráter retrospectivo e descreve os antecedentes da exposição Da Antropofagia a Brasília: Brasil 1920-1950,  que teve lugar no Instituto Valenciano de Arte Moderna, no ano 2000, e, dois anos mais tarde no Museu de Arte Brasileira, em São Paulo.

Em sua palestra, Schwartz também abordará estratégias curatoriais que envolveram cinco curadores associados, 700 obras pertencentes a 144 artistas e empréstimos vindos de mais de cem coleções.

“Gostaria de cotejar a exposição com iniciativas que, de alguma forma, estabelecem diálogos com o meu recorte: especialmente a Bienal da Antropofagia (24a Bienal de São Paulo, 1998) e Brazil: Body and Soul (Guggenheim, NYC, 2001-2002),” explica.

Outras referências que serão utilizadas são o catálogo bilíngue de Da Antropofagia a Brasília, a Caixa Modernista (2003) – que reúne cerca de 30 elementos importantes para o modernismo brasileiro, como livros, catálogos, fotos e documentos da Semana de 22 – e Do Amazonas a Paris (2005).

Convites
Ainda no MoMA, Jorge Schwartz estará com a curadora de fotografia Sarah Meister, que prepara uma exposição com trabalhos dos argentinos Horacio Coppola e Grete Stern para o próximo ano. Ambos os fotógrafos já tiveram suas obras expostas no Museu Lasar Segall.

O diretor também foi convidado para participar da fala de abertura da exposição Egon Schiele Portraits na Neue Galerie, ao lado de Alessandra Comini, conhecida como a maior especialista no artista austríaco. Além de palestrante, ela é curadora da exposição.

Texto: Ascom/Ibram (colaboração Museu Lasar Segall)
Imagem: Divulgação

Publicado em

Deixe seu comentário

Digite seu comentário
  1. (obrigatório)
  2. (obrigatório e-mail válido)
  3. (obrigatório)
  4. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days