Acervo em Rede: sistema desenvolvido pelo Ibram já tem nome

O novo Sistema de Catalogação e Gestão do Patrimônio Museológico, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), já tem um nome: Acervo.

6º FNM: a votação esteve disponível durante os dias 24 e 28 de novembro

6º FNM: a votação esteve disponível durante os dias 24 e 28 de novembro em Belém

Escolhido entre 22 opções dadas pelos participantes do 6º Fórum Nacional de Museus, realizado em novembro em Belém (PA), o nome foi proposto por Joel Santana da Gama, coordenador do Sistema Estadual de Museus do Rio Grande do Sul (SEM/RS).

Entre todas as denominações sugeridas, ele foi considerado pelos membros da Comissão Julgadora o melhor por sintetizar, de modo simples e claro, a finalidade a que se destina.

O Acervo terá capacidade para exportar dados do Inventário Nacional dos Bens Culturais Musealizados (INBCM), instrumento de inserção periódica de dados sobre os bens culturais musealizados, que integram os acervos museológico, bibliográfico e arquivístico dos museus brasileiros, para fins de identificação, acautelamento e preservação, previstos na Política Nacional de Museus.

“Pensei em associar o nome da plataforma a algo que as pessoas já têm conhecimento, como é o caso do programa de que o sistema faz parte, o Acervo em Rede. Na verdade, essa plataforma é um complemento para ele,” explica o vencedor do concurso. O sistema será gratuito e deve estar disponível no primeiro semestre de 2015.

O Programa Acervo em Rede tem o desafio de promover, por meio da internet, o acesso dos cidadãos aos bens culturais preservados nos museus de todo território nacional. Atualmente, no universo de mais de 3,4 mil museus brasileiros, apenas 10% das instituições possuem informações dos seus acervos em meio digital. Saiba mais.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Publicado em

6 comentários para “Acervo em Rede: sistema desenvolvido pelo Ibram já tem nome

  1. É lamentável que a notícia não cite que o programa é uma consequência do desenvolvimento, por décadas, do Sistema de Informações desenvolvido pela equipe do Museu Nacional de Belas Artes, utilizado ainda hoje por dezenas de museus brasileiros (SIMBA/Donato).

    • Caro Eurípedes, vamos transmitir seu comentário para a Coordenação Geral de Sistemas de Informação Museal do Ibram para resposta. Obrigado!

  2. Segue resposta da Coordenação Geral de Sistemas de Informação Museal do Ibram, que solicitou publicação nesta seção:

    “Prezado senhor Eurípedes,
    Agradecemos o seu comentário, que ressalta a importância do Donato para a documentação museológica brasileira. O Museu Nacional de Belas Artes, ao desenvolver e distribuir o Sistema a mais de 100 instituições museológicas em todo o território nacional, assumiu um protagonismo expressivo no apoio ao desenvolvimento dos museus brasileiros.
    Em continuidade a essa iniciativa, o Instituto Brasileiro de Museus – Ibram, com o objetivo de potencializar os resultados obtidos, realizou estudos e desenvolveu um Sistema de Catalogação e Gestão do Patrimônio Museológico, em parceria com a Organização dos Estados Ibero-Americanos – OEI. A nova plataforma tecnológica foi construída em software livre e utiliza as normas e padrões reconhecidos em nível nacional e internacional, destacando-se o ePING, ISO 21127:2006, ICOM/CIDOC/LIDO e Spectrum.
    O Sistema é aderente também às normativas do Inventário Nacional dos Bens Culturais Musealizados, estabelecidas pelas Resoluções Normativas Ibram nº 1 e 2, ambas de 2014.
    A ferramenta de catalogação e gestão permite o cadastro de bens museológicos, assim como o registro de movimentação, empréstimo, exposição e dos procedimentos de conservação e restauração.
    É com imensa satisfação que, em breve, disponibilizaremos gratuitamente aos museus brasileiros o sistema Acervo, dando continuidade à missão desse Instituto de contribuir para a preservação dos bens culturais musealizados.
    Estamos à disposição de V. Sa. para eventuais esclarecimentos, por meio do endereço eletrônico: sistema.acervo@museus.gov.br“.

  3. Gostaria de saber se esse sistema ficará disponível para os museus que não sejam do IBRAM. Ou seja, terá como ter esse sistema em qualquer museu do Brasil, para catalogação de acervo?

  4. Boa noite!

    Quando exatamente a plataforma estará disponível para as instituições interessadas?

    Grata, Denise

    • O Ibram está desenvolvendo, em parceria com a Universidade Federal de Goiás, o sistema Tainacan Museus – Plataforma de inventário, gestão e difusão do patrimônio museológico brasileiro, que será disponibilizada gratuitamente às instituições museológicas.

      A plataforma possibilitará aos seus usuários a realização do inventário de coleções museológicas conforme as normas do Inventário Nacional dos Bens Culturais Musealizados. Do mesmo modo, a solução permitirá a gestão de coleções, a publicação de conteúdos nas redes sociais e o aumento da interconexão com outras instituições de memória.

      O Tainacan Museus está atualmente em fase de reestruturação com previsão de sua disponibilização para o primeiro semestre de 2017.

Deixe seu comentário

Digite seu comentário
  1. (obrigatório)
  2. (obrigatório e-mail válido)
  3. (obrigatório)
  4. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days