Artista italiana Martina Merlini fará instalação pela primeira vez no MNBA

A italiana Martina Merlini fará instalação no Museu Nacional de Belas Artes, de 14 a 19 de outubro  de 2019.

A italiana Martina Merlini fará instalação no Museu Nacional de Belas Artes, de 14 a 19 de outubro de 2019.

Trazida pelo Istituto Italiano di Cultura do Rio de Janeiro, a artista visual italiana Martina Merlini realizará instalações e encontros no Rio e em Niterói por ocasião das Jornadas do Contemporâneo, ação cultural anual que acontece na Europa.

No Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), a residência artística de Martina Merlini se inicia segunda-feira, 14 de outubro, e será materializada em uma instalação tridimensional, intitulada “Forma Temporal”. A obra será finalizada dia 19, sábado, quando será exibida a partir das 15h. A instalação da artista ficará em exposição na Sala Chaves Pinheiro até 1º de dezembro.

A vinda de Martina Merlini é um desdobramento de uma intensa ação cultural organizada anualmente em outubro pela Associação dos Museus de Arte Contemporânea da Itália (AMACI), e promovida pelo Ministério italiano das Relações Exteriores. “A busca pela forma” é o título escolhido para a série de iniciativas organizadas pelo Istituto Italiano di Cultura no Rio.

Martina Merlini buscará traçar criticamente o caminho evolutivo dos cultivos no Brasil. “A ideia por trás desta instalação – explica Merlini – é repercorrer a mudança do cultivo imposta pelos colonos desde as plantações de cana-de-açúcar e café, até as monoculturas maciças que hoje ameaçam a floresta amazônica”. A estrutura, em madeira, será constituída por dois trilhos entre os quais umas cordas levarão pendurados pequenos feixes de caules e folhas, previamente preparados. A operação de preparação, bem como a ação de preenchimento da estrutura, é concebida como um momento coletivo, para investigar a história da terra brasileira e retomar, junto com população local, o contato com ela.

Em outra frente, a italiana Merlini vai se reunir com a artista brasileira Pânmela Castro para uma conversa sobre as respectivas experiências, especificamente sobre a arte dos grafites e das instalações in situ que aproximam o trabalho de ambas. Originalmente pichadora do subúrbio do Rio, Pânmela Castro interessou-se pelo diálogo que seu corpo feminino marginalizado estabelecia com a urbe, dedicando-se a construir performances a partir de experiências pessoais, em busca de uma afetividade recíproca com o outro de experiência similar. Mestre em artes pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Pânmela realizou projetos em mais de 15 países e recebeu inúmeras nomeações por seu ativismo pelos direitos humanos como o título de Young Global Leader do World Economic Forum. O encontro das duas artistas vai acontecer na sexta-feira 18, às 15h, com entrada gratuita, no MNBA.

Trazida pelo Istituto Italiano di Cultura do Rio de Janeiro, a artista visual italiana Martina Merlini realizará instalações e encontros no Rio e em Niterói

Trazida pelo Istituto Italiano di Cultura do Rio de Janeiro, a artista visual italiana Martina Merlini realizará instalações e encontros no Rio e em Niterói

Convidada especial desta edição da Jornada do Contemporâneo, Martina Merlini (Bologna, 1986) já conta com um elevado número de exibições. Participou de vários eventos e festivais, inclusive o Living Wall, que foi o primeiro festival de street art organizado por mulheres, em Atlanta, (Estados Unidos, 2012) e o prestigioso Le Mur, em Paris, França, 2015). Pesquisadora entusiasta da natureza humana, Martina joga com as linhas geométricas, investigando a noção do limite de um jeito sutil e refinado. Atuando no limite entre racional e irracional, a artista utiliza densos traços pictóricos simétricos que se disjuntam inesperadamente sob o impulso de forças primordiais. As criações de Merlini foram exibidas em toda Europa, Estados Unidos e México onde fez uma residência de 2015 a 2017.

A diretora do Istituto Italiano di Cultura do Rio de Janeiro, Livia Raponi, avaliando esta iniciativa cultural afirma que “A essência da Jornada do Contemporâneo reside na vontade de ampliar o âmbito de difusão e o impacto da arte contemporânea. O objetivo é criar pontes e conexões entre artistas e movimentos de países diferentes, convidar jovens talentos para criar obras de arte em espaços não tradicionais, favorecer o encontro entre artistas representativos da Itália e públicos não necessariamente familiarizados com a arte contemporânea”.

Para a diretora do Museu Nacional de Belas Artes, Monica Xexéo, “é importantíssimo que o Museu participe do programa Jornadas do Contemporâneo, discutindo e refletindo a arte contemporânea global”.

O Museu Nacional de Belas Artes está localizado na avenida Rio Branco, 199 – Cinelândia.

Publicado em

Deixe seu comentário

Digite seu comentário
  1. (obrigatório)
  2. (obrigatório e-mail válido)
  3. (obrigatório)
  4. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days